Saltar para o conteúdo principal da página

Pelourinho de Estremoz - detalhe

Designação

Designação

Pelourinho de Estremoz

Outras Designações / Pesquisas

Pelourinho de Estremoz (Ver Ficha em www.monumentos.gov.pt)

Categoria / Tipologia

Arquitectura Civil / Pelourinho

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Évora / Estremoz / Estremoz (Santa Maria e Santo André)

Endereço / Local

Praça Luís de Camões
Estremoz

Proteção

Situação Actual

Classificado

Categoria de Protecção

Classificado como MN - Monumento Nacional

Cronologia

Decreto de 11-07-1920, DG, II Série, n.º 167, de 30-07-1920

ZEP

Portaria de 17-05-1960, publicada no DG, II Série, n.º 129, de 1-06-1960 (sem restrições) (refere, incorrectamente, que o Pelourinho está classificado pelo Decreto de 16-06-1910, quando só foi classificado em 1920)

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido em ZEP ou ZP

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

Estremoz recebeu de D. Manuel foral novo em 1512, substituindo o foral afonsino original. O Pelourinho que hoje se ergue nas imediações dos Paços do Concelho conserva elementos do monumento quinhentista então construído, por sua vez certamente destinado a substituir um pelourinho mais antigo, cuja implantação original provavelmente respeitava, no largo dos Paços dionisinos, dentro do Castelo da vila. O século XVII assistiu ao incremento das fortificações de Estremoz, particularmente importantes quando aí se abrigaram os exércitos da Guerra da Restauração; a instalação de um paiol no Castelo causou uma forte explosão em finais da centúria, da qual resultaria a transferência dos serviços camarários e do próprio pelourinho para o terreiro de Santo André, em local muito aproximado da localização actual (Túlio ESPANCA, 1975, p. 102), onde permaneceu até às últimas décadas do séc. XIX. Foi então desmontado, ficando alguns elementos mais característicos, como parte do fuste e o remate, arrecadados em instalações do Museu Municipal.
Em 1916, o arqueólogo Luís Chaves foi encarregado pela Câmara Municipal do seu restauro e remontagem, no actual Largo Luís de Camões. O desenho de reconstitução foi realizado por outro arqueólogo, Saavedra Machado, de forma a permitir inclusivamente a reconstrução do pedestal em estilo manuelino, devolvendo, conforme o gosto da época, a imagem original do monumento. As peças novas foram executadas por António Silva, mestre de cantaria de Coimbra (Túlio ESPANCA, 1975, p. 102).
O fuste será original, bem como o capitel e o coruchéu de remate, que haviam sido dotados, na intervenção seiscentista, de uma bandeira com cruz e coroa em ferro, certamente a substituir o remate primitivo. Estes elementos não foram colocados aquando da remontagem, de forma a preservar a integridade quinhentista do pelourinho, permanecendo depositados no Museu.
A base actual é composta por um soco, ao que parece mais baixo que o primitivo, de três degraus octogonais, sobre os quais se ergue o pedestal bastante elevado, recordando proporções mais modernas do que propriamente quinhentistas; destinava-se possivelmente a valorizar o fuste, que não é muito esguio. O pelourinho é de tipo picota (pau de sujeição), constando de fuste com caneluras helicoidais, ajustado a meia altura por anel moldurado, e rematado por capitel circular composto por sucessão de anéis torsos e festonados; a coroar o conjunto, um coruchéu igualmente torso, terminando em boleados e encimado por esfera armilar de pequenas dimensões, detalhe já moderno. O conjunto recorda particularmente alguns pelourinhos da região de Portalegre, nomeadamente o de Elvas, que é também uma remontagem do século XX, embora baseada em elementos originais. É muito parecido com o pelourinho de Colares, este ainda intacto. Possuiu ferros de sujeição entre o capitel e o coruchéu, sendo ainda visíveis as calhas abertas na pedra. SML

Imagens

Bibliografia

Título

Estremoz e o seu termo regional

Local

Estremoz

Data

1950

Autor(es)

CRESPO, Marques

Título

Inventário Artístico de Portugal - vol. VIII (Distrito de Évora, Zona Norte, volume I)

Local

Lisboa

Data

1975

Autor(es)

ESPANCA, Túlio

Título

Pelourinhos Portugueses, Tentâmen de Inventário Geral

Local

Lisboa

Data

1997

Autor(es)

MALAFAIA, E. B. de Ataíde

Título

O Pelourinho de Estremoz, in Terra Nossa, nº. 3, pp. 51 - 55

Local

Lisboa

Data

1916

Autor(es)

CHAVES, Luís

Título

Arqueologia Artística (I)

Local

Lisboa

Data

1918

Autor(es)

CHAVES, Luís

Título

Os Pelourinhos. Elementos para o seu catálogo geral

Local

Lisboa

Data

1938

Autor(es)

CHAVES, Luís