Saltar para o conteúdo principal da página

Igreja de Nossa Senhora da Oliveira - detalhe

Designação

Designação

Igreja de Nossa Senhora da Oliveira

Outras Designações / Pesquisas

Igreja da Colegiada de Guimarães / Igreja e Colegiada de Guimarães / Igreja Paroquial de Nossa Senhora da Oliveira / Museu Alberto Sampaio (Ver Ficha em www.monumentos.gov.pt)

Categoria / Tipologia

Arquitectura Religiosa / Igreja

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Braga / Guimarães / Oliveira do Castelo, São Paio e São Sebastião

Endereço / Local

Largo da Oliveira
Oliveira do Castelo

Proteção

Situação Actual

Classificado

Categoria de Protecção

Classificado como MN - Monumento Nacional

Cronologia

Decreto de 16-06-1910, DG, n.º 136, de 23-06-1910 (ver Decreto)

ZEP

Portaria de 1-02-1956, publicada no DG, II Série, n.º 94, de 19-04-1956 (com ZNA) (ZEP da Igreja de Nossa Senhora da Oliveira, do Padrão comemorativo da Batalha do Salado e dos Paços Municipais)

Zona "non aedificandi"

Portaria de 1-02-1956, publicada no DG, II Série, n.º 94, de 19-04-1956

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

O mosteiro pré-românico, fundado por D. Mumadona em 949, e para protecção do qual se construiu um primeiro castelo de Guimarães, deu lugar, ao que tudo indica logo nos inícios do século XII (RAMOS, 1991, v.I, p.86), à Colegiada de Santa Maria de Guimarães, uma das mais importantes e ricas instituições religiosas portuguesas da Baixa Idade Média. Destas primeiras fases muito pouco é o que sabemos, destruídas por reformas posteriores e escassamente documentadas por vestígios materiais remanescentes.
No Museu Alberto Sampaio conserva-se um capitel românico, datado da segunda metade do século XII e procedente do portal principal da igreja, que ajuda a caracterizar, em alguma medida, o que terá sido este templo nos séculos do Românico, com uma iconografia tipicamente beneditina (em torno do Bem e do Mal) e com uma relativa qualidade ao nível do trabalho escultórico. Mais importante é a parte do claustro duocentista que ainda se conserva. Esta quadra foi bastante modificada na época manuelina, mas mantém, ainda, alguns capitéis e, especialmente, a frontaria da Sala do Capítulo. Por estes elementos, podemos concluir ter sido este claustro uma das mais importantes obras românicas da época, ainda com grande carga estética moçárabe - pelo recurso, por exemplo, a arcos de feição ultrapassada -, característica que lhe confere o estatuto de "melhor conjunto românico-mudéjar, em granito, de Portugal" (ALMEIDA, 2001, p.110).
No século XIV, a Colegiada de Guimarães era um importante ponto de romaria e de peregrinação, muito se ficando a dever tal facto à imagem de Santa Maria, a mesma venerada por D. João I, nas vésperas da Batalha de Aljubarrota. Aqui iniciou-se um dos mais importantes capítulos da história deste monumento. Em 1387, na sequência de um voto feito pelo próprio D. João I, procedeu-se à remodelação do anterior edifício. Parece que as obras fundamentais foram bastante rápidas, sendo o novo templo solenemente sagrado em 1401, não obstante notícias posteriores darem conta da continuação dos trabalhos, pelo menos, até 1413.
A reforma gótica da velha Colegiada foi um marco da arquitectura gótica no Norte do país. Em termos planimétricos, a estrutura é comum: três naves de três tramos e transepto saliente, sendo a iluminação muito escassa; características que terão desgostado ao rei, que "não ficou muito satisfeito com as dimensões da igreja" (DIAS, 1994, p.130). Outros elementos, todavia, contrariam a aparente continuidade desta obra. A grande janela do registo superior da fachada principal, organizada como um verdadeiro "janelão-retábulo" (ALMEIDA e BARROCA, 2002, pp.62-63) constitui um dos nossos melhores programas iconográficos góticos. Integralmente dedicado à genealogia da Virgem, compõe-se de uma Árvore de Jessé, a que não falta a Anunciação, a culminar a mensagem mariana e, por esta via, também cristológica do conjunto.
Muito se tem escrito sobre o arquitecto desta campanha: João Garcia de Toledo. O seu nome anda ligado às principais obras do reinado de D. Fernando (CHARRÉU, 1995, vol. I, pp.154-155) e parece ter continuado no cargo após a Revolução, razão da sua escolha pelo monarca. No entanto, com a construção da Oliveira terminava uma fase do Gótico nacional; as décadas seguintes haveriam de ditar uma nova orientação estética, simbolizada pela grande obra, de gosto inglês, que foi o Mosteiro da Batalha.
Da época gótica ficou, ainda, parte das asnas do telhado das naves, decoradas com painéis de pinturas de sabor heráldico, bestiário, etc., obras que constituem, muito provavelmente, o mais antigo conjunto de pinturas nacionais conservadas.
Na época moderna foram várias as remodelações: a nova capela-mor, bastante mais profunda que a original, data do reinado de D. Pedro II; grandes telas barrocas, atribuídas a Pedro Alexandrino, decoram as paredes; em 1801, contra a vontade da população, a Câmara cortou a oliveira, que secularmente definiu o espaço em frente da igreja.
PAF

Imagens

Bibliografia

Título

As mais belas igrejas de Portugal, vol. I

Local

Lisboa

Data

1988

Autor(es)

GIL, Júlio

Título

História da Arte em Portugal - O Românico

Local

Lisboa

Data

2001

Autor(es)

ALMEIDA, Carlos Alberto Ferreira de

Título

História da Arte em Portugal - o Gótico

Local

Lisboa

Data

2002

Autor(es)

ALMEIDA, Carlos Alberto Ferreira de, BARROCA, Mário Jorge

Título

O mundo românico (séculos XI-XIII), História da Arte Portuguesa, vol.1, Lisboa, Círculo de Leitores, 1995, pp.180-331

Local

Lisboa

Data

1995

Autor(es)

RODRIGUES, Jorge

Título

A arquitectura gótica portuguesa

Local

Lisboa

Data

1994

Autor(es)

DIAS, Pedro

Título

O Tardo-Gótico em Portugal, a Arquitectura no Alentejo

Local

Lisboa

Data

1989

Autor(es)

SILVA, José Custódio Vieira da

Título

Guimarães - roteiro turístico

Local

Guimarães

Data

1995

Autor(es)

FONTE, Barroso da

Título

O Mosteiro e a Colegiada de Guimarães, ca. 950-1250

Local

Porto

Data

1991

Autor(es)

RAMOS, Cláudia Maria Novais Toriz da Silva

Título

O Mosteiro de Guimarães

Local

Guimarães

Data

1990

Autor(es)

MARQUES, José

Título

A simbólica do mal nas pinturas da igreja da Colegiada de Guimarães, Sep. Actas - Congresso Histórico de Guimarães e sua Colegiada, 4

Local

Guimarãres

Data

1981

Autor(es)

TEIXEIRA, Luís Manuel

Título

Um percurso por Guimarães medieval no século XV, Patrimonia, nº1, 1996, pp.9-16

Local

-

Data

1996

Autor(es)

FERREIRA, Maria da Conceição Falcão

Título

Mil anos a construir Portugal

Local

Guimarães

Data

2000

Autor(es)

-

Título

24. Inscrição comemorativa da fundação da Igreja gótica de Nª. Sª. Oliveira, Mil anos a construir Portugal

Local

Guimarães

Data

2000

Autor(es)

BARROCA, Mário Jorge

Título

14. Capitel românico do portal da colegiada de Nª. Sª. Oliveira, ficha técnica de catálogo, Mil anos a construir Portugal, 2000, p.85

Local

Guimarães

Data

2000

Autor(es)

BARROCA, Mário Jorge

Título

18. Santa Maria de Guimarães, ficha técnica de catálogo, Mil anos a construir Portugal, 2000, p.87

Local

Guimarães

Data

2000

Autor(es)

BARROCA, Mário Jorge

Título

A igreja de Nossa Senhora da Oliveira, em Guimarães, Arquivo Pitoresco, nº4, 1861, p.355

Local

-

Data

1861

Autor(es)

BARBOSA, Inácio de Vilhena

Título

29. Cruz processional, ficha técnica de catálogo, Mil anos a construir Portugal, 2000, p.92

Local

Guimarães

Data

2000

Autor(es)

BARROCA, Mário Jorge

Título

História da Arte em Portugal, vol. 3 (o Românico)

Local

Lisboa

Data

1986

Autor(es)

ALMEIDA, Carlos Alberto Ferreira de

Título

As pinturas dos tectos da igreja da Colegiada de Guimarães e a sua situação no contexto da pintura medieval peninsular

Local

Guimarães

Data

1981

Autor(es)

TEIXEIRA, Luís Manuel

Título

A Colegiada de Guimarães no priorado de D. Afonso Gomes de Lemos (1449-1487)

Local

Guimarães

Data

1981

Autor(es)

MARQUES, José

Título

Património e rendas da Colegiada de Guimarães, em 1442

Local

Guimarães

Data

1981

Autor(es)

MARQUES, José

Título

Rendas e arrendamento da Colegiada de Nossa Senhora da Oliveira de Guimarães (1684-1731)

Local

Guimarães

Data

1981

Autor(es)

OLIVEIRA, Aurélio de

Título

Alguns documentos da Colegiada de Santa Maria da Oliveira de Guimarães existentes no Arquivo Nacional da Torre do Tombo

Local

Guimarães

Data

1981

Autor(es)

PEREIRA, Isaías da Rosa

Título

Visitações de D. Fr. Baltasar Limpo na Arquidiocese de Braga visitações à colegiada de Nossa Senhora de Oliveira e a outras igrejas da região de Guimarães

Local

Braga

Data

1983

Autor(es)

SOARES, Franquelim Neiva

Título

São Nicolau a sua irmandade e a sua capela na insígne e Real Colegiada de Guimarães

Local

Guimarães

Data

1994

Autor(es)

SILVA, Lino Moreira da

Título

História da Real Colegiada de Guimarães

Local

Guimarães

Data

1978

Autor(es)

OLIVEIRA, Manuel Alves de

Título

Igreja de N. S. da Oliveira, Boletim da DGEMN, nº 128

Local

Lisboa

Data

1981

Autor(es)

-

Título

A arquitectura manuelina

Local

Vila Nova de Gaia

Data

2009

Autor(es)

DIAS, Pedro