Saltar para o conteúdo principal da página

Castelo de Alvito - detalhe

Designação

Designação

Castelo de Alvito

Outras Designações / Pesquisas

Paço de Alvito / Pousada de Alvito (Ver Ficha em www.monumentos.gov.pt)

Categoria / Tipologia

Arquitectura Militar / Castelo

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Beja / Alvito / Alvito

Endereço / Local

Largo do Castelo
Alvito

Proteção

Situação Actual

Classificado

Categoria de Protecção

Classificado como MN - Monumento Nacional

Cronologia

Decreto de 16-06-1910, DG, n.º 136, de 23-06-1910 (ver Decreto)

ZEP

-

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido em ZEP ou ZP

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

Em 1475, D. Afonso V concedeu o titulo de barão de Alvito ao funcionário régio João Fernandes da Silveira, cujos descendentes viriam a ser titulados de marqueses. Alguns anos mais tarde, em 1482, o mesmo monarca estendeu ao barão e a sua mulher o direito de aí construírem um castelo, outorgando-lhes consequentemente o senhorio da vila e dos povoados limítrofes. A empreitada terá começado apenas em 1494, segundo reza uma lápide colocada sobre a porta de entrada (Fialho de ALMEIDA, 1946), tendo corrido já a cargo do 2º barão, D. Diogo Lobo da Silveira, que recebeu novas confirmações da licença régia em 1489 e em 1497, outorgadas por D. João II e D. Manuel. A última carta de confirmação esclarece a importância estratégica do castelo para a defesa da região, dominando uma suave elevação sobre as planícies a noroeste de Beja, e facultando refúgio aos moradores. No entanto, a feição militar conjugava-se claramente com uma dimensão mais palaciana, fazendo do castelo de Alvito um paço fortificado, ou um castelo-palácio (Florentino PEREZ EMBID, 1955), designação preferida por alguns autores.
Trata-se de um edifício de planta rectangular, definindo um pátio interior onde se ergue, a noroeste, a torre de menagem, mais elevada e de planta quadrada, adossada ao pano de muralha. Esta disposição em torno de um pátio central encontra-se igualmente em edifícios como o castelo de Viana do Alentejo, o solar de Água de Peixes ou o Palácio dos Duques de Cadaval, em Évora (Florentino PEREZ EMBID, 1955), e não seria de desprezar a relação que uma tal disposição, relacionada com o carácter residencial que o monumento assume com nítido destaque, mantivesse com a génese do típico monte alentejano (Cfr. AZEVEDO, Carlos de, 1969). Mas particularmente interessantes serão os torreões cilíndricos e ameiados rematando os ângulos da muralha, por um lado facilmente relacionados com a tipologia regional dos contrafortes cilíndricos das igrejas fortificadas alentejanas, mas cuja aplicação neste caso particular remete seguramente para a influência dos castelos de Beja e de Viana do Alentejo (Florentino PEREZ EMBID, 1955).
Estes exemplos permitem compreender o castelo do Alvito no quadro da arquitectura alentejana de finais do século XV e início do XVI, pelo menos no que respeita a encomendas eruditas e a obra de aparato; e a esta luz se deverá igualmente examinar a influência mudéjar que se observa em elementos decorativos e nas janelas e vãos do piso nobre, maineladas, e exibindo arcos em ferradura construídos em tijolo e argamassa, que convivem com o sabor já italianizante de alguns elementos marmóreos. Estas características contribuem particularmente para a feição solarenga do castelo, igualmente relacionada com as personagens dos seus fundadores, pertencentes a uma família de grande influência regional, mas sem a influência, a riqueza e o poderio, inclusivamente militar, dos grandes senhores do reino.
O castelo foi recuperado, e está transformado em pousada de Portugal deste 1993, data da inauguração. SML

Imagens

Bibliografia

Título

A Obra Silvestre e a Esfera do Rei

Local

Coimbra

Data

1990

Autor(es)

PEREIRA, Paulo

Título

Portugal antigo e moderno: diccionario geographico, estatistico, chorographico, heraldico, archeologico, historico, biographico e etymologico de todas as cidades, villas e freguezias de Portugal e de grande numero de aldeias...

Local

Lisboa

Data

1990

Autor(es)

PINHO LEAL, Augusto Soares d'Azevedo Barbosa de, FERREIRA, Pedro Augusto

Título

Roteiro dos Monumentos Militares Portugueses

Local

Lisboa

Data

1948

Autor(es)

ALMEIDA, João de

Título

Diccionario geografico, ou noticia historica de todas as cidades, villas, lugares, e aldeas, Rios, Ribeiras, e Serras dos Reynos de Portugal e Algarve, com todas as cousas raras, que nelles se encontrão, assim antigas, como modernas, vol. II

Local

Lisboa

Data

1751

Autor(es)

CARDOSO, Pe. Luís

Título

Palácios e solares portuguezes (Col. Encyclopedia pela imagem)

Local

Porto

Data

1900

Autor(es)

SEQUEIRA, Gustavo de Matos

Título

A arte manuelina na arquitectura de Alvito

Local

Lisboa

Data

1949

Autor(es)

MANIQUE, Luís de Pina

Título

El mudejarismo en la arquitectura portuguesa de la epoca manuelina

Local

Madrid

Data

1955

Autor(es)

PEREZ EMBID, Florentino

Título

Manuelino. À descoberta da arte do tempo de D. Manuel I

Local

Lisboa

Data

2002

Autor(es)

DIAS, Pedro

Título

O castelo de Alvito

Local

Lisboa

Data

1946

Autor(es)

ALMEIDA, Fialho de

Título

A arquitectura manuelina

Local

Vila Nova de Gaia

Data

2009

Autor(es)

DIAS, Pedro

Título

Castelos em Portugal. Retrato do seu Perfil Arquitectónico

Local

Coimbra

Data

2010

Autor(es)

CORREIA, Luís Miguel Maldonado de Vasconcelos