Saltar para o conteúdo principal da página

Castelo de Castelo de Vide - detalhe

Designação

Designação

Castelo de Castelo de Vide

Outras Designações

-

Categoria / Tipologia

Arquitectura Militar / Castelo

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Portalegre / Castelo de Vide / Santa Maria da Devesa

Endereço / Local

-- -
Castelo de Vide

Proteção

Situação Actual

Classificado

Categoria de Protecção

Classificado como MN - Monumento Nacional

Cronologia

Devolvido em 30-06-2016 à DRC do Alentejo para reanálise
Proposta de 7-01-2016 da DRC do Alentejo para ampliação da classificação como MN
Anúncio n.º 198/2015, DR, 2.ª série, n.º 160, de 18-08-2015 (ver Anúncio)
Despacho de abertura de 10-07-2015 do diretor-geral da DGPC
Proposta de 7-05-2015 da DRC do Alentejo para a abertura do procedimento de ampliação da classificação, de forma a abranger todo o Castelo, incluindo as fortificações medievais e modernas
Decreto de 16-06-1910, DG, n.º 136, de 23-06-1910 (Classificou o Castelo de Castelo de Vide, na tipologia "castelos" com a designação, incorrecta de "Castelo de Vide (rúinas)) (ver Decreto)

ZEP

-

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido em ZEP ou ZP

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

Não estão esclarecidas as origens do povoamento no local onde, na Idade Média, se edificou Castelo de Vide. A proximidade em relação a uma via romana que passa junto ao sopé do monte fez com que alguns autores conjecturassem a respeito de uma possível fase organizativa romana (PERES, 1969, p.285) mas, até ao momento, as escavações conduzidas por Jorge Oliveira e, mais recentemente, por Marina Pinto e Sandra Neves, não revelaram níveis de ocupação tão antigos.
Se as dúvidas se mantêm a respeito do possível passado romano, a história de Castelo de Vide não se apresenta mais nítida nos primeiros tempos da monarquia portuguesa. Informações muito duvidosas relacionam o ano de 1148 com uma suposta conquista de D. Afonso Henriques e o de 1180 com um primeiro foral dado à localidade, por D. Pedro Anes (Grande Enciclopédia Portuguesa e Brasileira, vol. VI, p.196), mas será preciso esperar pelo século XIII para encontrarmos referências mais concretas. Em 1232 já estaria incorporada na coroa nacional, e seria, então, um povoado de relativa importância, pela grande proximidade em relação à fronteira com Castela (PERES, 1969, p.286). Em 1273, reinando D. Afonso III, a vila foi confiada a seu filho, D. Afonso Sanches, senhor igualmente de Portalegre e de Marvão.
Terá sido a partir dessa data que se deu início à fortaleza que hoje genericamente conhecemos. As décadas finais do século XIII foram de certa tensão, uma vez que D. Dinis tentou, por várias vezes, retirar a vila a seu meio-irmão. Logo em 1279, D. Afonso contestou o direito de D. Dinis em ocupar o trono e iniciou a fortificação da localidade, processo que estava em marcha em 1281. Esta indicação é clara quanto à importância estratégica de Vide e a sua superioridade militar em relação às vizinhas Marvão e Portalegre. Em Abril de 1281, D. Dinis cercou a vila e, um ano depois, o infante comprometia-se em derrubar todas as fortificações que havia empreendido (que incluíam uma torre e vários muros) (BARROCA, 2000, p.1522).
Antes de findar o século, D. Dinis conseguiu finalmente apoderar-se da vila e terá sido a partir de então que se procedeu à segunda fase de obras no castelo. Ela encontra-se atestada por uma inscrição, anexa a uma das portas, junto à Rua Direita, que comemora a conclusão dos trabalhos em 1327, reinando já D. Afonso IV. Ao contrário dos programados e racionais castelos góticos, este subordina-se, ainda, às condicionantes do terreno, mas possui algumas características típicas da arquitectura militar da Baixa Idade Média, como a torre de menagem adossada à porta principal, ou a existência de uma barbacã a anteceder a fortaleza. O reduto defensivo compõe-se de duas partes essenciais: um pequeno espaço quadrangular, definido por muralhas e torreões, é o pátio de armas, em torno do qual se dispõem as estruturas de armazém e de apoio à defesa; o restante espaço amuralhado corresponde à vila velha, dotada de uma Rua Direita e onde existiam as casas da Câmara e da Cadeia, bem como as habitações do alcaide e da classe dominante local.
A terceira grande fase de obras aconteceu no século XVII, durante as Guerras da Restauração. Em 1641, imediatamente após a proclamação da Independência, iniciaram-se os trabalhos, que foram apressados e ampliados a partir de 1642, sob projecto de Nicolau de Langres. Em 1660, no auge deste processo de fortificação, a praça albergava uma guarnição de 600 homens e três companhias de cavalaria, o que revela a sua importância. Ela integrava dois fortes, o do castelo (a poente) e o de São Roque (a nascente), de planta estrelada e com amplos baluartes e desníveis de terrenos, interligados por uma extensa linha de muralhas que circundava a vila, já extraordinariamente expandida desde o primitivo núcleo medieval.
Desactivada de 1823, a fortaleza permanece como uma importante silhueta militar na raia, evocadora do passado guerreiro e da importância que teve nos muitos recontros entre portugueses e espanhóis ao longo da História.
PAF

Imagens

Bibliografia

Título

"As mais belas vilas e aldeias de Portugal"

Local

Lisboa

Data

1984

Autor(es)

GIL, Júlio

Título

"The Old Burgo of Castelo de Vide, Portugal, Safeguard and Conservation, (dissertação de mestrado apresentada à Katholieke Universiteit Leuven)"

Local

Lovaina

Data

1991

Autor(es)

JORGE, Ana Santos

Título

"Carta Arqueológica do Concelho de Castelo de Vide"

Local

Lisboa

Data

1975

Autor(es)

RODRIGUES, Maria da Conceição Monteiro

Título

"Roteiro dos Monumentos Militares Portugueses"

Local

Lisboa

Data

1948

Autor(es)

ALMEIDA, João de

Título

"Castelo de Vide, Subsídios para o Estudo da Arqueologia Medieval"

Local

Portalegre

Data

1979

Autor(es)

TRINDADE, Diamantino Sanches

Título

"Relação de Sucessos Históricos, Notícias e Acontecimentos Políticos, Administrativos, Sociais e Outros da Notável Vila de Castelo de Vide, separata do jornal O Castelovidense, n.º 281 - 397."

Local

-

Data

1965

Autor(es)

REPENICADO, António Vicente Raposo

Título

"Inventário Artístico de Portugal - vol. I (Distrito de Portalegre)"

Local

Lisboa

Data

1943

Autor(es)

KEIL, Luís

Título

"Memoria historica da muito notavel villa de Castello de Vide"

Local

Lisboa

Data

1908

Autor(es)

VIDEIRA, César Augusto de Faria,

Título

"Breve roteiro da notável vila de Castelo de Vide"

Local

Castelo de Vide

Data

1966

Autor(es)

REPENICADO, António Vicente Raposo

Título

"Os mais belos castelos e fortalezas de Portugal"

Local

Lisboa

Data

1986

Autor(es)

GIL, Júlio, CABRITA, Augusto

Título

"Castelos de Portugal"

Local

-

Data

-

Autor(es)

CRUZ, M. F.

Título

"As Fortificações Medievais de Castelo de Vide"

Local

Lisboa

Data

2005

Autor(es)

CID, Pedro

Título

"Da Reconquista a D. Dinis, Nova História Militar de Portugal, vol. I, pp.21-161"

Local

Lisboa

Data

2003

Autor(es)

BARROCA, Mário Jorge

Título

"Castelo e muralhas de Castelo de Vide"

Local

Lisboa

Data

2004

Autor(es)

-

Título

"Castelo de Vide"

Local

Lisboa

Data

1952

Autor(es)

COUTINHO, Luís Azevedo

Título

"Castelo de Vide: alguns números sobre uma época de guerra (1800-1812)"

Local

Lisboa

Data

1993

Autor(es)

VIEIRA, Rui Rosado

Título

"Castello de Vide. Bosquejo historico d'esta villa notavel..."

Local

Castelo de Vide

Data

1903

Autor(es)

GORDO, João António

Título

"Marvão, Castelo de Vide e Portalegre"

Local

Lisboa

Data

1975

Autor(es)

DINIS, Alberto Calderon

Título

"Os castelos portugueses dos finais da Idade Média: presença, perfil, conservação, vigilância e comando"

Local

Coimbra

Data

1999

Autor(es)

MONTEIRO, João Gouveia

Título

"Terras de Odiana. Medobriga, Ammaia, Aramenha, Marvão, 2.ª ed."

Local

Lisboa

Data

1988

Autor(es)

COELHO, Possidónio Mateus Laranjo

Título

"Da notável vila de Castelo de Vide. Apontamentos"

Local

Castelo de Vide

Data

1969

Autor(es)

REPENICADO, António Vicente Raposo

Título

"A gloriosa história dos mais belos castelos de Portugal"

Local

Barcelos

Data

1969

Autor(es)

PERES, Damião

Título

"Nicolau de Langres e a sua obra em Portugal"

Local

Lisboa

Data

1941

Autor(es)

MATTOS, Gastão de Mello

Título

"Epigrafia medieval portuguesa (862-1422)"

Local

Lisboa

Data

2000

Autor(es)

BARROCA, Mário Jorge

Título

"Memória Histórica da muito notável vila de Castelo de Vide"

Local

Castelo de Vide

Data

1908

Autor(es)

VIDEIRA, César Augusto de Faria,

Título

"De antigo paiol a museu arqueológico: processo de reabilitação em Castelo de Vide, Revista Património - Estudos, nº8, pp.101-107"

Local

Lisboa

Data

2005

Autor(es)

PIRES, João Ochôa

Título

"Castelo de Vide e o álbum de Duarte de Armas: algumas notas, Revista Património - Estudos, nº8, pp.108-119"

Local

Lisboa

Data

2005

Autor(es)

CID, Pedro

Título

"Castelos em Portugal. Retrato do seu Perfil Arquitectónico"

Local

Coimbra

Data

2010

Autor(es)

CORREIA, Luís Miguel Maldonado de Vasconcelos

Título

"Castelo de Vide. Reabilitação do antigo paiol do castelo, Revista Património - Estudos, nº8, pp.120-125"

Local

Lisboa

Data

2005

Autor(es)

MALATO, Nuno, CRUZ, Alberto, PEREIRA, Nuno Teotónio

Título

"Reabilitação do edifício lateral (antigo paiol). Núcleos museológicos - castelo de Castelo de Vide, Revista Património - Estudos, nº8, pp.126-129"

Local

Lisboa

Data

2005

Autor(es)

LOPES, Hugo Serra, GUERREIRO, Nuno, ALVES, Alice Nogueira