Saltar para o conteúdo principal da página

Igreja de Santa Maria de Marvila - detalhe

Designação

Designação

Igreja de Santa Maria de Marvila

Outras Designações / Pesquisas

Igreja Paroquial de Marvila / Igreja de Santa Maria (Ver Ficha em www.monumentos.gov.pt)

Categoria / Tipologia

Arquitectura Religiosa / Igreja

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Santarém / Santarém / União de Freguesias da cidade de Santarém

Endereço / Local

Largo de Marvila
Marvila

Proteção

Situação Actual

Classificado

Categoria de Protecção

Classificado como MN - Monumento Nacional

Cronologia

Decreto n.º 3 318, DG, I Série, n.º 144, de 27-08-1917 (ver Decreto)

ZEP

Portaria de 30-08-1946, publicada no DG, II Série, n.º 262, de 11-11-1946 (sem restrições)

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido em ZEP ou ZP

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

A igreja de Santa Maria de Marvila resulta, provavelmente, da refundação de uma antiga mesquita da medina de Santarém, datando dos tempos da Reconquista cristã, e depois (1159) doada por D. Afonso Henriques à Ordem dos Templários. Aparentemente, o templo teve como designação original a de Santa Maria de Santarém, o que atesta da sua primazia sobre as restantes igrejas da cidade, nomeadamente sobre a Igreja de Santa Maria da Alcáçova. Na sequência da sua cristianização, foi totalmente reconstruída em meados do século XIII (CUSTÓDIO, 1996, p. 94), num estilo gótico do qual pouco resta hoje em dia. A igreja templária foi acrescentada de rendimentos e benesses pelo bispo de Lisboa, D. Aires Vasques, em 1244, integrando então uma colegiada e passando a intitular-se justamente Colegiada de Santa Maria de Marvila. O conjunto sofreu total reforma e ampliação no princípio do século XVI, patrocinada pelo vice-rei da Índia D. Francisco de Almeida, e concluída em c. 1530. Embora tenha sofrido nova intervenção por iniciativa de D. João III, é a obra manuelina, apesar de algo alterada posteriormente, que mais sobressai; aí se inclui o portal principal, com elementos naturalistas, fabulosos e festivos em talhe "gordo", os alçados laterais com janelas de arco quebrado, os arcos de acesso ao coro e à capela baptismal, e a cabeceira constituída pela Capela-mor aberta por arco triunfal polilobado, simulando uma elegante cortina drapeada, e duas capelas laterais, todas com abobadamento nervurado com artesões. Os bocetes da abóbada da Capela-mor são decorados com emblemas de D. Manuel, a cruz da Ordem de Cristo e as esferas armilares da sua empresa, e ainda, no bocete central, com o escudo das 5 quinas, régio e de Portugal. As capelas laterais abrem para o transepto através de arcos góticos, parcos vestígios (juntamente com as portas do coro e do baptistério) da construção original. Da campanha joanina, já renascentista, resultou a reforma geral do interior, de três naves divididas por arcos plenos assentes em colunas clássicas de capitéis jónicos, e ainda as portas laterais, com frontões triangulares. Em 1876 foi demolida a torre, coroada de alto coruchéu piramidal, e portanto ainda resultante da campanha manuelina (SERRÃO, 1990, p. 53), realizada sobre estrurura gótica e prováveis fundamentos mouriscos (CUSTÓDIO, 1996, p. 95). Com ela desapareceram os arcosólios góticos da base, que abrigavam duas arcas tumulares, uma das quais se pode ver hoje no Museu Municipal da cidade. Além da estrutura e decoração do início de Quinhentos, que faz do templo o mais importante testemunho do Manuelino em Santarém (SERRÃO, 1990, pp. 53-54), a igreja conserva ainda um riquíssimo património azulejar seiscentista, executado entre 1617 e 1642, em enxaquetado azul e branco e em composições de "tapete" azul e amarelo, que o levou a receber a designação de "catedral do azulejo".
A igreja conta ainda com imaginária diversa, entre quadrinhos de devoção mariana, púlpito de mármore de finais do século XVII, duas pias de água benta, de lavor quinhentista, lajes tumulares com inscrições, a lápide tumular da capela do Santíssimo, com motivos heráldicos e pertencente ao dr. Paulo de Pedrosa Meireles, desembargador do arcebispado de Lisboa e vigário de Marvila e de Santarém, fundador da dita capela, e falecido a 27 de Novembro de 1663, e ainda diverso mobiliário e paramentaria. A sacristia tem tecto decorado com ornatos a azul e a vermelho, datados de 1690, e um silhar de azulejos ainda seiscentistas. Perdido o retábulo da Capela-mor, maneirista, na sequência das invasões francesas, encontra-se agora no seu lugar uma tela de Fuschini, pintor da Ajuda, alusivo à Assunção da Virgem (CUSTÓDIO, 1996, p. 97).

Imagens

Bibliografia

Título

A Obra Silvestre e a Esfera do Rei

Local

Coimbra

Data

1990

Autor(es)

PEREIRA, Paulo

Título

Azulejaria Portuguesa

Local

Lisboa

Data

1986

Autor(es)

MECO, José

Título

História de Santarém Edificada

Local

-

Data

1740

Autor(es)

VASCONCELOS, Pe. Inácio da Piedade

Título

Inventário Artístico de Portugal, Distrito de Santarém

Local

Lisboa

Data

1949

Autor(es)

SEQUEIRA, Gustavo de Matos

Título

Ribatejo Histórico e Monumental

Local

Lisboa

Data

1938

Autor(es)

CÂNCIO, Francisco

Título

Santarém Monumental

Local

CMS

Data

1988

Autor(es)

PAES, Octávio da Silva

Título

História e Monumentos de Santarém

Local

-

Data

1993

Autor(es)

SARMENTO, Zeferino

Título

Um exemplo de construção e restauro de revestimentos cerâmicos: intervenção nos azulejos da Igreja de Santa Maria de Marvila, Monumentos

Local

-

Data

1995

Autor(es)

GOMES, Maria Manuela Malhoa

Título

A pintura de brutesco do século XVII em Portugal e as suas repercussões no Brasil, 2º Congresso do Barroco no Brasil

Local

-

Data

1989

Autor(es)

SERRÃO, Vítor

Título

Azulejaria em Portugal no século XVII

Local

Lisboa

Data

1971

Autor(es)

SIMÕES, J. M. dos Santos

Título

Arte Portuguesa

Local

-

Data

1927

Autor(es)

BARREIRA, João

Título

Santarém, Guia de Portugal

Local

-

Data

1927

Autor(es)

BARREIRA, João

Título

Santarém

Local

-

Data

1929

Autor(es)

FEIO, A. Areosa

Título

Santarém

Local

-

Data

1990

Autor(es)

SERRÃO, Vítor

Título

Santarém: História e Arte

Local

-

Data

1951

Autor(es)

SERRÃO, Joaquim Veríssimo

Título

Igreja de Santa Maria de Marvila, in Património Monumental de Santarém

Local

-

Data

1996

Autor(es)

CUSTÓDIO, Jorge

Título

Chronica da ordem dos conegos regrantes do patriarcha S. Agostinho

Local

-

Data

1668

Autor(es)

SANTA MARIA, Frei Nicolau de

Título

Manuelino. À descoberta da arte do tempo de D. Manuel I

Local

Lisboa

Data

2002

Autor(es)

DIAS, Pedro

Título

A arquitectura manuelina

Local

Vila Nova de Gaia

Data

2009

Autor(es)

DIAS, Pedro