Saltar para o conteúdo principal da página

Anta de Pavia, transformada em capela de São Dinis - detalhe

Designação

Designação

Anta de Pavia, transformada em capela de São Dinis

Outras Designações / Pesquisas

Anta de Pavia / Capela de São Dinis / Capela de São Dionísio (Ver Ficha em www.monumentos.gov.pt)

Categoria / Tipologia

Arqueologia / Anta

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Évora / Mora / Pavia

Endereço / Local

Praça de São Dinis
Pavia

Proteção

Situação Actual

Classificado

Categoria de Protecção

Classificado como MN - Monumento Nacional

Cronologia

Decreto de 16-06-1910, DG, n.º 136, de 23-06-1910 (ver Decreto)

ZEP

-

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido em ZEP ou ZP

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

Classificada como "Monumento Nacional" em 1910, a "Anta de Pavia" foi erguida entre o IV milénio a. C. e o III milénio a. C de modo relativamente isolado numa planície de Mora, enquadrando-se cronologicamente no entendimento generalizado de "Megalitismo eborense", cujo exemplar mais notável é geralmente atribuído à "Anta Grande da Comenda da Igreja", localizada em Montemor-o-Novo. Transformada em capela consagrada a S. Dinis ou S. Dionísio já em plena centúria de seiscentos, muito possivelmente com base no protótipo da Anta/Capela de S. Brissos, situada em Santiago do Escoural, foi nesta época que passou a centralizar um dos largos da aldeia de Pavia.
Escavada no segundo quartel do século XX por V. C. Pinto da Fonseca Virgílio Correia (1888-1944), foi reaproveitada do primitivo monumento megalítico a câmara sepulcral de planta poligonal com cerca de quatro metros de diâmetro e quase três metros e meio de altura, da qual remanescem in situ sete dos esteios que a comporiam, bem como a respectiva laje de cobertura. Foram, precisamente, estes elementos estruturantes do sepulcro neo-calcolítico que constituíram a base do processo de adaptação da primeva componente funerária megalítica a templo cristão, onde o esteio da cabeceira passou a servir de testeira à capela, numa clara evidência do exercício de um poder manifestado através da religiosidade, que se apropriou de um espaço simbólico e imagético preexistente de profundas e imemoriais raízes cultuais. Foi, assim, que a área ocupada pela câmara sepulcral foi transformada em abside da pequena capela, com altar ladeado de azulejaria lisbonense setecentista, cuja nave, com apenas um metro de comprimento, foi, de algum modo, vinculada ao corredor que lhe dava acesso, e do qual ainda não foram encontrados quaisquer vestígios. Mas a cristianização do espaço encontra-se sobremaneira vincada na fachada rematada por um dos seus símbolos maiores: a cruz, enquanto um pequeno campanário sobressaí da cobertura.
[AMartins]

Imagens

Bibliografia

Título

Die Megalithgraber der Iberischen Halbinsel: der Westen, Madrider Forschungen

Local

Berlim

Data

1959

Autor(es)

LEISNER, Vera, LEISNER, Georg Klaus

Título

El mudejarismo en la arquitectura portuguesa de la epoca manuelina

Local

Madrid

Data

1955

Autor(es)

PEREZ EMBID, Florentino

Título

Antas-capelas e capelas junto a antas no território português: elementos para o seu estudo, A Cidade de Évora, 2ª série, nº1, pp.287-329

Local

Évora

Data

1996

Autor(es)

SARANTOPOULOS, Panagiotis, BALESTEROS, Carmen, OLIVEIRA, Jorge de

Título

Some new views of the engraved slate plaques of southwest Iberia, Revista Portuguesa de Arqueologia

Local

Lisboa

Data

2002

Autor(es)

LILLIOS, Katina Tobias

Título

Sítios arqueológicos visitáveis em Portugal, Al-madan

Local

-

Data

-

Autor(es)

-

Título

Distrito de Évora: Concelhos de Arraiolos, Estremoz, Montemor-o-Novo, Mora e Vendas Novas, Inventário Artístico de Portugal

Local

Lisboa

Data

1975

Autor(es)

ESPANCA, Túlio

Título

Povoamento megalítico de Pavia. Contributo para o conhecimento do megalitismo regional

Local

Lisboa

Data

1996

Autor(es)

ROCHA, Leonor

Título

El neolítico de Pavía (Alentejo-Portugal)

Local

Madrid

Data

1921

Autor(es)

CORREIA, Vergílio

Título

Viagens de Portugal, de Manuel Severim de Faria

Local

Lisboa

Data

1974

Autor(es)

SERRÃO, Joaquim Veríssimo