Saltar para o conteúdo principal da página

Convento de São João de Tarouca, com todos os elementos que ainda possui - detalhe

Designação

Designação

Convento de São João de Tarouca, com todos os elementos que ainda possui

Outras Designações / Pesquisas

Mosteiro de São João de Tarouca / Convento e Igreja de São João de Tarouca / Mosteiro e Igreja de São João de Tarouca (Ver Ficha em www.monumentos.gov.pt)

Categoria / Tipologia

Arquitectura Religiosa / Convento - Itinerário de Cister

Inventário Temático

Itinerários de Cister

Localização

Divisão Administrativa

Viseu / Tarouca / São João de Tarouca

Endereço / Local

Rua da Igreja
São João de Tarouca

Proteção

Situação Actual

Classificado

Categoria de Protecção

Classificado como MN - Monumento Nacional

Cronologia

Decreto n.º 95/78, DR, I Série, n.º 210, de 12-09-1978 (esclareceu que a classificação passa a abranger o Convento de São João de Tarouca, com todos os elementos que ainda possui) (ver Decreto)
Decreto n.º 40 684, DG, I Série, n.º 146, de 13-07-1956 (classificou a Igreja de São João de Tarouca) (ver Decreto)

ZEP

Portaria n.º 189/99, DR, II Série, n.º 56, de 8-03-1999 (sem restrições)

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido em ZEP ou ZP

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

Durante muito tempo considerado a mais antiga fundação cisterciense em Portugal, estudos recentes vieram retirar-lhe esse estatuto, em benefício da comunidade de São Cristóvão de Lafões, vinculada a Cister a partir de, provavelmente, 1137 (Cfr. REAL, 1998, p.43). Tal facto, todavia, não implica uma eventual secundarização de Tarouca, cujas características revelam exemplarmente a revolução que, no século XII, os cistercienses operaram no panorama construtivo nacional. E se, em Lafões, o mosteiro medieval não sobreviveu até hoje, em Tarouca conserva-se ainda o essencial da obra original.
Ao que tudo indica, os primeiros monges fixaram-se neste ponto do rio Varosa por 1140, ano em que D. Afonso Henriques passou carta de couto a uma comunidade observante da regra de São Bento. Quatro anos mais tarde, o mesmo monarca doou o couto de Santa Eulália aos monges de Tarouca, documento onde se refere, expressamente, que a instituição se regia secundum Ordinem Cisterciensium (IDEM, 1998, p.44).
O ritmo da construção do edifício (ou, pelo menos, da sua igreja) foi bastante rápido. Através de duas epígrafes, sabemos que a primeira pedra do actual edifício terá sido lançada em 1154 e que este foi dedicado em 1169, pelo arcebispo de Braga, D. João Peculiar. Em aproximadamente quinze anos, a comunidade estava apta a celebrar os seus ofícios e, por essa mesma altura, os trabalhos nas dependências conventuais deveriam correr a bom ritmo.
Estilisticamente, Tarouca integra-se no vocabulário cisterciense da primeira época, fortemente marcado por "exigências de austeridade e de isolamento (...) do rigor e do perfeito" (ALMEIDA, 2001, p.135). Não espanta, por isso, a sua simplicidade estrutural e planimétrica, valores reforçados pela quase total ausência de decoração e, até, de suportes, limitando-se o conjunto ao essencial. Com a sua cabeceira tripartida escalonada (de testeiras rectas), transepto saliente e corpo igualmente tripartido de cinco tramos, o templo é integralmente coberto por abóbadas de berço quebrado, cuja sistemática aplicação reforça a unidade do conjunto.
Alguns autores, baseados numa lápide entretanto desaparecida, atribuíram o projecto a um enigmático Ioannes Foylaci de Tarauca (FERNANDES, 1970). A verdade, todavia, é que estamos perante um arquitecto que conhecia bem as obras cistercienses borgonhesas, eventualmente Claraval II (ALMEIDA, 2001, p.136), devendo o referido João Froilaz ser um importante nobre regional, que terá custeado parte da obra, processo de associação tão comum entre os cistercienses (REAL, 1998, p.76). A concentração de siglas, nas paredes do mosteiro, mostra uma forma de trabalho distinta da seguida em praticamente todo o nosso românico, sendo este mais um argumento para a importação do plano e dos canteiros, eventualmente os próprios monges.
Ao longo da Baixa Idade Média, Tarouca foi um dos mais importantes estabelecimentos monacais nacionais. Aqui se fez sepultar o Conde de Barcelos, D. Pedro, filho bastardo de D. Dinis, num monumental túmulo de granito, decorado com cenas de caça nos faciais, tema característico de uma nobreza fundiária em busca de prestígio social e legitimação.
As grandes transformações aconteceram nos séculos XVII e XVIII, períodos em que se desenvolveram grandes programas de actualização estética e funcional do conjunto. À fachada principal foi acrescentado o actual portal, maneirista, encimado por nicho com a imagem de São João, e os dois janelões barrocos. No interior, destaca-se o retábulo-mor de talha dourada, datado de 1702, e o órgão de tubos, de meados do século. Destes períodos é igualmente a reforma do claustro e das alas monacais.
Sujeito a um parcial restauro nos anos 30 e 40 do século XX, Tarouca é actualmente objecto de um estudo integrado que visa esclarecer os pontos essenciais da sua história medieval, com particular incidência para a hipótese de assentamentos pré-cistercienses e para o seu território baixo-medieval.
PAF

Imagens

Bibliografia

Título

Portugal roman, vol. I

Local

-

Data

1986

Autor(es)

GRAF, Gerhard N.

Título

História da Arte em Portugal - O Românico

Local

Lisboa

Data

2001

Autor(es)

ALMEIDA, Carlos Alberto Ferreira de

Título

O mundo românico (séculos XI-XIII), História da Arte Portuguesa, vol.1, Lisboa, Círculo de Leitores, 1995, pp.180-331

Local

Lisboa

Data

1995

Autor(es)

RODRIGUES, Jorge

Título

Acção dos Cistercienses de Tarouca (as granjas nos séculos XII e XIII), Revista de Guimarães, nº83

Local

Guimarães

Data

1974

Autor(es)

FERNANDES, A. de Almeida

Título

Taroucae Monumenta Historica, 3 vols.

Local

Braga

Data

1992

Autor(es)

FERNANDES, A. de Almeida

Título

Arquitectura, medida e número na igreja de São João de Tarouca (Portugal), Cistercium, nº208, pp.431-456

Local

-

Data

1997

Autor(es)

JORGE, Virgolino Ferreira

Título

O património do mosteiro cisterciense de São João de Tarouca nos séculos XII e XIII, Actas del Congreso Internacional sobre San Bernardo e o Cister en Galicia e Portugal, vol. I

Local

Ourense

Data

1992

Autor(es)

MATOS, J. Cunha de, MARREIROS, R.

Título

Arqueologia dos espaços cistercienses no Vale do Douro, Cister no Vale do Douro, pp.189-242

Local

Porto

Data

1999

Autor(es)

TEIXEIRA, Ricardo Jorge Coelho Marques Abrantes

Título

D. Pedro, Conde de Barcelos, e a escolha de São João de Tarouca como «locus» sepulcral, Cister. Espaços, Territórios, Paisagens, pp.443-450

Local

Lisboa

Data

2000

Autor(es)

FERNANDES, Carla Varela

Título

Sarcófago do Conde D. Pedro, Nos Confins da Idade Média, pp.137-138

Local

Porto

Data

1992

Autor(es)

BARROCA, Mário Jorge

Título

A Montaria na Escultura Tumular. Subsídios para o estudo do baixo-relevo historiado, Panorama, IV série, nº 20, pp. 29-40.

Local

Lisboa

Data

1960

Autor(es)

RIBEIRO, Margarida

Título

A intervenção arqueológica no mosteiro de S. João de Tarouca: 1998-2001, Estudos/Património, n.º 2, pp. 33-42

Local

Lisboa

Data

2002

Autor(es)

CASTRO, Ana Sampaio, SEBASTIAN, Luís

Título

A construção cisterciense em Portugal durante a Idade Média, Arte de Cister em Portugal e na Galiza, catálogo de exposição, pp.43-96

Local

Lisboa

Data

1998

Autor(es)

REAL, Manuel Luís

Título

Perspectivas para o estudo arqueológico dos estabelecimentos cistercienses do vale do Varosa (Tarouca) (1998), Cister. Espaços, Territórios, Paisagens, pp.505-516

Local

Lisboa

Data

2000

Autor(es)

TEIXEIRA, Ricardo Jorge Coelho Marques Abrantes, RODRIGUES, Miguel Carlos Lopes Brandão Areosa, TORRE RODRIGUEZ, José Ignacio de la

Título

Intervenção arqueológica no Mosteiro de São João de Tarouca, Cister no Vale do Douro, pp.222-225

Local

Porto

Data

1999

Autor(es)

TEIXEIRA, Ricardo Jorge Coelho Marques Abrantes, RODRIGUES, Miguel Carlos Lopes Brandão Areosa, CASTRO, Ana Sampaio, SEBASTIAN, Luís

Título

Notes sur l'architecture et le décor dans les Abbayes cisterciennes du Portugal

Local

Paris

Data

1972

Autor(es)

COCHERIL, Maur

Título

Mosteiro de S. João de Tarouca: 700 anos de História da cerâmica, Estudos/Património, n.º 3, pp.165-177

Local

Lisboa

Data

2002

Autor(es)

CASTRO, Ana Sampaio, SEBASTIAN, Luís

Título

A expansão da arquitectura borgonhesa e os mosteiros de Cister em Portugal. Ensaio de arqueologia da Idade Média

Local

Lisboa

Data

1956

Autor(es)

GUSMÃO, Artur Nobre de

Título

Resultado preliminar da intervenção arqueológica no Mosteiro de S. João de Tarouca: 1998 - 2002, Actas do Seminário Internacional Tarouca e Cister - Espaço, Espírito e Poder, pp.163-187

Local

Tarouca

Data

2004

Autor(es)

CASTRO, Ana Sampaio, SEBASTIAN, Luís

Título

A componente de desenho cerâmico na intervenção arqueológica no Mosteiro de S. João de Tarouca, Revista Portuguesa de Arqueologia, Vol. VI. n.º 2, pp. 545-560

Local

Lisboa

Data

2003

Autor(es)

CASTRO, Ana Sampaio, SEBASTIAN, Luís

Título

A faiança de revestimento dos séculos XVII e XVIII no Mosteiro de S. João de Tarouca (Intervenção arqueológica 1998-2001), Estudos/Património, n.º 4. pp. 168-179

Local

Lisboa

Data

2003

Autor(es)

CASTRO, Ana Sampaio, SEBASTIAN, Luís

Título

A componente de conservação cerâmica na intervenção arqueológica no Mosteiro de S. João de Tarouca: 1998-2002, Revista Portuguesa de Arqueologia, Vol. VII. n.º 1. 653-669

Local

Lisboa

Data

2004

Autor(es)

FONSECA, J., CASTRO, Ana Sampaio, SEBASTIAN, Luís

Título

Uma nova inscrição do século XIII no Mosteiro de S. João de Tarouca, Estudos/Património, n.º 5, pp. 96-105

Local

Lisboa

Data

2003

Autor(es)

BARROCA, Mário Jorge, CASTRO, Ana Sampaio, SEBASTIAN, Luís

Título

Materiais líticos no quotidiano do Mosteiro de S. João de Tarouca, Património - Estudos, nº7, pp.112-124

Local

Lisboa

Data

2004

Autor(es)

CATARINO, Lídia, CASTRO, Ana Sampaio, SEBASTIAN, Luís

Título

Routier des abbayes cisterciennes du Portugal

Local

Paris

Data

1986

Autor(es)

COCHERIL, Maur

Título

Manuelino. À descoberta da arte do tempo de D. Manuel I

Local

Lisboa

Data

2002

Autor(es)

DIAS, Pedro

Título

Epigrafia medieval portuguesa (862-1422)

Local

Lisboa

Data

2000

Autor(es)

BARROCA, Mário Jorge

Título

Os quadros da Sé de Viseu. Sua relação com os de Santa Cruz de Coimbra e de São João de Tarouca

Local

Porto

Data

1925

Autor(es)

MOREIRA, Francisco de Almeida

Título

História da Arte em Portugal, vol. 3 (o Românico)

Local

Lisboa

Data

1986

Autor(es)

ALMEIDA, Carlos Alberto Ferreira de

Título

Três túmulos

Local

Lisboa

Data

1924

Autor(es)

CORREIA, Vergílio

Título

Mosteiro de São João de Tarouca

Local

Lisboa

Data

2001

Autor(es)

RODRIGUES, Miguel Carlos Lopes Brandão Areosa

Título

Dados para o estudo da estratégia de implantação do Mosteiro de São João de Tarouca, Revista Património - Estudos, nº8, pp.203-211

Local

Lisboa

Data

2005

Autor(es)

CASTRO, Ana Sampaio, SEBASTIAN, Luís