Saltar para o conteúdo principal da página

Castelo de Pinhel e uma moradia anexa - detalhe

Designação

Designação

Castelo de Pinhel e uma moradia anexa

Outras Designações / Pesquisas

Castelo de Pinhel / Castelo e cerca urbana de Pinhel (Ver Ficha em www.monumentos.gov.pt)

Categoria / Tipologia

Arquitectura Militar / Castelo

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Guarda / Pinhel / Pinhel

Endereço / Local

- -
Pinhel

Proteção

Situação Actual

Classificado

Categoria de Protecção

Classificado como MN - Monumento Nacional

Cronologia

Decreto n.º 37 801, DG, I Série, n.º 78, de 2-05-1950 (ver Decreto)

ZEP

Portaria de 15-12-1962, publicada no DG, II Série, n.º 8, de 10-01-1963 (sem restrições)

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido em ZEP ou ZP

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

No local onde se ergue o Castelo de Pinhel existia, desde a época pré-romana, um recinto fortificado. Com D. Afonso Henriques esta área assumiu um papel de destaque na reconquista cristã, papel reconhecido e sublinhado por D. Sancho I, em 1189, com a atribuição de carta de foral a Pinhel, à qual se seguiu a construção do castelo.
A estruturação deste complexo fortificado tem ainda continuidade durante o reinado de D. Afonso II, sendo o conjunto reconstruído e alargado no reinado de D. Dinis. De facto, entre o último quartel do século XII e o primeiro quartel do século XIII, seis torres de planta quadrada são construídas (e posteriormente consolidadas aquando da confirmação de foral em 1510, por D. Manuel), às quais correspondem seis entradas rematadas com arcos a pleno centro e quebrado: Porta da Vila, de Santiago, de Marrocos, de São João, de Alvacar e de Marialva. Durante o reinado de D. Dinis foi ainda restaurada a muralha envolvente, e mais tarde, no contexto da Guerra da Restauração, o castelo sofreu novas obras de melhoramento.
A construção, de planta oval, denuncia actuamente um formulário manuelino, corroborado pela janela mainelada e pela janela de lintel recto rasgadas nas duas torres com matacães que ainda subsistem no recinto da cidadela, uma das quais a Torre de Menagem.
A classificação inclui ainda uma moradia anexa, de carácter rústico, que se encontra adossada a uma das torres.
Sílvia Leite / DIDA - IGESPAR, I.P. / 2009

Imagens

Bibliografia

Título

Portugal antigo e moderno: diccionario geographico, estatistico, chorographico, heraldico, archeologico, historico, biographico e etymologico de todas as cidades, villas e freguezias de Portugal e de grande numero de aldeias...

Local

Lisboa

Data

1990

Autor(es)

PINHO LEAL, Augusto Soares d'Azevedo Barbosa de, FERREIRA, Pedro Augusto

Título

Os mais belos castelos e fortalezas de Portugal

Local

Lisboa

Data

1986

Autor(es)

GIL, Júlio, CABRITA, Augusto

Título

Dicionário Histórico e Documental dos Arquitectos, Engenheiros e Construtores Portugueses

Local

Lisboa

Data

1988

Autor(es)

VITERBO, Francisco M. de Sousa

Título

Castelos da Raia Vol. I: Beira

Local

Lisboa

Data

1996

Autor(es)

GOMES, Rita Costa

Título

Manuelino. À descoberta da arte do tempo de D. Manuel I

Local

Lisboa

Data

2002

Autor(es)

DIAS, Pedro

Título

Pinhel Falcão

Local

Celorico da Beira

Data

1943

Autor(es)

MARTA, Ilídio