Saltar para o conteúdo principal da página

Antiga Sacristia da Igreja de Santo Antão-o-Novo - detalhe

Designação

Designação

Antiga Sacristia da Igreja de Santo Antão-o-Novo

Outras Designações / Pesquisas

Antiga capela do Hospital de São José / Colégio de Santo Antão-o-Novo / Hospital de São José (Ver Ficha em www.monumentos.gov.pt)

Categoria / Tipologia

Arquitectura Religiosa / Igreja

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Lisboa / Lisboa / Arroios

Endereço / Local

Rua José António Serrano
Lisboa

Proteção

Situação Actual

Classificado

Categoria de Protecção

Classificado como MN - Monumento Nacional

Cronologia

Decreto n.º 22 502, DG, I Série, n.º 102, de 10-05-1933 (ver Decreto)

ZEP

Despacho de 18-10-2011 do diretor do IGESPAR, I.P. a concordar com o parecer e a devolver o processo à DRC de Lisboa e Vale do Tejo para apresentar propostas de ZEP individuais, ou conjuntas nos casos em que tal se justifique
Parecer de 10-10-2011 da SPA do Conselho Nacional de Cultura a propor o arquivamento
Proposta de 22-08-2006 da DR de Lisboa para a ZEP conjunta do Castelo de São Jorge e restos das cercas de Lisboa, Baixa Pombalina e imóveis classificados na sua área envolvente

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

Antiga Sacristia da Igreja do Colégio Jesuíta de Santo Antão-o-Novo foi construída no séc. XVII, segundo risco de João Antunes. O templo sofreu diversas alterações, quer fruto de diferentes campanhas de obras, quer em consequência dos danos provocados pelo terramoto de 1755. A sacristia então transformada em capela regressaria ao culto em 1930 após ter servido de arrecadação ao Hospital de Todos os Santos (actual Hospital de São José), entretanto aí instalado.
De característica arquitectura barroca, o espaço da actual capela é de planta rectangular, apresentando uma simetria e equilíbrio dignos de realce nos alçados interiores, finalizando na cobertura abobadada de cantaria, marcada por caixotões. As cabeceiras encontram-se articuladas por duas colunas compósitas de fustes estriados - assentes num soco elevado -, apresentando a sua parte inferior caneluras preenchidas por filetes. Ao contrário destas colunas, que possuem no seu fundo pilastras lisas com capitéis estriadas, as dos alçados laterais são substituídas por pilastras adossadas, sobre as quais encontra-se o entablamento que suporta a abóbada profusamente decorada com um friso de embutidos.
Merece destaque todo o revestimento a mármores coloridos, assim como os arcazes existentes. SML

Imagens