Saltar para o conteúdo principal da página

Ponte de Pedra, sobre o rio Tuela - detalhe

Designação

Designação

Ponte de Pedra, sobre o rio Tuela

Outras Designações / Pesquisas

Ponte Românica sobre o rio Tuela / Ponte de Torre de Dona Chama (Ver Ficha em www.monumentos.gov.pt)

Categoria / Tipologia

Arquitectura Civil / Ponte

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Bragança / Mirandela / Torre de Dona Chama

Endereço / Local

EN 206, entre Torre de D. Chama e Valpaços, a 3 km a W de Torre de D. Chama
-

Proteção

Situação Actual

Classificado

Categoria de Protecção

Classificado como MN - Monumento Nacional

Cronologia

Decreto n.º 28/82, DR, I Série, n.º 47, de 26-02-1982 (ver Decreto)

ZEP

-

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido em ZEP ou ZP

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

Situa-se sobre o rio Tuela, a cerca de três quilómetros da sede de freguesia da Torre de D. Chama, e tem ainda utilização rodoviária, servindo como travessia à EN 206, entre a primeira localidade e Valpaços.
Terá sido inicialmente uma construção romana que sofreu posteriores alterações que no entanto não lhe retiraram o nem o seu carácter nem a sua qualidade arquitectónica.
Esta monumental ponte em alvenaria de cantaria de granito é constituída por seis arcos de volta perfeita, com um raio de cerca de 4,4m, reforçados, junto aos pegões, por talhamares que atingem a cota do tabuleiro e que acabam por funcionar também como contrafortes da estrutura. As aduelas dos arcos encontram-se colocadas em cunha sendo bem visíveis as marcas de forfex.
O seu tabuleiro rectilíneo e horizontal, protegido lateralmente por guardas, tem cerca de 100m de comprimento por uma largura de 6,3m e encontra-se a uma altura de cerca de 6,5m acima do leito do rio.
Eventualmente, esta ponte, junto da qual se encontrou um marco miliário anepígrafo, integraria a via romana que das actuais Léon e Astorga se dirigia a Zamora e Salamanca.
Durante a Idade Média passaria por aqui um importante eixo viário regional que de Guimarães se dirigia a Bragança. A leste encontra-se ainda o troço de um caminho empedrado com cerca de 800m de comprimento e que se bifurcava a cerca de 300m da ponte.
[JAMarques]

Imagens

Bibliografia

Título

Pontes Antigas Classificadas

Local

Lisboa

Data

1998

Autor(es)

RIBEIRO, Aníbal Soares

Título

Pontes romanas de Portugal

Local

Lisboa

Data

1999

Autor(es)

PINTO, Paulo Mendes