Saltar para o conteúdo principal da página

Paços da Universidade de Coimbra - detalhe

Designação

Designação

Paços da Universidade de Coimbra

Outras Designações / Pesquisas

Paços das Escolas / Universidade de Coimbra (Ver Ficha em www.monumentos.gov.pt)

Categoria / Tipologia

Arquitectura Civil / Paço

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Coimbra / Coimbra / Coimbra (Sé Nova, Santa Cruz, Almedina e São Bartolomeu)

Endereço / Local

-- na Cidade Universitária
Coimbra

Proteção

Situação Actual

Classificado

Categoria de Protecção

Classificado como MN - Monumento Nacional

Cronologia

Decreto de 16-06-1910, DG, n.º 136, de 23-06-1910 (ver Decreto)

ZEP

Despacho de 18-02-2010 do director do IGESPAR, I.P. a devolver o processo à DRC do Centro
Parecer de 20-01-2010 do Conselho Consultivo a propor que seja apresentada nova proposta
Proposta de 9-11-2009 da DRC do Centro para a ZEP dos imóveis classificados e em vias de classificação do Centro Histórico de Coimbra

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido em ZEP ou ZP

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

Situados na parte alta da cidade, na zona da antiga alcáçova, a dominar a cidade, com amplas vistas panorâmicas sobre a mesma e o Mondego, os Paços da Universidade de Coimbra, que começaram a ser construídos no século XIII, albergam hoje, para além de instalações académicas, a Biblioteca da Universidade e o Museu de Arte Sacra.
Trata-se de uma arquitectura civil residencial, educativa e científica, na qual predominam os estilos gótico, manuelino, renascentista, maneirista, barroco, pombalino e neoclássico.
A Universidade de Coimbra é uma das mais antigas da Europa. Fundada em Lisboa em 1290, foi transferida definitivamente para Coimbra no século XVI, instalando-se no Paço Real. O edifício apenas passou a pertencer à universidade em 1597, data em que esta instituição o adquiriu, durante o domínio filipino, ao Monarca Filipe II, I de Portugal.
Dentro do complexo, destaque para a Biblioteca Joanina, construída no século XVIII (1717), no reinado de D. João V. Tem um portal nobre de estilo barroco, encimado por um escudo nacional. O interior é formado por três salas comunicantes por arcos de estrutura idêntica à do portal. As paredes são cobertas de estantes de dois andares, em madeiras exóticas, douradas e policromadas executadas por Manuel da Silva - pintor régio. Sublinhe-se ainda a Capela de São Miguel com a fachada de estilo manuelino, mandada construir entre 1517 e 1522, com remodelações nos séculos XVII e XVIII. Tem portal principal manuelino da autoria de Marcos Pires e Diogo de Castilho, porta de acesso neoclássica, de 1780, retábulo principal de talha dourada onde se destacam pinturas maneiristas sobre a vida de Cristo atribuídas a Simão Rodrigues e Domingos Vieira Serrão - obra prima do maneirismo português.
A Sala dos Capelos, antiga sala do trono é, hoje em dia palco da mais importantes cerimónias académicas. Data de meados do século XVII, da autoria do mestre António Tavares. Tem tecto de madeira com pintura de grotescos da autoria de Jacinto da Costa, azulejos tipo "tapete" de fabrico lisboeta e telas régias da autoria de Carlos Falch, João Baptista Ribeiro e Columbano.
Destaque-se ainda a torre, em estilo barroco mafrense, da Escola do arquitecto Ludovice, erigida em 1728-1733.
A Via Latina é uma colunata neoclássica, edificada no século XVIII, no centro da qual existe um conjunto escultórico executado por Laprade em 1700, ao qual se juntou o busto de D. José I e duas figuras alegóricas.
Finalmente, destaque-se a Porta Férrea, entrada nobre do edifício principal da universidade. Data de 1634, maneirista de corrente popular - o que a partir de 1570 é típico da arte de Coimbra. (AMântua)

Imagens

Bibliografia

Título

Manuelino. À descoberta da arte do tempo de D. Manuel I

Local

Lisboa

Data

2002

Autor(es)

DIAS, Pedro

Título

A arquitectura manuelina

Local

Vila Nova de Gaia

Data

2009

Autor(es)

DIAS, Pedro