Saltar para o conteúdo principal da página

Cruzeiro de São Julião - detalhe

Designação

Designação

Cruzeiro de São Julião

Outras Designações / Pesquisas

Cruzeiro de São Julião (Ver Ficha em www.monumentos.gov.pt)

Categoria / Tipologia

Arquitectura Religiosa / Cruzeiro

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Viana do Castelo / Melgaço / Vila e Roussas

Endereço / Local

EN 301
Melgaço

Proteção

Situação Actual

Classificado

Categoria de Protecção

Classificado como MN - Monumento Nacional

Cronologia

Decreto n.º 11 454, DG, I Série n.º 35, de 19-02-1926 (ver Decreto)

ZEP

-

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido em ZEP ou ZP

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

Este cruzeiro está situado na localidade de São Gregório, à saída da freguesia de Vila (Melgaço), antigamente designada por Santa Maria da Porta. Ergue-se diante da pequena capela gótica de São Julião, localizada extra-muros, possivelmente por ter integrado uma gafaria. É provável que anteriormente estivesse no recinto da feira da localidade, uma vez que vária documentação do século XVIII refere a existência de um cruzeiro num Campo da Feira, que seria exterior à vila.
O monumento, de feição gótica tardia, consta de um pequeno soco de três degraus quadrados, sobre o qual se eleva o conjunto da base, fuste e capitel. A base é uma peanha quadrangular, ornamentada com molduras incisas de cantos côncavos e motivos geométricos; tal como o soco, é de factura tardia, talvez datado da época na qual se deu a transferência para a localização actual. O primeiro troço do fuste é composto por um paralelepípedo ao alto, com faces decoradas, terminando numa gola com anel, e continuando daí para cima como coluna de secção circular, lisa e com ligeira entasis, até um terço da altura total, e a partir daí como coluna de secção hexagonal, decorada com boleados em faces alternadas. O capitel é constituído por dois hemisférios um sobre o outro, separados por molduração em duplo anel, sendo a calote inferior decorada com enrolamentos de acanto, e a superior com denteados. Este elemento sustenta uma cruz latina, com braços rematados por florões de talhe redondo, onde se destaca um Cristo encimado por tabuleta inscrita (INRI), ao qual se opõe uma Pietá. Na base da cruz existe ainda um aro ajustado, em ferro forjado, que sustenta um espigão com pequena lanterna. O monumento pode ser facilmente integrado no período manuelino, sendo de realçar a harmonia do conjunto, bem como a qualidade do talhe dos seus elementos originais, inclusivamente das figuras esculpidas. Deve ter sido transferido para a sua posição actual no século XIX. SML