Saltar para o conteúdo principal da página

Mosteiro de Odivelas, compreendendo os túmulos de D. Dinis e de sua filha - detalhe

Designação

Designação

Mosteiro de Odivelas, compreendendo os túmulos de D. Dinis e de sua filha

Outras Designações / Pesquisas

Mosteiro de São Dinis / Mosteiro de S. Bernardo de Odivelas. / Mosteiro de Odivelas / Mosteiro de São Dinis e São Bernardo / Antigo Instituto de Odivelas (Ver Ficha em www.monumentos.gov.pt)

Categoria / Tipologia

Arquitectura Religiosa / Mosteiro

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Lisboa / Odivelas / Odivelas

Endereço / Local

Largo de D. Dinis
Odivelas

Proteção

Situação Actual

Classificado

Categoria de Protecção

Classificado como MN - Monumento Nacional

Cronologia

Decreto de 16-06-1910, DG, n.º 136, de 23-06-1910 (ver Decreto)

ZEP

Portaria n.º 629/2013, DR, 2.ª série, n.º 182, de 20-09-2013 (sem restrições) (ZEP do Mosteiro de Odivelas, do Memorial de Odivelas e da Igreja do Santíssimo Nome de Jesus, Matriz de Odivelas) (ver Portaria)
Anúncio n.º 197/2013, DR, 2.ª série, n.º 107, de 4-06-2013 (ver Anúncio)
Despacho de 25-05-2012 do diretor-geral da DGPC a determinar a audiência dos interessados sobre a ZEP (conjunta) dos três imóveis classificados
Nova proposta de 18-05-2012 da DRC de Lisboa e Vale doTejo (idêntica à anterior)
Despacho de 3-01-2012 do diretor do IGESPAR, I.P. a devolver o processo à DRC de Lisboa e Vale do Tejo
Parecer favorável de 19-12-2011 da SPAA do Conselho Nacional de Cultura, propondo a fixação de três ZEP individuais, mas coincidentes
Proposta de alteração de 22-11-2011 da CM de Odivelas
Declaração de rectificação n.º 1519/2011, DR, 2.ª série, n.º 195, de 11-10-2011 (ver Declaração)
Anúncio n.º 13024/2011, DR, 2.ª série, n.º 180, de 19-09-2011 (ver Anúncio)
Despacho de homologação de 20-01-2010 da Ministra da Cultura
Parecer favorável de 23-04-2008 do Conselho Consultivo do IGESPAR, I.P.
Proposta de 31-03-2005 da DRC de Lisboa e Vale do Tejo para ZEP Conjunta do Mosteiro, da Igreja Matriz e do Memorial de Odivelas

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido em ZEP ou ZP

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

Imóvel
O Mosteiro de S. Dinis e S. Bernardo de Odivelas situa-se no Largo D. Dinis, próximo da zona histórica da cidade e de uma área agricultada. A qualidade dos solos, a presença da Ribeira de Odivelas, bem como o isolamento do sítio na época da fundação do Mosteiro foram sem dúvida fundamentais para a escolha do local.
A edificação deste cenóbio irá iniciar-se em 1295 contando, desde logo, com o apoio da coroa e da nobreza. Dez anos depois era já possível acolher o primeiro grupo de monjas bernardas, devendo-se a orientação da obra, que se prolongou por mais anos, aos arquitetos Antão e Afonso Martins que deixaram as suas siglas em numerosos silhares.
Ponto fulcral dos mosteiros cistercienses, o conjunto de Odivelas estrutura-se em torno do seu claustro, ele próprio estabelecido em função da rede hidrográfica do local. O claustro, por sua vez, determinará também a edificação da igreja do lado Sul, algo pouco comum.
Da primitiva construção pouco resta: apenas a cabeceira da igreja, com seu portal lateral Sul (dotado de narthex) e parte do claustro. A cabeceira integra-se na perfeição no chamado Gótico dionisino, de perfil tripartido (com capela-mor mais ampla e alta que os absidíolos) e de planta exterior poligonal, com contrafortes nos ângulos que permitem a abertura, nos panos médios da capela-mor, de grandes janelões verticais de duplo lume. No interior, a hierarquização destes espaços encontra materialização efetiva na luminosidade, sendo a capela-mor abundantemente iluminada e os absidíolos apenas escassamente, passando aqui os janelões de duplo lume a estreitas frestas verticais, reforçando-se o estatuto das capelas laterais como dependências anexas pela baixa abóbada de cruzaria de ogivas e de nervuras bem salientes.
Ao longo dos séculos, foram muitas as alterações verificadas no conjunto monacal. Logo no século XV (1424), a rainha D. Filipa de Lencastre instituiu uma capela, anexa ao absidíolo Sul e associada ao portal lateral da igreja. A gramática arquitetónica deste espaço é semelhante à da cabeceira, mantendo a planta poligonal, mas os elementos decorativos são diferentes, assim como a dimensão dos vãos. Mais importantes foram as obras quinhentistas, século a que corresponde o Claustro da Moura e diversas obras na parte monacal. Um pouco por todo o mosteiro, encontram-se elementos manuelinos, materiais que provam uma dinâmica construtiva alargada durante a primeira metade do século XVI.
As obras continuaram pelos tempos seguintes, em particular pelos séculos XVII e XVIII. A última grande campanha ocorreu após o terramoto de 1755, altura em que o corpo da igreja abateu e numerosas dependências monacais ficaram afetadas. A reconstrução da igreja privilegiou um espaço amplo, sem divisórias, com arcos extremos de volta perfeita e abatidos, que suportam uma abóbada de lunetas. Neste espaço podem ver-se dois importantes túmulos góticos do século XIV, um dos quais do rei D. Dinis, com jacente e faciais decorados com edículas trilobadas onde se integram religiosos, obra cimeira da nossa arte tumular medieval.

História
A motivação de D. Dinis em fundar um mosteiro cisterciense neste local como ação de graças, encontra eco numa lenda que narra o ataque de um urso quando o monarca passeava sozinho junto à ribeira de Odiana.
Para além das destruições causadas pelos sismos, as invasões francesas deixaram, também, as suas marcas de vandalismo.
Na sequência da morte da última religiosa, em 1886, o Mosteiro é entregue à Fazenda Nacional tendo depois servido de acolhimento às órfãs de oficiais do Exército. Em 1942 é criado o Instituto de Odivelas extinto em 2013.
Dado o mau estado de conservação do túmulo de D. Dinis iniciou-se, no final de 2016, uma intervenção de conservação e restauro com o apoio da Câmara Municipal de Odivelas, Colégio Militar e Direção-Geral do Património Cultural.

Paulo Fernandes/IPPAR/2004/Atualizado por Maria Ramalho/DGPC/2016.

Imagens

Bibliografia

Título

A Arquitectura Gótica em Portugal

Local

Lisboa

Data

1981

Autor(es)

CHICÓ, Mário Tavares

Título

A Arquitectura (1250-1450), História da Arte Portuguesa, dir. Paulo Pereira, vol. I, pp.335-433

Local

Lisboa

Data

1995

Autor(es)

PEREIRA, Paulo

Título

A arquitectura gótica portuguesa

Local

Lisboa

Data

1994

Autor(es)

DIAS, Pedro

Título

Escultura portuguesa funerária do século XV, 3 vols., Dissertação de Mestrado apresentada à Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa

Local

Lisboa

Data

1990

Autor(es)

DIONÍSIO, David

Título

Odivelas. Um mosteiro cisterciense

Local

Odivelas

Data

2001

Autor(es)

TOMÉ, Manuela Maria Justino

Título

Mosteiro de Odivelas, Ocidente, vol.IX

Local

Lisboa

Data

1886

Autor(es)

BARBOSA, Inácio de Vilhena

Título

Chronicas de Odivellas, Ocidente, vol. IX

Local

Lisboa

Data

1886

Autor(es)

CHAGAS, Pinheiro

Título

O Mosteiro de Odivellas: casos de reis e memorias de freiras

Local

Lisboa

Data

1889

Autor(es)

FIGUEIREDO, Borges de

Título

A expansão da arquitectura borgonhesa e os mosteiros de Cister em Portugal. Ensaio de arqueologia da Idade Média

Local

Lisboa

Data

1956

Autor(es)

GUSMÃO, Artur Nobre de

Título

O Mosteiro de Odivelas no século XIV: património e gestão, Dissertação de Mestrado em História Medieval apresentada à Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa

Local

Lisboa

Data

2000

Autor(es)

PINTO, Margarida Isabel da Silva

Título

Núcleo histórico de Odivelas: caracterização e bases para uma proposta de salvaguarda, 2 vols., Dissertação de Mestrado apresentada à Universidade de Évora

Local

Évora

Data

1997

Autor(es)

LIXA, Florinda

Título

Mosteiro de S. Dinis de Odivelas. Estudo histórico-arquitectónico. Acções para a salvaguarda do património edificacdo, Dissertação de Mestrado apresentada à Universidade de Évora

Local

Évora

Data

1995

Autor(es)

TOMÉ, Manuela Maria Justino

Título

Contribuição para o estudo dos azulejos do Instituto de Odivelas

Local

Lisboa

Data

1986

Autor(es)

SARAIVA, Carlota Abrantes

Título

O Instituto de Odivelas. Breve notícia histórica

Local

Lisboa

Data

1978

Autor(es)

SARAIVA, Carlota Abrantes

Título

A rainha D. Filipa de Lencastre no Mosteiro de Odivelas, Olisipo, nº 120

Local

Lisboa

Data

1967

Autor(es)

MACHADO, J. T. Montalvão

Título

D. Dinis e o Mosteiro de Odivelas, Catálogo de exposição

Local

Odivelas

Data

1961

Autor(es)

AZEVEDO, Maria Antonieta Soares de

Título

As inscrições lapidares do Mosteiro de Odivelas, Anais da Academia Portuguesa de História, nº10, pp.39-109

Local

Lisboa

Data

1960

Autor(es)

SOUSA, J. M. Cordeiro de

Título

Routier des abbayes cisterciennes du Portugal

Local

Paris

Data

1986

Autor(es)

COCHERIL, Maur

Título

A escultura em Portugal (séculos XII-XV)

Local

Lisboa

Data

1948

Autor(es)

SANTOS, Reinaldo dos

Título

Três túmulos

Local

Lisboa

Data

1924

Autor(es)

CORREIA, Vergílio

Título

História da Arte em Portugal, vol. IV (O Gótico)

Local

Lisboa

Data

1986

Autor(es)

DIAS, Pedro

Título

O claustro da Sé de Lisboa: uma arquitectura «cheia de imperfeições»?, Murphy, nº1, pp.18-69

Local

Coimbra

Data

2006

Autor(es)

FERNANDES, Paulo Almeida