Saltar para o conteúdo principal da página

Chafariz de Borba - detalhe

Designação

Designação

Chafariz de Borba

Outras Designações / Pesquisas

Categoria / Tipologia

Arquitectura Civil / Chafariz

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Évora / Borba / Borba (Matriz)

Endereço / Local

Rua das Casas Novas
Borba

Proteção

Situação Actual

Classificado

Categoria de Protecção

Classificado como MN - Monumento Nacional

Cronologia

Decreto de 16-06-1910, DG, n.º 136, de 23-06-1910 (ver Decreto)

ZEP

Parecer favorável de 23-02-2011 da SPAA do Conselho Nacional de Cultura
Nova proposta de 12-11-2010 da DRC do Alentejo
Devolvido à DRC do Alentejo por despacho de 11-02-2010 do director do IGESPAR, I.P., para aplicação do Decreto-Lei n.º 309/2009, DR, 1.ª série, n.º 206 de 23-10-2009 (ver Diploma)
Proposta de 10-12-2009 da DRC do Alentejo para a ZEP dos imóveis classificados e em vias de classificação da Vila de Borba
CM de Borba enviou documentação em 20-09-2006
DR de Évora solicitou elementos à CM de Borba em 10-03-2003

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido em ZEP ou ZP

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

Mais conhecida como Fonte das Bicas, o Chafariz de Borba é uma imponente construção barroca setecentista, em mármore branco, mandada edificar pelo município da vila em 1781, para assinalar a visita dos reis D. Maria I e D. Pedro III, conforme inscrição que ostenta. São conhecidos os nomes dos seus afamados autores, sendo o desenho da autoria de José Álvares de Barros, engenheiro, e a factura de José Mendes da Silva e António Franco Painho, escultor. Os nomes de António e Angélico Velez, artistas locais, estão também ligados à obra, tendo realizado o exame final da mesma, a pedido do município, no ano de 1785.
A peça levanta-se sobre um estrado lajeado, com acesso por dois degraus contracurvados, e é defendida por um pequeno labirinto de balaústres criando um interessante efeito cénico. Construída em mármore branco da região, é composta por três tanques, um central e de maiores dimensões e dois laterais, sobre as quais pontificam os bustos de D. Maria e D. Pedro. A taça central é servida por três bicas, e as laterais por uma em cada, sendo todas em forma de carranca. O conjunto, todo decorado com grinaldas relevadas e laçadas de sabor neoclássico, é emoldurado por um alto frontispício, que apresenta ao centro um medalhão com a efígie da rainha. A rematar o monumento, em cornija enquadrada por um grande pináculo, destaca-se o escudo régio, coroado. Na face posterior, menos ornamentada, está o brasão de armas setecentista da Vila de Borba. Anexo ao chafariz fica um extenso tanque rectangular, formando um espelho de água que avança pelo Jardim Municipal, e é rematado a sul por um bebedouro para animais e um lavadouro. Integram-se deste modo as serventias públicas básicas no monumento comemorativo, de acordo com a encomenda municipal. SML

Imagens

Bibliografia

Título

Inventário Artístico de Portugal - vol. IX (Distrito de Évora, Zona Sul, volume I)

Local

Lisboa

Data

1978

Autor(es)

ESPANCA, Túlio

Título

Album Alentejano, vol. II

Local

Lisboa

Data

1931

Autor(es)

MURALHA, Pedro

Título

O Concelho de Borba Topografia e História

Local

-

Data

-

Autor(es)

ANSELMO, António Joaquim

Título

Diccionario geografico, ou noticia historica de todas as cidades, villas, lugares, e aldeas, Rios, Ribeiras, e Serras dos Reynos de Portugal e Algarve, com todas as cousas raras, que nelles se encontrão, assim antigas, como modernas, vol. II

Local

Lisboa

Data

1751

Autor(es)

CARDOSO, Pe. Luís

Título

Borba - Património da Vila Branca

Local

Borba

Data

2007

Autor(es)

SIMÕES, João Miguel