Saltar para o conteúdo principal da página

Monumento funerário do Sobral - detalhe

Designação

Designação

Monumento funerário do Sobral

Outras Designações / Pesquisas

Monumento funerário do Sobrado (Marmoiral) / Monumento funerário da Boavista / Marmoiral da Boavista / Monumento Funerário do Sobrado / Memorial da Boavista (Ver Ficha em www.monumentos.gov.pt)

Categoria / Tipologia

Arquitectura Religiosa / Pedras Sepulcrais

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Aveiro / Castelo de Paiva / Sobrado e Bairros

Endereço / Local

- à entrada da Casa da Boavista
Meia Laranja

Proteção

Situação Actual

Classificado

Categoria de Protecção

Classificado como MN - Monumento Nacional

Cronologia

Decreto n.º 37 728, DG, I Série, n.º 4, de 5-01-1950 (ver Decreto)

ZEP

Devolvido em 11-07-2013 à DRCNorte, por despacho da subdiretora-geral da DGPC, para reanálise
Anúncio n.º 13571/2012, DR, 2.ª série, n.º 200, de 16-10-2012 (ver Anúncio)

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido em ZEP ou ZP

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

Um dos mais singulares "marmoriais" medievais do país, cuja construção se situa pela segunda metade do século XII, o monumento funerário do Sobral (ou da Boavista, como também é localmente conhecido) inclui-se numa tipologia patrimonial muito original e cujos escassos testemunhos remanescentes conferem a este exemplo um lugar único na nossa herança comum. Em 1191, de acordo com notícia documental, refere-se um marco delimitador da propriedade de um mosteiro vizinho, onde terá repousado o corpo de D. Mafalda na sua viagem final de Marco de Canaveses até ao Mosteiro de Arouca.
Actualmente monumentalizado por zona verde, este conjunto compõe-se de um bloco granítico horizontal, decorado com cruzes latinas e assente nas extremidades sobre duas estelas funerárias com remate circular. Inferiormente, localiza-se outra laje, em posição horizontal, que sugere tratar-se de um túmulo, decorado com espada e cruz inscrita em círculo, para além de uma diminuta ponta de lança.
Com grande probabilidade, este monumento refere-se ao enterramento de uma figura nobre não identificada, não se confirmando as observações locais que apontam para a tumulação de um cavaleiro templário. Tipologicamente, situa-se num período de transição, entre a sepultura rasa e as realizações tardo-românicas comemorativas do Burgo, Arouca, ou Ermida, Marco de Canaveses.
PAF

Imagens

Bibliografia

Título

Portugal antigo e moderno: diccionario geographico, estatistico, chorographico, heraldico, archeologico, historico, biographico e etymologico de todas as cidades, villas e freguezias de Portugal e de grande numero de aldeias...

Local

Lisboa

Data

1990

Autor(es)

PINHO LEAL, Augusto Soares d'Azevedo Barbosa de, FERREIRA, Pedro Augusto

Título

Inventário Artístico de Portugal - Distrito de Aveiro

Local

Lisboa

Data

1959

Autor(es)

GONCALVES, António Nogueira

Título

Os Marmoirais, Douro Litoral, 1ª. série, nº 5, pp.10-11

Local

Porto

Data

1942

Autor(es)

VITORINO, Pedro

Título

Elementos para a história de Castelo de Paiva

Local

Coimbra

Data

1947

Autor(es)

PINHO, Margarida Rosa Moreira de

Título

Carta arqueológica do Concelho de Castelo de Paiva

Local

Porto

Data

1996

Autor(es)

SILVA, Eduardo Jorge Lopes da, ROCHA, Manuel Joaquim Moreira da, LOUREIRO, Olímpia Maria da Cunha, MONTEIRO, Carla Isabel da Silva Nunes

Título

Lendas e tradições de Castelo de Paiva: poemetos

Local

Castelo de Paiva

Data

1981

Autor(es)

VASCONCELOS, Adriano M. Strecht de

Título

Arte Monumental Portuguesa

Local

Porto

Data

1975

Autor(es)

AZEVEDO, Correia de

Título

Memórias Paroquiais de Castelo de Paiva e Outros Documentos

Local

Castelo de Paiva

Data

1988

Autor(es)

ROCHA, Manuel Joaquim Moreira da, LOUREIRO, Olímpia Maria da Cunha