Saltar para o conteúdo principal da página

Pelourinho de Arraiolos - detalhe

Designação

Designação

Pelourinho de Arraiolos

Outras Designações / Pesquisas

Pelourinho de Arraiolos (Ver Ficha em www.monumentos.gov.pt)

Categoria / Tipologia

Arquitectura Civil / Pelourinho

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Évora / Arraiolos / Arraiolos

Endereço / Local

Praça Dr. Lima e Brito
Arraiolos

Proteção

Situação Actual

Classificado

Categoria de Protecção

Classificado como MN - Monumento Nacional

Cronologia

Decreto de 16-06-1910, DG, n.º 136, de 23-06-1910 (ver Decreto)

ZEP

-

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido em ZEP ou ZP

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

O Pelourinho de Arraiolos levanta-se numa pequena praça, fronteiro ao edifício do antigo Hospital do Espírito Santo e da antiga Casa da Câmara e cadeia comarcã, rodeado pelo típico casario baixo do centro da vila. Foi provavelmente erguido na sequência da doação do segundo foral de Arraiolos, dado por D. Manuel, em 1511, de acordo com a sua feição quinhentista.
O soco é constituído por quatro degraus circulares em calcário, o primeiro dos quais está parcialmente embebido no pavimento, com troços restaurados. Sobre estes assenta uma quinta plataforma circular, formando já a base do monumento, e distinguindo-se dos inferiores por, tal como os restantes elementos, ser em mármore branco de Estremoz. O fuste é dividido sensivelmente a meio por um fino anel, sendo a metade inferior facetada e lisa, e a metade superior torsa, e sinistorum. O capitel é aqui reduzido ao seu modelo mais simples, com coxim circular e ábaco quadrado, de cujas faces laterais partem os quatro braços dos ferros de sujeição, recurvos na base e rematados com cabeças de serpes ou dragões, de onde pendem argolas. O conjunto é rematado por uma esfera lisa, sobre peanha facetada, tendo ambas estado caiadas durante muito tempo (mas não actualmente).
O monumento foi derrubado em 1757, num acto de vandalismo, e terá ficado partido (fuste e remate) na ocasião. Foi reerguido por ordem do rei D. José, no mesmo ano. SML

Imagens

Bibliografia

Título

Inventário Artístico de Portugal - vol. VIII (Distrito de Évora, Zona Norte, volume I)

Local

Lisboa

Data

1975

Autor(es)

ESPANCA, Túlio

Título

Pelourinhos Portugueses, Tentâmen de Inventário Geral

Local

-

Data

-

Autor(es)

-