Saltar para o conteúdo principal da página

Aqueduto de São Sebastião - detalhe

Designação

Designação

Aqueduto de São Sebastião

Outras Designações / Pesquisas

Categoria / Tipologia

Arquitectura Civil / Aqueduto

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Coimbra / Coimbra / Coimbra (Sé Nova, Santa Cruz, Almedina e São Bartolomeu)

Endereço / Local

Largo João Paulo II
Coimbra

Proteção

Situação Actual

Classificado

Categoria de Protecção

Classificado como MN - Monumento Nacional

Cronologia

Decreto de 16-06-1910, DG, n.º 136, de 23-06-1910 (ver Decreto)

ZEP

Despacho de 18-02-2010 do director do IGESPAR, I.P. a devolver o processo à DRC do Centro
Parecer de 20-01-2010 do Conselho Consultivo a propor que seja apresentada nova proposta
Proposta de 9-11-2009 da DRC do Centro para a ZEP dos imóveis classificados e em vias de classificação do Centro Histórico de Coimbra

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

Mandado edificar cerca de 1570 por D. Sebastião, com o objectivo de levar a água da Alta da cidade até à colina que se lhe depara defronte, onde no início do século XVII haveria de se erguer o Convento de Santa Ana, o Aqueduto de São Sebastião estende-se ao longo de um quilómetro, atingindo no seu ponto mais alto treze metros de altura. A robusta edificação é atribuída ao engenheiro Filipe Terzi (DIAS, 1983, p. 88), que terá aproveitado o traçado já existente de um aqueduto romano para a disposição da estrutura quinhentista.
A construção primitiva foi alterada na década de 60 do século XX, com a demolição de um arco e dos edifícios anexos, de forma a possibilitar, nesse local, a abertura de uma praça e respectivo arruamento de acesso. Mantiveram-se vinte arcos, assentes sobre grandes pilares com as faces em degraus, que suportam o canal, coberto por abóbada de berço.
No conjunto destaca-se o arco de honra, em cantaria, ladeado por duas inscrições em latim, emolduradas, que se referem à edificação do aqueduto. Rematado por cornija, em que se insere o escudo de Portugal, ao qual falta a coroa (existente no programa inicial), este arco é encimado por um baldaquino, assente sobre colunelos dóricos e coroado por cúpula e lanternim, que alberga dois nichos com as imagens de São Sebastião e São Roque.
Em 2000 foram levadas a cabo obras de restauro, limpeza e consolidação da estrutura do aqueduto. Durante estes trabalhos, encontraram-se vestígios de policromia, tanto no baldaquino, nomeadamente nas estátuas dos santos e interior da cúpula, como nas letras das inscrições laterais, o que nos dá uma ideia totalmente distinta do programa decorativo primitivo, bem mais festivo e espectacular do que a sua monocromia actual nos permite visualizar.
Catarina Oliveira
DIDA / IGESPAR, I.P.
Abril de 2008

Imagens

Bibliografia

Título

Os Arcos de um certo jardim: O Aqueduto de São Sebastião em Coimbra, in Monumentos

Local

Lisboa

Data

2001

Autor(es)

FERNANDES, Maria

Título

Coimbra - guia para uma visita

Local

Coimbra

Data

2003

Autor(es)

DIAS, Pedro

Título

Coimbra e Região

Local

Lisboa

Data

1987

Autor(es)

BORGES, Nelson Correia

Título

Inventario Artistico de Portugal - Cidade de Coimbra.

Local

Lisboa

Data

1947

Autor(es)

GONCALVES, António Nogueira, CORREIA, Vergílio

Título

Património Edificado com Interesse Cultural - Concelho de Coimbra

Local

Coimbra

Data

2009

Autor(es)

Câmara Municipal de Coimbra - Departamento de Cultura