Saltar para o conteúdo principal da página

Anta da Barrosa - detalhe

Designação

Designação

Anta da Barrosa

Outras Designações / Pesquisas

Categoria / Tipologia

Arqueologia / Anta

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Viana do Castelo / Caminha / Vila Praia de Âncora

Endereço / Local

- -
Lugar da Barrosa

Proteção

Situação Actual

Classificado

Categoria de Protecção

Classificado como MN - Monumento Nacional

Cronologia

Decreto de 16-06-1910, DG, n.º 136, de 23-06-1910 (ver Decreto)

ZEP

-

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido em ZEP ou ZP

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

Situada na povoação de Vila Praia de Âncora, a "Anta da Barrosa" foi objecto de classificação, como "Monumento Nacional", logo em 1910, certamente por constituir o maior e mais bem preservado monumento megalítico de todos quantos foram identificados até à data no Vale de Âncora.
Escavado em 1879 pelo conhecido investigador vimarenense de oitocentos, Francisco Martins de G. M. Sarmento (1833-1899), numa altura em que a temática dolménica assumia proporções verdadeiramente inauditas junto da comunidade científica europeia da época, a anta foi, já em meados do século passado, estudada por João de Castro Nunes.
Trata-se de um monumento constituído, como os demais pertencentes a esta tipologia, por câmara sepulcral de planta poligonal formada por oito esteios e respectiva laje de cobertura - ou "chapéu" -, para além do corredor com cerca de um metro e meio de largura por seis de comprimento, ainda que não pareçam subsistir quaisquer vestígios de mamoa - ou tumulus - que a pudesse cobrir originalmente na totalidade. Estas dimensões estarão, na verdade, na base da hipótese de trabalho levantada pela conhecida arqueóloga alemã Vera Leisner, que inseriu este exemplar na tipologia genérica dos dolmens de corredor do Noroeste Peninsular e, dentro desta, no sub-agrupamento caracterizado pela indiferenciação revelada entre câmara funerária e corredor.
Entretanto, a investigação realizada por J. de Castro Nunes permitiu identificar a existência, na superfície de três lajes, de motivos decorativos típicos deste "mundo dolménico", com serpentiformes e signos em forma de "U", aqui executados através do método da percussão.
O início do século XXI trouxe, contudo, outras novidades relativas à História do sítio, ao serem encontrados vestígios de uma ocupação romana nas suas imediações, ao que tudo indica, entre os séculos I e II d. C., como parece indicar a análise dos fragmentos de cerâmica comum e de alguns materiais de construção, como telha romana - tegulae -, num testemunho mais da reutilização periódica (quando, não mesmo, sistemática) dos mesmos espaços simbólicos para, não apenas, apreender o seu significado preexistente, como sobrepor um novo poder temporal mediante a apropriação (ou, talvez, sobreposição ao) do poder espiritual.
[AMartins]

Imagens

Bibliografia

Título

Monumentos Arqueológicos da Sociedade Martins Sarmento, Revista de Guimarães

Local

Guimarães

Data

1951

Autor(es)

CARDOZO, Mário

Título

Megalitismo do Norte de Portugal: um novo balanço, Portugália

Local

Porto

Data

1984

Autor(es)

JORGE, Vítor de Oliveira

Título

Reflexões sobre a ocupação humana no Douro Litoral, Al-madan

Local

Almada

Data

2000

Autor(es)

STOCKLER, Carla

Título

Nótula sobre o dólmen da Barrosa (Caminha, Viana do Castelo), Cadernos de Arqueologia

Local

Braga

Data

1987

Autor(es)

JORGE, Vítor de Oliveira

Título

Arte megalítica, História de Arte em Portugal

Local

Lisboa

Data

1986

Autor(es)

VILAÇA, Raquel Maria da Rosa

Título

Escavações no dólmen da Barrosa (Âncora) II, Revista de Guimarães

Local

Guimarães

Data

1955

Autor(es)

NUNES, João de Castro

Título

O Dólmen da Barroza. Notícia abreviada deste monumento precedido d'uma descripção da região

Local

Porto

Data

1898

Autor(es)

CARVALHO, Mesquita

Título

Escavações no dólmen da Barrosa (Âncora), Revista de Guimarães

Local

Guimarães

Data

1951

Autor(es)

NUNES, João de Castro

Título

O asturiense em Portugal, Trabalhos da Sociedade Portuguesa de Antropologia e Etnologia

Local

Porto

Data

1928

Autor(es)

PINTO, Rui de Serpa

Título

Guia de Portugal, v.4, t. II : Entre Douro e Minho, Minho

Local

Lisboa

Data

1996

Autor(es)

DIONÍSIO, Sant'Ana