Saltar para o conteúdo principal da página

Capela do Paço da Bemposta - detalhe

Designação

Designação

Capela do Paço da Bemposta

Outras Designações / Pesquisas

Paço e Capela da Bemposta (Ver Ficha em www.monumentos.gov.pt)

Categoria / Tipologia

Arquitectura Religiosa / Capela

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Lisboa / Lisboa / Arroios

Endereço / Local

- Paço da Rainha
Lisboa

Número de Polícia: 25

Proteção

Situação Actual

Classificado

Categoria de Protecção

Classificado como MN - Monumento Nacional

Cronologia

Decreto n.º 5/2002, DR, I Série-B. n.º 42, de 19-02-2002 (ver Decreto)
Despacho de autorização e homologação de 6-10-1998 do Ministro da Cultura
Despacho de concordância de 23-09-1998 do vice-presidente do IPPAR
Proposta de 30-12-1996 da DR de Lisboa para que se proceda apenas à classificação individual da Capela do Paço da Bemposta como MN e não à do conjunto do Paço da Bemposta e torre fronteira como IIP, atendendo a que já estão incluídos no Campo dos Mártires da Pátria, classificado como IIP, não se justificando uma segunda classificação com esse grau
Parecer de 25-10-1994 da 1.ª Secção do Conselho Consultivo do IPPAR para a classificação do conjunto do Paço da Bemposta e torre fronteira como IIP
Proposta de 7-07-1992 da CM de Lisboa para que a classificação inclua o restante conjunto palaciano e a torre fronteira
Edital N.º 98/92 de 4-08-1992 da CM de Lisboa
Edital N.º 128/75 de 31-10-1975 da CM de Lisboa
Despacho de homologação de 6-12-1974
Parecer de 29-11-1974 da 4.ª Subsecção da 2.ª Secção da JNE a propor a classificação da Capela do Paço da Bemposta, com todo o seu recheio artístico (nomeadamente o órgão) como MN
Proposta de 14-04-1974 da DGEMN para a classificação do órgão da capela

ZEP

-

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido em ZEP ou ZP

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

O Paço da Bemposta foi mandado edificar, no início do século XVIII, por D. Catarina, Rainha de Inglaterra, mulher de Carlos II e filha do monarca português D. João IV. Na verdade, a rainha-viúva havia regressado a Portugal em 1693, alguns anos depois da morte do marido, tendo residido em vários palácios de nobres da corte, como o palácio do Conde de Redondo, em Santa Marta, ou o palácio do Conde de Aveiras, em Belém.
Desejando, porém, ter residência própria, D. Catarina adquiriu em 1701 as propriedades do sítio da Bemposta, já fora dos limites da capital na época, e contratou o arquitecto João Antunes para executar a traça do palácio e da respectiva capela, dedicada a Nossa Senhora da Conceição.
Depois da morte da rainha, em 1705, o paço foi transferido para a posse da Coroa, por vontade expressa da proprietária, e no reinado de D. João V, o monarca integrou-o na Casa do Infantado.
O terramoto de 1755 danificou profundamente a estrutura do paço seiscentista, destruindo quase por completo a capela. Assim, foi designado para executar a reconstrução do conjunto Manuel Caetano de Sousa, arquitecto da Casa do Infantado. A capela, na realidade, acabou por ser construída de raiz, embora mantivesse o enquadramento primitivo, sendo considerada a obra "mais equilibrada e mais feliz" (ATAÍDE, 1975, p. 144) daquele que é considerado o último arquitecto barroco.
De planta rectangular, o templo implanta-se perpendicularmente em relação ao paço, apresentando uma imponente fachada, precedida por grande escadaria, com vestíbulo preenchido por estátuas de mármore inseridas em nichos, representando Santa Isabel e São João Baptista, executadas por José de Almeida e Barros Laborão, da Escola de Mafra.
O programa decorativo do espaço interior denuncia a influência de uma das maiores obras do barroco português, a Capela de São João Baptista, da Igreja de São Roque. Na Capela da Bemposta, copiam-se "com inigualável performance" os materiais raros e luxuosos da obra-prima do barroco joanino, modelando-os num gosto rococó tardio, repleto de cor, que se abre a manifestações já neoclássicas.
Destacam-se as pinturas em trompe l'oeil de Pedro Alexandrino, que decoram a abóbada da nave e o tecto da capela-mor, e o grande painel que representa Nossa Senhora da Conceição, colocado no altar-mor, atribuído ao pintor italianio José Troni, sob o qual foi colocado um friso de retratos de elementos da família real, que terão sido executados pelo retratista irlandês Thomas Hickey.
Catarina Oliveira
DIDA/IGESPAR, I.P./ 16 de Outubro de 2007

Imagens

Bibliografia

Título

Bemposta (Paço, Capela Real e Sítio da), Dicionário da História de Lisboa

Local

Lisboa

Data

1994

Autor(es)

PEDREIRINHO, José Manuel

Título

Monumentos e edifícios notáveis do distrito de Lisboa, vol. V (2º tomo)

Local

Lisboa

Data

1975

Autor(es)

ALMEIDA, D. Fernando de