Saltar para o conteúdo principal da página

Ascensor do Lavra e meio urbano que o envolve - detalhe

Designação

Designação

Ascensor do Lavra e meio urbano que o envolve

Outras Designações / Pesquisas

Categoria / Tipologia

Arquitectura Civil / Ascensor

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Lisboa / Lisboa / Santo António

Endereço / Local

Calçada do Lavra
Lisboa

Proteção

Situação Actual

Classificado

Categoria de Protecção

Classificado como MN - Monumento Nacional

Cronologia

Decreto n.º 5/2002, DR, I Série-B. n.º 42, de 19-02-2002 (sem restrições) (ver Decreto)
Edital N.º 17/98 de 16-02-1998 da CM de Lisboa
Edital N.º 95/97 de 7-11-1997 da CM de Lisboa
Despacho de autorização e classificação de 9-04-1997 do Ministro da Cultura
Despacho de concordância de 3-04-1997 do presidente do IPPAR
Parecer de 11-03-1997 da 1.ª Secção do Conselho Consultivo do IPPAR a propor a classificação do Ascensor do Lavra e meio urbano que o envolve como MN
Parecer favorável de 7-10-1996 da CM de Lisboa
Proposta de 1-08-1995 da Companhia Carris de Ferro de Lisboa, SA para a classificação do Ascensor do Lavra

ZEP

-

Zona "non aedificandi"

-

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

Com o dealbar do século XIX, Lisboa viu crescer o seu perímetro urbano e o número de habitantes, o que trouxe a necessidade de melhorar e modernizar a rede de transportes que servia a capital. Este processo implicava pensar na forma de ultrapassar as limitações que a topografia da cidade apresentava, nomeadamente as suas colinas.
Foi neste contexto que surgiram as propostas pioneiras do engenheiro Raul Mesnier du Ponsard, que no último quartel de Oitocentos dotou a capital de nove ascensores. O primeiro a ser construído foi o Ascensor do Lavra, que liga o Largo da Anunciada à Travessa do Forno do Torel, subindo a Calçada do Lavra.
A autorização para a edificação do elevador foi concedida em 1882 pela câmara municipal à Companhia dos Ascensores Mecânicos de Lisboa, e no ano de 1884 o primeiro ascensor lisboeta era inaugurado. Inicialmente, funcionava por cremalheira e por contrapeso de água, e em 1885 foi experimentado um sistema a vapor para a ascensão.
A estrutura do ascensor é constituída por dois carros, que circulam alternadamente em duas vias de carris de ferro, sobre as quais se dispõe o cabo que une as duas composições. No topo do percurso, mantém o pequeno cais de embarque suportado por estrutura de ferro forjado, com dupla escadaria em pedra e plataformas de acesso aos elevadores. As paredes são revestidas por lambril de azulejos.
No ano de 1897 a quebra do cabo que ligava os dois carros provocou a inutilização do ascensor, que se prolongaria por vários anos. Em 1915, o elevador foi totalmente electrificado, retomando a actividade; desde então, o elevador só deixou de funcionar em 2006, por haver o perigo de derrocada de um edifício na Calçada do Lavra. Foi reaberto em Fevereiro de 2007.
Catarina Oliveira
DIDA/ IGESPAR,I.P./ 3 de Outubro de 2007

Imagens

Bibliografia

Título

A Arquitectura do Princípio do Século em Lisboa (1900-1925).

Local

Lisboa

Data

1991

Autor(es)

FERNANDES, José Manuel

Título

Ascensores actuais, Dicionário da História de Lisboa

Local

Lisboa

Data

1994

Autor(es)

ESTRELA, Edite