Saltar para o conteúdo principal da página

Castro de Bagunte / Cividade de Bagunte - detalhe

Designação

Designação

Castro de Bagunte / Cividade de Bagunte

Outras Designações / Pesquisas

Castro de Bagunte / Cividade de Bagunte (Ver Ficha em www.monumentos.gov.pt)

Categoria / Tipologia

Arqueologia / Castro

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Porto / Vila do Conde / Bagunte, Ferreiró, Outeiro Maior e Parada

Endereço / Local

Monte da Cividade
São Mamede

Proteção

Situação Actual

Classificado

Categoria de Protecção

Classificado como MN - Monumento Nacional

Cronologia

Conforme despacho de concordância de 24-11-2017 da diretora-geral da DGPC o processo foi devolvido à DRC do Norte para revisão das restrições
Parecer de 25-10-2017 da SPAA do Conselho Nacional de Cultura a propor a aprovação do alargamento da área classificada e a alteração da denominação e a revisão das restrições
Proposta de 29-08-2016 da DRC do Norte, após parecer favorável de 25-01-2016 da CM de Vila do Conde, para ampliação da classificação como SIN/MN e redenominação para Cividade de Bagunte
Anúncio n.º 16/2016, DR, 2.ª série, n.º 12, de 19-01-2016 (ver Anúncio)
Despacho de 10-11-2015 do diretor-geral da DGPC a determinar a abertura do procedimento de ampliação e redenominação da classificação para Cividade de Bagunte
Proposta de 5-11-2015 da DRC do Norte para ampliação e redenominação da classificação
Despacho de 24-06-2015 do diretor-geral da DGPC a devolver o processo à DRC do Norte para apresentação de proposta de abertura de procedimento de ampliação da classificação
Proposta de 17-06-2015 da DRC do Norte para ampliação da classificação, alteração para SIN / MN e estabelecimento do conteúdo do sítio
Procedimento de ampliação caducado nos termos do artigo 78.º do Decreto-Lei n.º 309/2009, DR, 1.ª série, N.º 206 de 23-10-2009 (ver Diploma) , alterado pelo Decreto-Lei n.º 265/2012, DR, 1.ª série, n.º 251, de 28-12-2012 (ver Diploma)
Procedimento prorrogado até 30-06-2013 pelo Decreto-Lei n.º 265/2012, DR, 1.ª série, n.º 251, de 28-12-2012 (ver Diploma)
Anúncio n.º 13807/2012, DR, 2.ª série, n.º 248, de 24-12-2012 (ver Anúncio)
Parecer favorável de 22-10-2012 da SPAA do Conselho Nacional de Cultura
Procedimento prorrogado pelo Decreto-Lei n.º 115/2011, DR, 1.ª série, n.º 232, de 5-12-2011 (ver Diploma)
Proposta de 16-11-2011 da DRC do Norte para alteração da área classificada
Declaração de rectificação n.º 467/2011, DR, 2.ª série, n.º 39, de 24 de Fevereiro (ver Declaração)
Procedimento prorrogado pelo Despacho n.º 19338/2010, DR, 2.ª série, n.º 252, de 30-12-2010 (ver Despacho)
Despacho de 7-09-2004 do presidente do IPPAR a determinar a abertura do procedimento relativo à eventual alteração da área classificada
Proposta de 13-07-2004 da DR do Porto para abertura do procedimento de alteração da área classificada
Proposta de 12-05-2004 da CM de Vila do Conde, na sequência de deliberação camarária de 22-04-2004, para a alteração da área classificada
Decreto de 16-06-1910, DG, n.º 136, de 23-06-1910 (classificou o Castro de Bagunte) (ver Decreto)

ZEP

Proposta de 29-08-2016 da DRC do Norte, após parecer favorável de 25-01-2016 da CM de Vila do Conde
Sem efeito, face ao procedimento de ampliação da classificação ter caducado (mantém-se a ZEP fixada em 1950)
Anúncio n.º 13807/2012, DR, 2.ª série, n.º 248, de 24-12-2012 (ver Anúncio)
Parecer favorável de 22-10-2012 da SPAA do Conselho Nacional de Cultura
Proposta de 16-11-2011 da DRC do Norte para alteração da ZEP
Portaria de 8-03-1950, publicada no DG, 2.ª série, n.º 69, de 24-03-1950 (com ZNA)

Zona "non aedificandi"

Portaria de 8-03-1950, publicada no DG, 2.ª série, n.º 69, de 24-03-1950

Abrangido em ZEP ou ZP

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

Sítio
Situada no Monte da Soledade, ocupando a elevação mais importante do concelho de Vila do Conde, a Cividade de Bagunte foi classificada em 1910 com a designação de Castro de Bagunte.
É considerada um dos maiores povoados da cultura castreja do Noroeste Peninsular, fundada na Idade do Ferro e, posteriormente, romanizada, tendo sido um importante centro populacional habitado entre os séculos IV a.C. e IV d.C.
As primeiras escavações realizadas no local em 1886, bem como as escavações levadas a cabo em meados do século XX, puseram a descoberto um grande conjunto de estruturas habitacionais e um intrincado sistema defensivo. A área de acrópole atinge os 2 hectares, embora a zona de matagal não permita uma visão global das estruturas existentes.
As mais de duas dezenas de construções que atualmente se encontram visíveis apresentam a tipologia de casa-pátio, de planta circular ou retangular com espaço de pátio, que remontam ao período romano, formando uma planimetria retangular irregular, numa espécie de "quarteirões". Os vestígios destas habitações são ladeados por dois arruamentos, o que faz "supor uma vida urbana organizada com expressão clara na arquitectura" (Pinto: 2004, p. 9). Sob este articulado urbano são detetáveis construções de barro e pedra, bastante mais antigas. O sistema defensivo é complexo e pressupõe a existência de vários níveis de defesa em torno do núcleo habitacional, edificados em fases distintas, observando-se um conjunto de linhas de muralha em torno das habitações.
Campanhas de limpeza dos terrenos realizadas no início do século XXI deixam antever a extensão de uma área de construção muito mais à que se conhece, ainda por escavar.
História
A existência da Cividade de Bagunte foi registada quer em documentos medievais quer nas fontes modernas, embora nem sempre se tenham descrito as estruturas.
O sítio foi visitado pela primeira vez somente nas décadas finais do século XIX; pela primeira vez por Martins Sarmento em 1883 (com dados publicados apenas em 1899), e dois anos depois Ricardo Severo e Arthur Fonseca Cardozo, que lideraram a primeira campanha de escavação no local, cujo relatório foi publicado no ano seguinte. A partir dos dados resultantes destes primeiros estudos, a Cividade de Bagunte foi incluída na lista de imóveis classificados como monumentos nacionais em 1910.
Ao longo dos anos 40 do século XX seriam levadas a cabo as mais significativas campanhas de escavação no local, dirigidas por Fernando Russel Cortez entre 1944 e 1947, que permitiram reconhecer a "dimensão, monumentalidade e importância científica e arqueológica" do sítio de Bagunte (Proposta de ampliação da área classificada, DRCN, 2015, p. 2). Porém, e apesar dos vários artigos científicos produzidos nas quatro décadas seguintes acerca da estação arqueológica e do seu espólio, as escavações não seriam continuadas e o local ficou votado ao abandono, o que levou a uma inevitável degradação do sítio.
Nas décadas de 80 e 90 procederam-se a campanhas de limpeza da vegetação, já orientadas pelo Gabinete de Arqueologia da Câmara Municipal Vila do Conde. Posteriormente, foi criado por este organismo local o Projecto Arqueológico de Bagunte, que retomou as escavações no local, nomeadamente em 2011 e 2013. Estas permitiram uma redefinição da extensão do povoado, bastante mais ampla que a classificada em 1910, pelo que foi proposta no ano de 2015 uma ampliação da área de classificação da cividade.
O Sítio de Bagunte, que integra a Rede de Castros do Noroeste, possui um amplo espólio, resultante das escavações efetuadas no local, que se encontra disperso pelo Gabinete de Arqueologia da Câmara de Vila do Conde, pelo Museu de Antropologia Prof. Mendes Correia (antiga Faculdade de Ciências da Universidade do Porto) e pelo Museu de Etnografia da Cooperativa Agrícola de Vila do Conde.
Catarina Oliveira
DGPC, 2016

Imagens

Bibliografia

Título

Actividad arqueológica de Portugal durante, 1947, Archivo Español de Arqueología

Local

Madrid

Data

1948

Autor(es)

CORTEZ, F. R.

Título

Las Joyas Castreñas

Local

Madrid

Data

1951

Autor(es)

LÓPEZ CUEVILLAS, F.

Título

Cerâmica Castreja, Revista de Guimarães

Local

Guimarães

Data

1974

Autor(es)

ALMEIDA, C. A. F. de

Título

Zur Atlantischen Bronzezeit in Portugal, Germania

Local

-

Data

1980

Autor(es)

KALB, Philine

Título

A Cultura Castreja no Noroeste de Portugal

Local

Paços de Ferreira

Data

1986

Autor(es)

SILVA, Armando Coelho Ferreira da

Título

Noticias archeologicas sobre o Monte da Cividade. Revista de Guimarães, III.

Local

Guimarães

Data

1886

Autor(es)

SEVERO, Ricardo, CARDOZO, Artur

Título

A romanização no concelho de Vila do Conde.

Local

Guimarães

Data

1995

Autor(es)

ALMEIDA, Carlos Alberto Brochado de

Título

El Habitat Castreño. Asentamientos y Arquitectura de los Castros del N. O. Peninsular

Local

Santiago de Compostela

Data

1976

Autor(es)

ROMERO MASIÁ, Ana