Saltar para o conteúdo principal da página

Palácio da Flor da Murta (antigo) - detalhe

Designação

Designação

Palácio da Flor da Murta (antigo)

Outras Designações / Pesquisas

Palácio Flor da Murta(Ver Ficha em www.monumentos.gov.pt)

Categoria / Tipologia

Arquitectura Civil / Palácio

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Lisboa / Lisboa / Misericórdia

Endereço / Local

Rua Poço dos Negros
Lisboa

Número de Polícia: 158

Proteção

Situação Actual

Procedimento encerrado / arquivado - sem protecção legal

Categoria de Protecção

Não aplicável

Cronologia

Edital N.º 20/2006 de 27-03-2006 da CM de Lisboa (publicitou a revogação e informou que o imóvel estav abrangido pela ZGP do Aqueduto das Águas Livres)
Despacho de concordância de 15-01-1998 do Ministro da Cultura (com a consequente revogação do despacho de homologação)
Proposta de 16-12-1997 do IPPAR para a revogação do despacho de homologação de 15-12-1972 do Secretário de Estado da Juventude e Desporto, atendendo a sucessivas obras clandestinas levadas a efeito e à aprovação, por deferimento tácito, pela CM de Lisboa, de um projecto de alterações
Edital N.º 97/77 de 17-10-1977 da CM de Lisboa
Despacho de homologação de 13-11-1973 do Secretário de Estado da Juventude e Desportos
Novo parecer de 9-11-1973 da 4.ª Subsecção da 2.ª Secção da JNE a esclarecer quais os limites do imóvel a classificar
Despacho de homologação de 15-12-1972 do Secretário de Estado da Juventude e Desportos
Parecer de 7-11-1972 da 4.ª Subsecção da 2.ª Secção da JNE a propor a classificação como IIP
Processo iniciado em 1972

ZEP

-

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

O palácio, de construção original quinhentista, foi progressivamente reedificado na sua feição actual, barroca, ao longo dos séculos XVII e XVIII, estando na posse da família dos Meneses, senhores da Flor da Murta. O edifício era de dois pisos, mas no século XIX foi-lhe acrescentado um piso superior. Já no século XX foi desafectada a capela, da invocação de Nossa Senhora de Monserrate, da qual resta o portal encimado por frontão triangular e cruz, na fachada lateral; mais tarde foram também removidos alguns painéis de azulejos. SML