Saltar para o conteúdo principal da página

Igreja de São Romão de Arões - detalhe

Designação

Designação

Igreja de São Romão de Arões

Outras Designações / Pesquisas

Igreja Paroquial de São Romão de Arões / Igreja de São Romão (Ver Ficha em www.monumentos.gov.pt)

Categoria / Tipologia

Arquitectura Religiosa / Igreja

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Braga / Fafe / Arões (São Romão)

Endereço / Local

EN 206, ao km 47,900
-

Proteção

Situação Actual

Classificado

Categoria de Protecção

Classificado como MN - Monumento Nacional

Cronologia

Decreto n.º 14 425, DG, I Série, n.º 228, de 15-10-1927(ver Decreto)

ZEP

Portaria de 19-04-1950, publicada no DG, II Série, n.º 144, de 18-05-1950 (com ZNA)

Zona "non aedificandi"

Portaria de 19-04-1950, publicada no DG, II Série, n.º 144, de 18-05-1950

Abrangido em ZEP ou ZP

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

O templo de São Romão de Arões, uma "(...) obra singularmente importante para a compreensão da evolução e da dinâmica da nossa arquitectura românica rural de toda a área bracarense" (ALMEIDA, 2001, p. 112), foi edificada no segundo quartel do século XIII, tendo sido sagrada em 1237, conforme atesta a inscrição do portal lateral.
Parte da estrutura românica foi alterada no início do século XVIII, numa campanha de obras que visou sobretudo o programa decorativo interior, com a edificação de um novo tecto sobre a nave e a execução dos altares de talha.
A igreja desenvolve-se em planta longitudinal, com fachada principal rasgada ao centro por portal com arco de volta perfeita e tímpano com o relevo de um Agnus Dei . A cornija do edifício assenta sobre uma cachorrada com modilhões de motivos zoomórficos.
O espaço da nave é coberto por tecto de caixotões pintado com motivos de brutesco , possuindo um altar de talha barroca do lado do Evangelho. Junto ao arco triunfal foram dispostos dois retábulos colaterais de talha dourada de estilo nacional.
A capela-mor de planta rectangular, que apresenta nos panos murários vestígios de pintura mural, divide-se em dois tramos cobertos por abóbada de pedra apoiada em grossas colunas. Os capitéis "(...) exibindo animais afrontados ou fitas perlados saindo da boca de bichos, estão na sequência do estilo da segunda fase de Rates", ao passo que os frisos se relacionam com a "gramática decorativa da área de Braga" (Idem, ibidem).
Catarina Oliveira
IPPAR/2006

Imagens

Bibliografia

Título

História da Arte em Portugal - O Românico

Local

Lisboa

Data

2001

Autor(es)

ALMEIDA, Carlos Alberto Ferreira de

Título

Arquitectura Românica de Entre Douro e Minho

Local

Porto

Data

1978

Autor(es)

ALMEIDA, Carlos Alberto Ferreira de

Título

História da Arte em Portugal, vol. 3 (o Românico)

Local

Lisboa

Data

1986

Autor(es)

ALMEIDA, Carlos Alberto Ferreira de

Título

A Igreja Matriz de São Romão de Arões: Fafe e as suas alterações de arquitectura no século XVII (Separata das Actas das Primeiras Jornadas de História Local), pp. 335-366

Local

Fafe

Data

1996

Autor(es)

OLIVEIRA, Eduardo Pires de