Saltar para o conteúdo principal da página

Pelourinho do Fundão - detalhe

Designação

Designação

Pelourinho do Fundão

Outras Designações / Pesquisas

Pelourinho do Fundão (Ver Ficha em www.monumentos.gov.pt)

Categoria / Tipologia

Arquitectura Civil / Pelourinho

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Castelo Branco / Fundão / Fundão, Valverde, Donas, Aldeia de Joanes e Aldeia Nova do Cabo

Endereço / Local

Largo do Município (Largo do Pelourinho)
Fundão

Proteção

Situação Actual

Classificado

Categoria de Protecção

Classificado como MN - Monumento Nacional

Cronologia

Decreto de 16-06-1910, DG, n.º 136, de 23-06-1910 (ver Decreto)

ZEP

-

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido em ZEP ou ZP

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

O Fundão fica situado na Cova da Beira, uma fértil depressão entre as Serras da Gardunha e da Estrela, em pleno Vale do rio Zêzere. A região foi habitada pelo menos desde o Neolítico, existindo muitos vestígios de ocupação na Idade do ferro, bem como na época romana. O povoamento cristão não parece remontar, em escala apreciável, senão a finais do século XII, e data já da centúria seguinte o primeiro testemunho documental da existência de uma localidade com este nome, pertencente a um cavaleiro de nome Martim, O Calvo. Embora a região se tenha desenvolvido com alguma constância ao longo do tempo, foi apenas no século XV que registou um assinalável crescimento económico, ligado às indústrias manufactureiras. No século seguinte, mais concretamente em 1580, o Fundão tomou partido por D. António, Prior do Crato, e na sequência desta afirmação auto-proclamou-se vila, erguendo pelourinho, cadeia e forca, situação que só foi oficializada em 1669. É município desde 1747.
O pelourinho existente é o resultado de uma reconstrução de 1935, aproveitando alguns fragmentos do primitivo, destruído em 1882. Ergue-se diante do edifício da Câmara Municipal, sobre um alto soco de degraus quadrangulares, de arestas salientes e boleadas. Consta de uma base formada por um plinto achatado e um paralelepípedo ao alto, rematado por uma moldura saliente, sobre a qual se ergue o fuste oitavado, e o conjunto do capitel e do remate. O capitel, de estilo coríntio, assenta sobre uma moldura quadrada tripla, e é rematado por uma pinha moldurada, com uma pequena cruz sobre um globo, em ferro. SML

Imagens