Saltar para o conteúdo principal da página

Castelo de Penela - detalhe

Designação

Designação

Castelo de Penela

Outras Designações / Pesquisas

Castelo de Penela (ruínas) (designação do diploma de classificação) (Ver Ficha em www.monumentos.gov.pt)

Categoria / Tipologia

Arquitectura Militar / Castelo

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Coimbra / Penela / São Miguel, Santa Eufémia e Rabaçal

Endereço / Local

-- -
Penela

Proteção

Situação Actual

Classificado

Categoria de Protecção

Classificado como MN - Monumento Nacional

Cronologia

Decreto de 16-06-1910, DG, n.º 136, de 23-06-1910 (ver Decreto)

ZEP

Portaria de 22-04-1958, publicada no DG, II Série, n.º 208, de 5-09-1958 (sem restrições)

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido em ZEP ou ZP

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

Tem-se discutido muito acerca da antiguidade do castelo de Penela, nomeadamente sobre uma possível "torre militar romana", cuja missão seria a de proteger a estrada Mérida-Conímbriga-Braga (GIL, 1986, p.84). A verdade, porém, é que os mais antigos trechos conservados datam de uma época bem avançada, já na segunda metade do século XI.
Com a conquista definitiva de Coimbra, em 1064, Penela transformou-se num ponto fulcral na defesa meridional da cidade, estatuto a que não foi alheia a sua privilegiada localização na estrada que ligava o baixo-Mondego a Pombal e Santarém. Em 1087, na altura de fazer o seu testamento, o alvazil D. Sesnando declarava que havia povoado o local. Tal afirmação "não permite saber quando teria sido conquistado o castelo" (BARROCA, 1990/91, p.105), mas está também longe de confirmar a pré-existência de um reduto fortificado anterior ao governo sesnandino.
A parcela mais antiga da actual fortaleza localiza-se no interior do recinto e é aquela que maiores problemas de caracterização tem motivado ao longo dos anos. Compõe-se de uma cerca que rodeia um "morro calcário (...) talhado artificialmente para dificultar o acesso, sendo criados desníveis virtualmente impossíveis" (IDEM, p.108). Vergílio Correia e António Nogueira Gonçalves (1952, p.206) atribuíram esta insólita solução (que apelidaram de "castelejo") ao século XV, perspectiva depois repetida por ARNAUT e DIAS, 1983, p.38. Este morro acabou por ser convertido em Torre de Menagem do castelo românico e, na Baixa Idade Média, foi objecto de várias reformulações, de que são exemplo as seteiras com troeiras, mas, na sua origem, pelas décadas de 70 e 80 do século XI, constituiu um castelo autónomo, de difícil acesso, tremendamente eficaz para tiro vertical (IDEM, p.108).
Do período pré-românico restam ainda outros vestígios. Junto ao acesso do "castelejo" existem três sepulturas antropomórficas. Elas relacionam-se com outras localizadas no adro da igreja de São Miguel e testemunham a ancestralidade desta igreja (hoje materialmente não documentada pelas reformas posteriores) e da comunidade que aqui se estabeleceu. Na parte extra-muralhas, o actual Jardim da Quinta das Lapas conserva, ainda, restos de habitações rupestres desses primeiros povoadores (IDEM, p.110), resultado da autoridade da Coimbra reconquistada e pró-moçárabe comandada por D. Sesnando.
As primeiras décadas do século XII asseguraram a passagem definitiva para um novo tipo de castelo: o Românico. Essa transformação está documentada em Penela, através de uma radical ampliação do espaço intra-muralhas, consequência da maior importância que a localidade assumiu no contexto de um Portugal independente. As frequentes razias muçulmanas no território a Sul de Coimbra determinaram a fragmentação em vários concelhos e Penela não foi excepção, tendo sido dotada de foral em 1137.
Por essa altura, actualizou-se a configuração da fortaleza, que passou a estar cercada por uma dupla muralha, sendo o primitivo castelo transformado em torre de menagem, isolada no centro do recinto fortificado, à maneira românica. Este novo conjunto militar possuía três portas (da Vila, da Traição e do Relógio, esta demolida em 1760) e era protegido por vários torreões ora quadrangulares, ora semicirculares (IDEM, p.107).
Na Baixa Idade Média, nos reinados de D. Dinis e, eventualmente, no de D. João I, registaram-se obras. Desconhecemos, ainda, a real extensão dos trabalhos então realizados, mas é de crer que a configuração geral da planta não tenha sido alterada. Ao invés, grande parte da cerca foi reconstruída, assim como a porta principal que passou a ostentar um arco quebrado.
Na posse do regente D. Pedro, que aqui tinha paço, Penela viu a sua primeira igreja ser reconstruída, ao abrigo do tardo-gótico batalhino e novas obras tiveram lugar no reinado de D. Manuel. O castelo adquiriu a feição actual na década de 40 do século XX, altura em que se reconstruíram ameias e partes dos panos murários.
PAF

Imagens

Bibliografia

Título

Inventário Artístico de Portugal: distrito de Coimbra

Local

Lisboa

Data

1952

Autor(es)

GONCALVES, António Nogueira, CORREIA, Vergílio

Título

Os mais belos castelos e fortalezas de Portugal

Local

Lisboa

Data

1986

Autor(es)

GIL, Júlio, CABRITA, Augusto

Título

Do Castelo da Reconquista ao Castelo Românico (Sec. IX a XII), Portugália, nova série, vols. XI-XII, pp.89-136

Local

Porto

Data

1991

Autor(es)

BARROCA, Mário Jorge

Título

Penela na obra de dois escritores: Fernão Lopes e Eloy de Sá Sotto Maior

Local

Penela

Data

1966

Autor(es)

ARNAUT, Salvador Dias

Título

Notícias de Penella: apontamentos historicos e archeologicos. Additamento

Local

Penela

Data

1886

Autor(es)

OLIVEIRA, Delfim José de

Título

O Infante D. Pedro, senhor de Penela, Biblos, nº69, pp.173-217

Local

Coimbra

Data

1993

Autor(es)

ARNAUT, Salvador Dias

Título

Historia. Archeologia e Critica Literaria. O Foral de Penella

Local

Coimbra

Data

1887

Autor(es)

REIS, Ricardo Simões dos

Título

Monografia do Municipio Penelense ou narração dos factos aqui decorridos desde os tempos primitivos até 1910

Local

Lisboa

Data

1915

Autor(es)

ARNAULT, João Pedro

Título

Penela. Notas acerca dum centenário

Local

Penela

Data

1937

Autor(es)

ARNAUT, Salvador Dias

Título

Castelos de Portugal. Distrito de Coimbra

Local

-

Data

1935

Autor(es)

LARCHER, Jorge das Neves

Título

Penela: história e arte

Local

Penela

Data

1983

Autor(es)

DIAS, Pedro, ARNAUT, Salvador Dias

Título

Castelos Portugueses

Local

Lisboa

Data

2002

Autor(es)

MONTEIRO, João Gouveia, PONTES, Maria Leonor