Saltar para o conteúdo principal da página

Chafariz das Portas de Moura - detalhe

Designação

Designação

Chafariz das Portas de Moura

Outras Designações / Pesquisas

Fonte da Porta de Moura (Ver Ficha em www.monumentos.gov.pt)

Categoria / Tipologia

Arquitectura Civil / Chafariz

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Évora / Évora / Évora (São Mamede, Sé, São Pedro e Santo Antão)

Endereço / Local

Largo das Portas de Moura
Évora

Proteção

Situação Actual

Classificado

Categoria de Protecção

Classificado como MN - Monumento Nacional

Cronologia

Decreto n.º 8 218, DG, I Série, n.º 130, de 29-06-1922 (ver Decreto)

ZEP

Portaria de 17-10-1953, publicada no DG, II Série, n.º 10, de 13-01-1954 (sem restrições)

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

Abrangido por conjunto inscrito na Lista do Património Mundial da UNESCO, que, ao abrigo do n.º 7 do art.º 15.º da Lei n.º 107/2001, de 8 de Setembro, se encontra classificado como MN

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

O Chafariz das Portas de Moura insere-se no processo de renovação urbanística idealizado pelo Cardeal D. Henrique enquanto Arcebispo de Évora, cujo traço mais marcante na fisionomia da cidade foi a construção do Chafariz da Praça do Giraldo e consequente deolição do antigo arco de triunfo romano em que o Aqueduto da Prata originalmente terminava.
Construída numa das praças mais emblemáticas da urbe quinhentista, rodeada por solares nobres das famílias mais importantes, o Chafariz das Portas de Moura foi solenemente inaugurado a 4 de Dezembro de 1556 (conforma inscrição na esfera) e pensa-se ter sido edificada por Diogo de Torralva, que à altura era também o mestre responsável pelas obras do Aqueduto (ESPANCA, 1993, p.67).
A obra compõe-se de dois tanques rectangulares, estando o principal em plano mais elevado, a que se acede através de uma plataforma de três degraus. Neste, uma fonte em esfera de mármore assente em fuste circular, com "quatro carrancas representadas por serafins de alto-relevo" (ESPANCA, 1966) abastece os tanques.
Sem a grandiosidade e impacto urbanístico da fonte da Praça do Giraldo, o Chafariz das Portas de Moura inaugurou uma tipologia maneirista de fontes na cidade de Évora, em que claramente o da Praça do Giraldo se filia, ao mesmo tempo que significou uma marca de poder e de progresso durante o governo do Cardeal junto à maior obra pública então em construção, o Aqueduto da Prata.
PAF

Imagens

Bibliografia

Título

Cadernos de História e Arte eborense - O Aqueduto da Prata

Local

-

Data

1944

Autor(es)

ESPANCA, Túlio

Título

Évora

Local

Lisboa

Data

1993

Autor(es)

ESPANCA, Túlio

Título

Chafarizes e fontes públicas da cidade de Évora

Local

-

Data

1999

Autor(es)

GUERREIRO, Manuela da Palma

Título

Inventário Artístico de Portugal, vol. VII (Concelho de Évora - volume I)

Local

Lisboa

Data

1966

Autor(es)

ESPANCA, Túlio