Saltar para o conteúdo principal da página

Igreja dos Lóios, compreendendo as campas de bronze - detalhe

Designação

Designação

Igreja dos Lóios, compreendendo as campas de bronze

Outras Designações / Pesquisas

Igreja dos Lóios, incluindo as campas de bronze / Igreja dos Lóios / Convento dos Lóios em Évora (Ver Ficha em www.monumentos.gov.pt)

Categoria / Tipologia

Arquitectura Religiosa / Igreja

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Évora / Évora / Évora (São Mamede, Sé, São Pedro e Santo Antão)

Endereço / Local

Rua Augusto Francisco Simões
Évora

Proteção

Situação Actual

Classificado

Categoria de Protecção

Classificado como MN - Monumento Nacional

Cronologia

Decreto de 16-06-1910, DG, n.º 136, de 23-06-1910 (ver Decreto)

ZEP

-

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

Abrangido por conjunto inscrito na Lista do Património Mundial da UNESCO, que, ao abrigo do n.º 7 do art.º 15.º da Lei n.º 107/2001, de 8 de Setembro, se encontra classificado como MN

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

A igreja de São João Evangelista, anexa ao Convento dos Loios de Évora, foi erguida por iniciativa do primeiro conde de Olivença, D. Rodrigo de Melo, a partir de 1485, destinando-se a panteão de família.
Na fachada do templo (sagrado em 1491), em ângulo com a do convento, a entrada é antecedida por um alpendre aberto por arco abatido, coberto por abóbada polinervada estrelada. O portal, de inspiração gótico-flamejante, é composto por cinco arquivoltas sobre colunas com capiteis de decoração vegetalista. Junto ao portal encontra-se uma representação das armas da família Melo, ramo genealógico do qual descendem os actuais duques do Cadaval. A estrutura é de planta longitudinal, com capela-mor poligonal, integrando um belo retábulo de talha seiscentista de tipologia maneirista. Sob a abóbada ogival, todo o interior se encontra ricamente decorado com um revestimento azulejar historiado, sendo os panos laterais da nave cobertos por episódios da vida de S. Lourenço Justiniano. Trata-se de uma encomenda de D. Nuno Álvares Pereira de Mello, descendente do fundador, 1º duque do Cadaval, à oficina lisbonense do mestre António de Oliveira Bernardes. Os painéis estão assinados e datados (de 1711), compondo uma das mais monumentais do autor, que aqui afirma a sua qualidade pelo tratamento naturalista e expressivo das figuras, e pela larga cenografia das cenas historiadas.
No templo, para além de D. Rodrigo de Sousa e sua mulher (no presbitério), estão igualmente sepultados o seu cunhado, D. Rui de Sousa, chefe da expedição missionária de 1490 ao Congo, e embaixador plenipotenciáriode D. João II junto dos Reis Católicos, nas negociações do Tratado de Tordesilhas, em 1494, e de D.ª Branca de Vilhena. As suas notáveis campas flamengas, em bronze, estão actualmente depositadas no Museu da Casa Cadaval. Na sacristia, encontramos actualmente o que subsiste de um fresco do início do século XVII atribuído a José de Escobar, figurando um Calvário ladeado de anjos, revelado numa recente intervenção de restauro. SML

Imagens

Bibliografia

Título

«História da Casa de Cadaval», Cadernos de História da Arte Eborense, Vol.XXI

Local

-

Data

1960

Autor(es)

ESPANCA, Túlio

Título

«A Igreja dos Lóios», A Cidade de Évora

Local

-

Data

1946

Autor(es)

TAROUCA, Pe. Carlos Silva; CHICÓ, Mário Tavares

Título

Guia de Portugal, Vol. II

Local

-

Data

1927

Autor(es)

PROENÇA, Raul; SANTOS, Reynaldo dos

Título

A Arquitectura Manuelina

Local

Porto

Data

1988

Autor(es)

DIAS, Pedro

Título

Inventário Artístico de Portugal, vol. VII (Concelho de Évora - volume I)

Local

Lisboa

Data

1966

Autor(es)

ESPANCA, Túlio

Título

A Arquitectura Gótica em Portugal

Local

Lisboa

Data

1981

Autor(es)

CHICÓ, Mário Tavares

Título

O Tardo-Gótico em Portugal, a Arquitectura no Alentejo

Local

Lisboa

Data

1989

Autor(es)

SILVA, José Custódio Vieira da