Saltar para o conteúdo principal da página

Convento dos Lóios - detalhe

Designação

Designação

Convento dos Lóios

Outras Designações / Pesquisas

Convento de São João Evangelista / Convento dos Lóios de Évora / Pousada dos Lóios (Ver Ficha em www.monumentos.gov.pt)

Categoria / Tipologia

Arquitectura Religiosa / Convento

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Évora / Évora / Évora (São Mamede, Sé, São Pedro e Santo Antão)

Endereço / Local

Largo do Conde de Vila Flor
Évora

Proteção

Situação Actual

Classificado

Categoria de Protecção

Classificado como MN - Monumento Nacional

Cronologia

Decreto n.º 8 217, DG, I Série, n.º 130, de 29-06-1922 (ver Decreto)

ZEP

-

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

Abrangido por conjunto inscrito na Lista do Património Mundial da UNESCO, que, ao abrigo do n.º 7 do art.º 15.º da Lei n.º 107/2001, de 8 de Setembro, se encontra classificado como MN

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

A primeira pedra do Convento dos Lóios de Évora foi lançada em 1487, por iniciativa do primeiro conde de Olivença, D. Rodrigo de Melo, guarda-mor do rei D. Afonso V, e também Governador de Tânger, que dois anos antes iniciara a construção da igreja anexa (da invocação de São João Evangelista), destinada a panteão de família. Obtido o consentimento para a realização desta empresa junto de D. João II e do bispo D. Garcia de Meneses, as obras avançara de tal modo que em 1491 o conjunto monástico se encontrava já praticamente terminado, ocorrendo nesse mesmo ano a sagração da igreja. Poucos anos depois, em 1498, os edifícios existentes foram ampliados até alcançarem as instalações do Colégio dos Meninos do Coro da Sé de Évora
Construído sobre o que restava de um castelo medieval, o convento constitui um excelente testemunho arquitectónico do Tardo-Gótico alentejano. A fachada, fruto já de uma intervenção setecentista (1755), e rebaixada em relação à igreja anexa, apresenta um único registo, rasgado por janelas de secção rectangular e pelo singelo pórtico de cantaria sob um pequeno alpendre clássico, sustentado por elegantes colunas dóricas. O convento possui planta quadrangular, e estrutura-se em torno de um claustro de dois pisos, com galerias abertas por arcos apontados, assentes sobre robustos pilares com colunelos adossados; os capiteis são de cariz vegetalista. O segundo piso é composto por arcadas geminadas, sobrepujadas por pequenos óculos. Destaca-se, no piso térreo, a entrada da antiga Sala do Capítulo, já quinhentista, rasgada por um exuberante portal mainelado com arcos em ferradura, perfeito exemplar da arquitectura regional manuelino-mudéjar. Nesta mesma porta está um medalhão evocando a participação de D. Rodrigo na Batalha de Azamor, em 1508, pelo que as obras desta sala terão datação aproximada. SML

Imagens

Bibliografia

Título

El mudejarismo en la arquitectura portuguesa de la epoca manuelina

Local

Madrid

Data

1955

Autor(es)

PEREZ EMBID, Florentino

Título

O Tardo-Gótico em Portugal, a Arquitectura no Alentejo

Local

Lisboa

Data

1989

Autor(es)

SILVA, José Custódio Vieira da

Título

Manuelino. À descoberta da arte do tempo de D. Manuel I

Local

Lisboa

Data

2002

Autor(es)

DIAS, Pedro

Título

A arquitectura manuelina

Local

Vila Nova de Gaia

Data

2009

Autor(es)

DIAS, Pedro