Saltar para o conteúdo principal da página

Dólmen de Vile - detalhe

Designação

Designação

Dólmen de Vile

Outras Designações / Pesquisas

Dólmen do Santo de Vile (Ver Ficha em www.monumentos.gov.pt)

Categoria / Tipologia

Arqueologia / Anta

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Viana do Castelo / Caminha / Vile

Endereço / Local

-- junto a um pinhal a Sul da povoação de Vile, numa pequena elevação, no vale do rio de Âncora.
-

Proteção

Situação Actual

Classificado

Categoria de Protecção

Classificado como IIP - Imóvel de Interesse Público

Cronologia

Decreto n.º 29/90, DR, I Série, n.º 163, de 17-07-1990 (ver Decreto)

ZEP

-

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido em ZEP ou ZP

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

Classificado em 1990 como " Imóvel de Interesse Público", o "Dólmen de Vile", ou "Dólmen do Santo de Vile", como também é conhecido, ergue-se na plataforma de um terraço fluvial da margem direita do vale do Rio Âncora.
Escavado nos finais do século XIX pelo conhecido investigador vimarenense, Francisco Martins de G. M. Sarmento (1833-1899), numa altura em que a temática dolménica assumia proporções verdadeiramente inauditas junto da comunidade científica europeia da época, o sítio é constituído por uma mamoa - ou tumulus - com cerca de vinte metros de diâmetro e dois e meio de altura, construída com terra e pedra de pequenas dimensões, e na qual são ainda visíveis vestígios da correspondente primitiva couraça pétrea.
O único esteio visível de todos quantos formariam originalmente a estrutura funerária mede quase dois metros de altura, ainda que a "cratera" decorrente de uma violação efectuada num momento incerto, certamente por populares em busca dos "tesouros" que desde sempre povoaram o imaginário das comunidades agrárias relativamente a estes locais, seja de dimensões consideráveis, uma das razões pelas quais remanescerá apenas aquele esteio granítico, pertencente à câmara funerária.
O espólio encontrado durante a abordagem oitocentista encontra-se depositado no referencial museu da "Sociedade Martins Sarmento".
[AMartins]