Saltar para o conteúdo principal da página

Ruínas romanas situadas na freguesia de São Salvador de Aramenha, incluindo a parte da via romana e a ponte denominada Ponte Velha que se encontra junto às mesmas - detalhe

Designação

Designação

Ruínas romanas situadas na freguesia de São Salvador de Aramenha, incluindo a parte da via romana e a ponte denominada Ponte Velha que se encontra junto às mesmas

Outras Designações / Pesquisas

Museu Monográfico da Cidade Romana de Ammaia / Cidade romana de Ammaia (Ver Ficha em www.monumentos.gov.pt) / (Ver Ficha em www.arqueologia.patrimoniocultural.pt) / (Ver Fichas em www.matriznet.dgpc.pt )

Categoria / Tipologia

Arqueologia / Conjunto

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Portalegre / Marvão / São Salvador da Aramenha

Endereço / Local

Estrada da Calçadinha
Lugar da Portagem

Número de Polícia: 4

Proteção

Situação Actual

Classificado

Categoria de Protecção

Classificado como MN - Monumento Nacional

Cronologia

Decreto n.º 37 450, DG, I Série, n.º 129, de 16-06-1949 (ver Decreto)

ZEP

-

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido em ZEP ou ZP

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

Sítio
A cidade romana de Ammaia implanta-se no vale do Rio Sever, num suave declive orientado a nascente, abrangendo os locais denominados por Quinta do Deão, Tapada da Aramenha e Picadeiro, imediatamente a sul da povoação de São Salvador de Aramenha.
O local é rico em recursos hídricos, minerais, nomeadamente cristal de pedra, cuja extração é mencionada por Plínio-o-Velho, chumbo e ferro e, nas imediações, encontram-se terrenos agrícolas férteis explorados na época romana, conforme atestado pelos abundantes indícios presentes na freguesia de São Salvador de Aramenha. Dispunha de uma eficaz rede viária tanto ao nível das vias principais como ao das secundárias.
A fundação de Ammaia remonta ao principado de Augusto, no século I, desconhecendo-se, até à data, alguma preexistência ocupacional. O abandono de alguns dos seus espaços é percetível a partir do século V. Inicialmente designada por oppidum ainda no decurso do século I, possivelmente no principado de Cláudio foi elevada a civitas.O estatuto municipal está atestado através de uma inscrição que permite balizar a sua atribuição entre a segunda metade do século I e a primeira metade do século II.
Apesar das diversas campanhas arqueológicas já efetuadas, a extensão da cidade, com uma superfície estimada entre os 22 e os 30 hectares, mantém a maior parte dos contextos soterrados. O recurso a tecnologias não invasivas, no âmbito do Projeto Radio Past revelou a malha urbana com um detalhe considerável.
Possuía traçado ortogonal, perímetro muralhado, concentrando-se os trabalhos de escavação nas zonas do forum, Porta Sul, termas, e no edifício da Quinta do Deão, onde foi registada uma área residencial adossada à muralha.
O forum, edificado no período júlio-cláudio, abrangia dois quarteirões centrais, possuía um templo do lado norte, presumivelmente dedicado a Júpiter ou ao culto imperial, do qual se preserva parcialmente o podium ladeado por dois tanques, assim como cúria, basílica e tabernae dispostas ao longo da praça central. Apresenta planta tripartida e estendia-se por 88 metros de comprimento e 66 de largura. A basílica, levantada a sul, atingia 46 metros de comprimento e 17 de largura, distribuídos por três naves. Defronte, do lado oposto do decumanus foi construído nos inícios do século II, um edifício termal, sobrepondo-se a uma anterior domus. Identificou-se o frigidarium revestido com placas de mármore, uma natatio e vestígios de vários compartimentos e canalizações. A denominada Porta Sul da muralha, consistia na principal entrada na urbe, e foi alvo de uma profunda remodelação em finais do século I/inícios do II no sentido da sua monumentalização. A preexistente área residencial foi demolida para dar lugar a uma porta em arco flanqueada por grandes duas torres revestidas a mármore branco, pela qual se acedia a uma praça monumental atravessada, ao centro, pelo cardo maximus.
Notícias divulgadas na imprensa, no verão de 2019, deram a conhecer o primeiro edifício lúdico da cidade. Trata-se de um anfiteatro que a mesma fonte adiantou possuir cerca de 60 metros de comprimento máximo.

História
A existência de uma ocupação de época Romana em São Salvador de Aramenha é referida por frei Amador Arrais no século XVI e atribuídas a Medobriga, sendo Ammaia, por sua vez, localizada em Portalegre. Apesar de contestada por alguns investigadores, só em 1935, uma inscrição estudada por José Leite de Vasconcelos resolve definitivamente a questão, confirmando a proposta de Emilio Hübner de identificar as ruínas de Aramenha como Ammaia. Escavada sistematicamente desde 1994, já decorreram mais de vinte campanhas sob a responsabilidade de diversos arqueólogos.
Ana Vale
DGPC, 2019

Imagens

Bibliografia

Título

O Reordenamento Territorial, Nova História de Portugal: Portugal das origens à romanização

Local

Lisboa

Data

1990

Autor(es)

ALARCÃO, Jorge Manuel N. L.

Título

Portugal Romano

Local

Lisboa

Data

1988

Autor(es)

ALARCÃO, Jorge Manuel N. L.

Título

Roman Portugal

Local

Warminster

Data

1988

Autor(es)

ALARCÃO, Jorge Manuel N. L.

Título

Terras de Odiana. Medobriga, Ammaia, Aramenha, Marvão, 2.ª ed.

Local

Lisboa

Data

1988

Autor(es)

COELHO, Possidónio Mateus Laranjo

Título

Marvão. Elucidário breve de uma visita a esta vila

Local

Lisboa

Data

1946

Autor(es)

COELHO, Possidónio Mateus Laranjo

Título

A cidade romana de Ammaia na correspondência entre António Maçãs e Leite de Vasconcelos, O Arqueólogo Português

Local

Lisboa

Data

1999

Autor(es)

OLIVEIRA, Jorge, CUNHA, Susana S. S. S.

Título

A Cidade Romana de Ammaia . Escavações Arqueológicas 2000-2006, Ibn Maruan, número especial.

Local

-

Data

2009

Autor(es)

PEREIRA, Sérgio

Título

Nova Carta Arqueológica do Concelho de Marvão, Ibn Maruan, 14

Local

-

Data

2007

Autor(es)

PEREIRA, Sérgio, PARREIRA, João, OLIVEIRA, Jorge de

Título

Ammaia. A Roman town in Lusitania, disponível em https://www.academia.edu/8923629/Ammaia._A_Roman_town_in_Lusitania

Local

-

Data

-

Autor(es)

VERMEULEN, Frank

Título

Cidade Romana de Ammaia . Projecto cidade romana de Ammaia (São Salvador de Aramenha, Marvão), 2015-2018 (CRA). Relatório das Intervenções Arqueológicas.

Local

-

Data

2015

Autor(es)

GUERRA, Amílcar Manuel Ribeiro, FABIÃO, Carlos Jorge Soares, CARVALHO, Joaquim, QUARESMA, José Carlos, BORGES, Sofia, DIAS, Vítor