Saltar para o conteúdo principal da página

Monumento Castrejo de Santa Maria de Galegos - detalhe

Designação

Designação

Monumento Castrejo de Santa Maria de Galegos

Outras Designações / Pesquisas

Monumento com Forno (Ver Ficha em www.monumentos.gov.pt)

Categoria / Tipologia

Arqueologia / Balneário

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Braga / Barcelos / Galegos (Santa Maria)

Endereço / Local

- no sopé do Castro de Roriz (Facho)
Lugar de Penha Longa ou Pena Grandeno sopé do Castro de Roriz (Facho)

Proteção

Situação Actual

Classificado

Categoria de Protecção

Classificado como MN - Monumento Nacional

Cronologia

Decreto n.º 1/86, DR, I Série, n.º 2, de 3-01-1986 (ver Decreto)

ZEP

-

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido em ZEP ou ZP

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

Descoberto em finais da década de setenta do século XX, este balneário da Idade do Ferro encontra-se situado na área intramuros de um castro de pequenas dimensões, implantado num dos sopés do Monte do Facho, nas proximidades da Citânia de Roriz.
Os compartimentos estruturantes deste monumento apresentam-se distribuídos de forma bastante aproximada à de outras construções castrejas com a mesma funcionalidade balnear. A zona do forno, de planta semicircular, foi edificada com falsa cúpula, enquanto a câmara, propriamente dita, apresenta planta rectangular, e foi construída com lajes de assinaláveis dimensões, polidas e trabalhadas nas suas faces internas. Esta divisória possui uma cobertura em forma de mitra. Este complexo é, ainda, composto de uma antecâmara, de planta subrectangular, cuja arquitectura é semelhante à da divisão anterior, embora já não sejam visíveis as lajes que corresponderiam à respectiva cobertura. É nesta parte do balneário que se observa a existência de bancos corridos ao longo dos alçados de maior comprimento.
Uma estela, eventualmente pertencente ao grupo da conhecida "Pedra Formosa", serviria de passagem para a câmara, como parece indicar a presença de uma abertura nas suas faces. Esta pedra apresenta motivos decorativos nas partes superior e anterior, que nos remetem para o universo da gramática decorativa castreja. Uma outra laje, com um orifício de assinaláveis dimensões, parece estabelecer a ligação com um átrio, do qual se encontraram alguns vestígios.
[AMartins]

Imagens

Bibliografia

Título

O povoamento proto-histórico e a romanização da bacia do médio Cávado

Local

-

Data

1990

Autor(es)

-

Título

Breves Noticias da actividade Cultural, Reviista de Guimarães

Local

-

Data

1978

Autor(es)

ALVES, José Maria Gomes

Título

A Cultura Castreja no Noroeste de Portugal

Local

Paços de Ferreira

Data

1986

Autor(es)

SILVA, Armando Coelho Ferreira da