Saltar para o conteúdo principal da página

Barragem romana de Álamo - detalhe

Designação

Designação

Barragem romana de Álamo

Outras Designações / Pesquisas

Barragem Romana de Álamo(Ver Ficha em www.monumentos.gov.pt)

Categoria / Tipologia

Arqueologia / Barragem

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Faro / Alcoutim / Alcoutim e Pereiro

Endereço / Local

-- no barranco da Fornalha, afluente da margem direita do Guadiana, a 8 km a jusante de Alcoutim
-

Proteção

Situação Actual

Classificado

Categoria de Protecção

Classificado como IIP - Imóvel de Interesse Público

Cronologia

Decreto n.º 26-A/92, DR, I Série-B, n.º 126, de 1-06-1992 (ver Decreto)

ZEP

-

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido em ZEP ou ZP

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

Trata-se de uma estrutura localizada por Estácio da Veiga, que em 1877 explorou a zona e levantou a planta e o alçado da barragem. A cerca de 100m a jusante, explorou um conjunto de edfícios e sepulturas romanas, tendo levantado, também asua planta. A barragem consiste num muro de planta rectilínea com o comprimento inicial de cerca de 50m, possuindo actualmente a altura máxima de 3m e a aespessura de 3m com contrafortes. Conserva-se apenas um troço da barragem com cerca de 40m de comprimento e seis contrafortes. Um curto troço, com um contraforte, separou-se do primeiro e basculou. A espessura do muro, no topo, é de cerca de 2.3m. Os contrafortes têm a espessura de 1.5m e o comprimento de 1.6m e o afastamento de 2.3m A altura máxima do troço existente, de erca de 3m, deve ser próxima da altura máxima inicial da barragem. No que respeita à estrutura do muro, trata-se de uma costrução de opus incertum, constituindo o núcleo, revestido de ambos os lados por dois paramentos de blocos arrumados, dispostos em fiadas aproximadamente paralelas, que se prolongam, em continuidade, pelos contrafortes. Trata-se de uma obra de dimensões significativas, cuja finalidade deveria estar relacionadsa com as estruturas atrás referidas. Junto encontram-se as ruínas de uilla romana (com sepulturas de inumação associadas),a cerca de 100m para NE, e uma necrópole de incineração, a NNE, junto à estrada e a uns 100m de distância.

Imagens

Bibliografia

Título

Aproveitamentos Hidráulicos Romanos a Sul do Tejo. Contribuição para a sua inventariação e caracterização

Local

Lisboa

Data

1986

Autor(es)

CARDOSO, João

Título

Arqueologia Romana do Algarve

Local

Lisboa

Data

1972

Autor(es)

SANTOS, Maria Luisa Estácio da Veiga Afonso dos

Título

Roman Portugal

Local

Warminster

Data

1988

Autor(es)

ALARCÃO, Jorge Manuel N. L.

Título

As grandes vias da Lusitania - O Itinerário de Antonio Pio

Local

-

Data

-

Autor(es)

SAA, Mário

Título

Antiguidades Monumentaes do Algarve 3. Tempos Prehistoricos.

Local

-

Data

-

Autor(es)

VEIGA, Sebastião Filipe Martins Estácio da

Título

Alguns aspectos da arqueologia romana do Algarve, Anais do Município de Faro

Local

Faro

Data

1976

Autor(es)

SANTOS, Maria Luisa Estácio da Veiga Afonso dos

Título

Vestígios muçulmanos no Nordeste Algarvio e o Castelo Velho de Alcoutim, Actas do 6º Congresso do Algarve, pp.25-31

Local

Albufeira

Data

1990

Autor(es)

CATARINO, Helena Maria Gomes

Título

O Algarve oriental durante a ocupação islâmica - povoamento rural e recintos fortificados, Al- Ulyã, nº6, 3 vols.

Local

Loulé

Data

1997

Autor(es)

CATARINO, Helena Maria Gomes

Título

Carta Arqueológica de Portugal: concelhos de Faro, Olhão, Tavira, Vila Real de Santo António, Castro Marim e Alcoutim

Local

Lisboa

Data

1995

Autor(es)

MARQUES, Maria Teresa Fonseca Correia

Título

Barragens Romanas do Algarve, Boletim Informativo Encontro de Arqueologia do Algarve

Local

Faro

Data

1990

Autor(es)

CARDOSO, João