Saltar para o conteúdo principal da página

Casa da Azenha - detalhe

Designação

Designação

Casa da Azenha

Outras Designações / Pesquisas

Casa da Quinta da Azenha e Capela (Ver Ficha em www.monumentos.gov.pt)

Categoria / Tipologia

Arquitectura Civil / Quinta

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Viseu / Lamego / Cambres

Endereço / Local

-

Proteção

Situação Actual

Classificado

Categoria de Protecção

Classificado como IM - Interesse Municipal

Cronologia

Edital de 11-03-2004 da CM de Lamego
Deliberação de 27-02-2004 da AM de Lamego

ZEP

-

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido em ZEP ou ZP

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

Freguesia do concelho de Lamego, elevada a Vila em 1997, Cambres distribuí-se entre a Serra das Meadas, a Norte, e o Rio Douro, a Sul.
Inserida numa região particularmente rica em vestígios de ocupação humana desde a mais remota antiguidade, numa evidência da diversidade e da excelência dos recursos essenciais à sua sobrevivência e fixação, o território correspondente, na actualidade, ao termo de Cambres ostenta, a par de uma beleza paisagística característica de todo o vale dourense, vários testemunhos pétreos de vivências antepassadas.
É este o caso da "Casa da Azenha", em Pomarelhe, cuja área residencial remonta ao século XVII, datando de oitocentos a construção da capela, por iniciativa do, então, proprietário António Rebelo Teixeira e Vasconcelos, até que, no século XIX, a quinta pertenceu a um dos nomes mais marcantes da produção vinícola do Douro, Dona Antónia Adelaide Ferreira (1811-1896), apelidada, pelas gentes locais, de "Ferreirinha" ou "Ferreirinha-da-Régua, tendo, já em finais de novecentos, servido de cenário ao filme 'Vale Abrãao', de Manoel de Oliveira.
Rebocados e pintados de branco, envolvidos por embasamento pintado de cinzento, os alçados exteriores da estrutura habitacional são delimitados por cunhais apilastrados e remates em friso e cornija. Desenvolvida em dois registos, a casa é rasgada por três janelas quadrangulares molduradas, no primeiro piso, e por quatro, no segundo, possuindo, no lado esquerdo, portão em cantaria e metal de acesso a um pátio que lhe conduz.
É no lado direito que se ergue, adossada, a capela, de planta longitudinal e cobertura de 24 caixotões em madeira pintada com cenas evocativas da vida do orago (Santo António), ao interior da qual se entra através de portal de verga recta sobrepujado por cornija e pedra de armas, culminando a fachada em empena, sobre cuja base do vértice se apoiam os cunhais que suportam pináculos de bola e uma cruz. O interior, com tribuna de acesso ao interior da habitação, do lado do Evangelho, alberga retábulo-mor de talha pintada a branco desenvolvido em três eixos formados, ao centro, por tribuna de arco polilobado contendo trono e imagem de Santo António, apresentando-se flanqueado por dois pares de pilastras adornadas por capitéis jónicos sustentando painel lavrado com motivos vegetalistas.
[AMartins]

Bibliografia

Título

História do Bispado e Cidade de Lamego, vol. 4, Renascimento (II)

Local

Lamego

Data

1984

Autor(es)

COSTA, Manuel Gonçalves da

Título

Candidatura do Alto Douro Vinhateiro a Património Mundial

Local

Porto

Data

2000

Autor(es)

BIANCHI-DE-AGUIAR, Fernando