Saltar para o conteúdo principal da página

Casa do Forno, incluindo os cómodos agrícolas e anexos, bem como a quinta em que se integram - detalhe

Designação

Designação

Casa do Forno, incluindo os cómodos agrícolas e anexos, bem como a quinta em que se integram

Outras Designações / Pesquisas

Casa da Quinta do Forno (Ver Ficha em www.monumentos.gov.pt)

Categoria / Tipologia

Arquitectura Civil / Casa

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Braga / Cabeceiras de Basto / Basto

Endereço / Local

-- -
Olela

Proteção

Situação Actual

Classificado

Categoria de Protecção

Classificado como MIP - Monumento de Interesse Público

Cronologia

Portaria n.º 740-FM/2012, DR, 2.ª série, n.º 252 (suplemento), de 31-12-2012 (ver Portaria)
Anúncio n.º 13392/2012, DR, 2.ª série, n.º 175, de 10-09-2012 (ver Anúncio)
Parecer de 19-12-2011 da SPAA do Conselho Nacional de Cultura a propor a classificação como MIP da Casa do Forno incluindo os cómodos agrícolas e anexos bem como a quinta em que se integram
Procedimento prorrogado até 31-12-2012 pelo Decreto-Lei n.º 115/2011, DR, 1.ª série, n.º 232, de 5-12-2011 (ver Diploma)
Proposta de 16-11-2011 da DRC do Norte para a classificação como MIP
Procedimento prorrogado pelo Despacho n.º 19338/2010, DR, 2.ª série, n.º 252, de 30-12-2010 (ver Despacho)
Despacho de abertura de 23-07-2004 do presidente do IPPAR
Proposta de abertura de 24-11-2033 da DR do Porto
Proposta de 8-02-2001 de particular para a classificação da Casa do Forno

ZEP

Portaria n.º 740-FM/2012, DR, 2.ª série, n.º 252 (suplemento), de 31-12-2012 (sem restrições) (ver Portaria)
Anúncio n.º 13392/2012, DR, 2.ª série, n.º 175, de 10-09-2012 (ver Anúncio)
Parecer favorável de 19-12-2011 da SPAA do Conselho Nacional de Cultura
Proposta de 16-11-2011 da DRC do Norte

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido em ZEP ou ZP

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

«A Casa e Quinta do Forno situa-se no extremo Este do Vale de Santa Senhorinha, no lugar de Olela, freguesia de Basto.
Em termos de tipologia o conjunto é representativo da arquitectura tradicional minhota. É constituída pelo conjunto edificado e por jardins, horta e terrenos agrícolas.
Terá tido origem no século XVI e foi à volta da eira que se estabeleceu o corpo primitivo do Solar, o alpendre, o moinho e o espigueiro. No século XVIII a casa desenvolveu-se à volta de um pátio interior, adoptando um tipo de planta quase em U "fechada". Em meados do século XIX é construído o alambique e a casa do caseiro, que se situam também à volta da eira e que são independentes do solar, que pretendem dar resposta a exigências de índole agrária e apoio a toda essa actividade, mas que apresentam uma qualidade arquitectónica inferior ao mesmo. No século XX toda esta toda esta estrutura foi recuperada, procurando-se preservar o interior e o exterior do solar.
O Solar desenvolve-se em dois piso e apresenta na fachada, a poente, uma escadaria em granito que articula o acesso ao piso nobre, que corresponde à área habitada, e o piso térreo que corresponde à área das lojas, lagares e adega. O alpendre, ou sequeiro e o espigueiro são construções que serviam de apoio às actividades de produção agrícola, como seja o cultivo de milho. De referir a existência de um forno de origem, que se encontra ainda a funcionar.
Do conjunto, existem os espaços naturais que correspondem aos jardins, horta e terrenos agrícolas.»
Sónia Gomes/ DRP/ 2003

Imagens