Saltar para o conteúdo principal da página

Igreja de Nossa Senhora da Lapa - detalhe

Designação

Designação

Igreja de Nossa Senhora da Lapa

Outras Designações / Pesquisas

Igreja de Nossa Senhora da Lapa / Igreja da Lapa (Ver Ficha em www.monumentos.gov.pt) / Cemitério de Nossa Senhora da Lapa (Ver Ficha em www.monumentos.gov.pt)

Categoria / Tipologia

Arquitectura Religiosa / Igreja

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Porto / Vila do Conde / Vila do Conde

Endereço / Local

Rua da Lapa
Vila do Conde

Proteção

Situação Actual

Procedimento caducado - sem protecção legal

Categoria de Protecção

Não aplicável

Cronologia

Procedimento caducado nos termos do artigo 78.º do Decreto-Lei n.º 309/2009, DR, 1.ª série, N.º 206 de 23-10-2009 (ver Diploma) , alterado pelo Decreto-Lei n.º 265/2012, DR, 1.ª série, n.º 251, de 28-12-2012 (ver Diploma)
Procedimento prorrogado até 31-12-2012 pelo Decreto-Lei n.º 115/2011, DR, 1.ª série, n.º 232, de 5-12-2011 (ver Diploma)
Procedimento prorrogado pelo Despacho n.º 19338/2010, DR, 2.ª série, n.º 252, de 30-12-2010 (ver Despacho)
Despacho de abertura de 23-07-2004 do presidente do IPPAR

ZEP

-

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido em ZEP ou ZP

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

Erguida sobre as ruínas da ermida de São Bartolomeu, a igreja da Lapa impõe-se na paisagem urbana de Vila do Conde ao elevar-se, isolada, sobre um adro murado antecedido por escadaria, no gaveto formado pela Rua e Travessa da Lapa.
Há notícia da existência, neste mesmo local, de um pequeno templo de origem quinhentista, dedicado a São Bartolomeu, e que deverá ter sido reedificado no início do século XVII. Em 1634 tinham aqui a sua sede duas confrarias, dedicadas a São Bartolomeu e a São Lourenço (FREITAS, 1955; 1964; 2001, p. 144). A eventual ruína da ermida terá ditado a sua reconstrução, que se encontrava a decorrer em 1758, conforme referência das Memórias Paroquiais escritas pelo prior Falcão (FREITAS, 1988). O novo templo, de dimensões muito superiores, conservou e integrou as invocações aí cultuadas anteriormente, encontrando-se em destaque na actual fachada as imagens dos santos patronos das confrarias seiscentistas. Não se conhece o autor do risco da igreja da Lapa, que tem vindo a ser atribuída a Nicolau Nasoni devido a uma carta do deão da Sé do Porto, D. Jerónimo de Távora de Noronha, ao morgado de Senra, António Carlos Carneiro de Figueiredo, onde é referido que o italiano se encontrava a trabalhar num projecto para Vila do Conde (SMITH, 1966, p. 102; FREITAS, 1955; 1964; 2001). Apesar de não se saber qual o projecto mencionado, a proximidade entre as datas da carta, 20 de Julho de 1753, e a notícia da reconstrução da igreja da Lapa fornecida pelo prior Falcão, tem reforçado esta atribuição. Na verdade, as linhas finas e nervosas do frontispício da Lapa, denotam uma influência rococó que se manifestava, por estes anos, nas obras de Nasoni, entre as quais destacamos a fachada da igreja da Misericórdia do Porto, de meados do século XVIII (SMITH, 1967; ALVES, 1989, p. 309).
De planta longitudinal, com nave e capela-mor rectangulares e sacristia adossada a Norte, a igreja da Lapa exibe uma imponente fachada, seccionada por pilastras que a dividem em três panos, correspondendo os laterais às torres. O central é aberto por portal de verga curva, sobrepujado por frontão triangular de lanços, com remate formado por motivos concheados que se liga à janela superior que, por sua vez, faz elevar a linha da cornija que está na base do frontão triangular que termina o alçado. Este, exibe lateralmente as imagens de São Bartolomeu e São Lourenço e, no vértice, um plinto sobre o qual se ergue a coroa real e a cruz. Nos panos das torres, uma janela com moldura relaciona-se com o relógio que as remata, levantando-se as sineiras já sobre a cornija.
Não é possível determinar em que época o templo ficou concluído, mas a campanha decorativa do interior, de características já neoclássicas, prolongou-se, com certeza, até ao início do século XIX. Destacam-se os retábulos colaterais, a sanefa que coroa o arco triunfal, e o retábulo-mor, em talha dourada e branca.
(Rosário Carvalho)

Bibliografia

Título

Nicolau Nasoni, arquitecto do Porto

Local

-

Data

1966

Autor(es)

SMITH, Robert C.

Título

Vila do Conde

Local

Vila do Conde

Data

1991

Autor(es)

NEVES, Joaquim Pacheco

Título

Vila do Conde

Local

Lisboa

Data

1998

Autor(es)

MIRANDA, Marta

Título

Nasoni, Nicolau, Dicionário de Arte Barroca em Portugal

Local

-

Data

1989

Autor(es)

ALVES, Joaquim Jaime Ferreira

Título

A capela de S. Bartolomeu e a igreja de Nossa Senhora da Lapa, Douro Litoral, 6ª série, n.º 7-8

Local

-

Data

1955

Autor(es)

FREITAS, Eugénio de Andrea da Cunha e

Título

Vila do Conde: memórias paroquiais de 1758, Separata do Boletim Cultural da Câmara Municipal de Vila do Conde, n.º 2

Local

Vila do Conde

Data

1988

Autor(es)

FREITAS, Eugénio de Andrea da Cunha e

Título

Vila do Conde - História e Património 2, Colecção Cadernos de História Local, n.º 4

Local

Vila do Conde

Data

2001

Autor(es)

FREITAS, Eugénio de Andrea da Cunha e

Título

Uma obra de Nasoni desconhecida? - a capela de S. Bartolomeu e a igreja de Nossa Senhora da Lapa, Vila do Conde - Boletim Cultural da Câmara Municipal de Vila do Conde, 1ª série

Local

Vila do Conde

Data

1964

Autor(es)

FREITAS, Eugénio de Andrea da Cunha e