Saltar para o conteúdo principal da página

Pavilhão de Portugal - detalhe

Designação

Designação

Pavilhão de Portugal

Outras Designações

-

Categoria / Tipologia

Arquitectura Civil / Pavilhão

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Lisboa / Lisboa / Parque das Nações

Endereço / Local

Alameda dos Oceanos
Lisboa

Proteção

Situação Actual

Classificado

Categoria de Protecção

Classificado como MIP - Monumento de Interesse Público

Cronologia

Portaria n.º 240/2010, DR, 2.ª Série, n.º 62, de 30-03-2010 (ver Portaria)
Edital de 19-11-2009 da CM de Lisboa
Despacho de homologação de 23-09-2009 do Ministro da Cultura
Despacho de concordância de 23-10-2006 do presidente do IPPAR
Parecer favorável de 26-07-2006 do Conselho Consultivo do IPPAR
Proposta de 27-04-2006 da DR de Lisboa para a classificação como IIP
Edital N.º 33/2005 de 5-05-2005 da CM de Lisboa
Delimitação alterada por despacho de concordância de 27-01-2005 do presidente do IPPAR
Parecer favorável de 25-11-2004 do Conselho Consultivo do IPPAR
Informação favorável de 21-05-2004 da DR de Lisboa
Proposta de 11-08-2003 da Parque Expo para ampliação da classificação, a fim de abranger os muros dos jardins do topo norte
Edital N.º 76/2004 de 16-09-2004 da CM de Lisboa
Despacho de abertura de 21-07-2003 do presidente do IPPAR
Proposta de 12-07-2003 da DR de Lisboa para a abertura de procedimento de classificação de âmbito nacional
Despacho N.º 23/2003 de 9-07-2003 do presidente do IPPAR a solicitar que se estude a classificação

ZEP

Portaria n.º 240/2010, DR, 2.ª Série, n.º 62, de 30-03-2010 (sem restrições) (ver Portaria)
Edital de 19-11-2009 da CM de Lisboa
Despacho de homologação de 23-09-2009 do Ministro da Cultura
Parecer favorável de 7-01-2009 do Conselho Consultivo do IPPAR
Proposta de 26-06-2208 da DRC de Lisboa e Vale do Tejo no sentido de se manter a delimitação aprovada
Proposta de 4-01-2007 da Parque Expo para redução da delimitação da ZEP
Despacho de concordância de 23-10-2006 do presidente do IPPAR
Parecer favorável de 26-07-2006 do Conselho Consultivo do IPPAR
Proposta de 27-04-2006 da DR de Lisboa

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido em ZEP ou ZP

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

Edificado no âmbito da Expo '98, o Pavilhão de Portugal, desenhado pelo arquitecto Siza Vieira, deveria constituir um espaço simbólico, que se coadunasse com as funções de recepção e de espaço expositivo, a desempenhar no decorrer da Expo, mas que, após o seu encerramento, pudesse ser compatível com outras funções à época ainda não definidas. É o próprio arquitecto quem refere as dificuldades colocadas por um programa que se pautava pela inexistência de referências, pois assistia-se, em simultâneo, ao nascimento de toda uma nova área urbana. Inicialmente, pensou-se implantar o edifício no eixo da doca, mas a opção por deslocá-lo para o "bordo da doca, no ângulo noroeste - como uma grande nave solidamente ancorada", permitiu ultrapassar a questão da "pedra fundadora" (a ponta do fio da meada que constrói um projecto)" (VIEIRA, 1998).
Para perceber o projecto, socorremo-nos da memória descritiva escrita por Siza Vieira, que refere ainda a interacção do Pavilhão de Portugal com o "do Conhecimento dos Mares e com o edifício construído ao longo da Avenida Marginal [que] definem um amplo espaço público ribeirinho, retomando um tema secular da cidade de Lisboa" (IDEM).
O edifício é formado por dois corpos - uma praça coberta, denominada por Praça Cerimonial; e um edifício de dois pisos e cave, estruturado em função de um pátio interior, apresentando um outro pátio a Norte. O primeiro, de sentido horizontalizante, é definido por dois pórticos de betão, entre os quais se desenvolve uma lâmina de betão armado, suspensa por cabos de aço. O segundo, um pouco mais elevado, apresenta a configuração já referida e as suas fachadas caracterizam-se por um abertura regular dos vãos. O alçado virado ao rio é antecedido por um pórtico de colunas, que suportam uma pala, e que se articulam com as fenestrações e com a varanda que percorre toda a fachada.
Do lado oposto, destacam-se as janelas de sacada do piso superior, caracterizando-se todos os vãos por linhas depuradas. Já a fachada Norte, na diagonal, "acentua a abertura do eixo urbano da Estação do Oriente à Doca dos Olivais. Mas curiosamente, os muretes, que parecem referir-se a alinhamentos de buxo dos jardins de solares e de palácios, adossam e contrariam parcialmente esta afirmação de abertura" (AA.VV., 1998, p. 123).
Muito se tem escrito sobre esta obra de Siza Vieira, vencedora, aliás, do Prémio Valmor em 1998, sendo uma constante a referência aos traços históricos que a mesma encerra, se bem que "combinados com rasgos modernos, como o lençol de betão" (IDEM, 124). Se, por um lado, se observam referências à tradição clássica nos pórticos e ritmos das janelas, a organização interna em função de uma espécie de claustro recorda a arquitectura conventual (IDEM, p. 124).
Por sua vez, Kenneth Frampton, numa das mais completas monografias sobre o arquitecto português, alude à escala monumental do Pavilhão de Portugal, onde, segundo este autor, Siza fez confluir duas imagens imperiais antitéticas. Mas as referências a arquitectos como Le Corbusier, Oscar Niemayer, a Giuseppe Terragni ou mesmo ao programa da Nova Monumentalidade de 1943, são algumas das linhas interpretativas sugeridas por Frampton (2000, pp. 54-55).
Durante a Expo '98, o projecto expositivo, que deveria evocar os descobrimentos portugueses e a conquista dos Oceanos, esteve a cargo de Eduardo Souto Moura, funcionando um restaurante, café e bar no restante espaço. Foi, posteriormente, palco de várias exposições e, desde então, muitos têm sido os destinos apontados para este imóvel que permanece, todavia, sem uma função específica. O que não impede que se mantenha com um dos mais representativos edifícios desta área da capital, marcando fortemente a paisagem e constituindo um símbolo para Lisboa e para o país.
(Rosário Carvalho)

Imagens

Bibliografia

Título

"Álvaro Siza - Complete Works"

Local

-

Data

2000

Autor(es)

FRAMPTON, Kenneth

Título

"Lisbon Expo 98 Projects"

Local

Lisboa

Data

1998

Autor(es)

AA. VV.

Título

"Lisboa Expo 98 Arquitectura"

Local

Lisboa

Data

1998

Autor(es)

AA. VV.

Título

"Arquitectura Moderna e Obra Global a partir de 1900"

Local

Porto

Data

2009

Autor(es)

TOSTÕES, Ana