Saltar para o conteúdo principal da página

Igreja de São Lourenço de Pias - detalhe

Designação

Designação

Igreja de São Lourenço de Pias

Outras Designações / Pesquisas

Igreja Paroquial de Pias / Igreja de São Lourenço(Ver Ficha em www.monumentos.gov.pt)

Categoria / Tipologia

Arquitectura Religiosa / Igreja

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Porto / Lousada / Pias, Nogueira e Alvarenga

Endereço / Local

- -
São Lourenço de Pias

Proteção

Situação Actual

Procedimento caducado - sem protecção legal

Categoria de Protecção

Não aplicável

Cronologia

Procedimento caducado nos termos do artigo 78.º do Decreto-Lei n.º 309/2009, DR, 1.ª série, N.º 206 de 23-10-2009 (ver Diploma) , alterado pelo Decreto-Lei n.º 265/2012, DR, 1.ª série, n.º 251, de 28-12-2012 (ver Diploma)
Procedimento prorrogado até 31-12-2012 pelo Decreto-Lei n.º 115/2011, DR, 1.ª série, n.º 232, de 5-12-2011 (ver Diploma)
Procedimento prorrogado pelo Despacho n.º 19338/2010, DR, 2.ª série, n.º 252, de 30-12-2010 (ver Despacho)
Despacho de abertura de 8-09-2004 do presidente do IPPAR

ZEP

-

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido em ZEP ou ZP

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

Integrado na região do Vale de Sousa, o território correspondente, na actualidade, ao município de Lousada revela-se particularmente abundante em monumentos funerários megalíticos, embora tenham sido também identificados alguns povoados de altura datados da Idade do Ferro, a exemplo do "Castro de S. Domingos" (designação conferida a partir de uma antiga capela dedicada ao Santo), ou "Cristelos", como será mais conhecido na região.
Uma procura consolidada em períodos subsequentes, designadamente ao tempo do domínio romano, do qual remanescem, não apenas exemplos de reutilização de anteriores povoados de altura, em razão da sua localização estratégica, mas de testemunhos de villae, como, entre outros, no caso da "Quinta dos Padrões", situada na margem esquerda do Rio Sousa, numa comprovação da fertilidade dos terrenos e da sua adequação à actividade agrícola de exploração intensiva, sendo ainda abundantes as pedras epigrafadas, muitas das quais recolhidas no "Museu Martins Sarmento", na cidade de Guimarães, fundado em finais do séculos XIX por um dos maiores entusiastas e divulgadores do passado da região, o escritor, historiador e arqueólogo vimarenense Francisco Martins de Gouveia Morais Sarmento (1833-1899), a quem se devem algumas das descobertas mais notáveis da Arqueologia então praticada entre nós.
Entretanto, o período medievo acrescentou uma diversidade construtiva, à semelhança, ademais, do que sucedeu nos actuais municípios limítrofes, destacando-se, muito naturalmente, os edifícios de cariz religioso, como capelas e igrejas, especialmente das inscritas no movimento artístico românico, além de núcleos de sepulturas escavadas na rocha, mormente antropomórficas.
Mas não apenas em tempo medievo. Disso é bem exemplo a "Igreja de São Lourenço de Pias", construída somente em três anos, entre 1736 e 1739, filiando-se, por conseguinte, no barroco nacional, bem presente na arquitectura austera das fachadas (com torre sineira separada), e no próprio corpo do templo - de nave única -, e, sobretudo, no recheio constituído pela riqueza decorativa da capela-mor - nomeadamente no que se refere aos painéis azulejares (Cf. SIMÕES, J. M. dos Santos, 1979 ) e ao altar-mor - diferenciada da nave por arco triunfal, assim como pela talha dourada, de gramática joanina, presente nos altares que encerra.
[AMartins]

Bibliografia

Título

Tesouros Artísticos de Portugal

Local

Lisboa

Data

1976

Autor(es)

ALMEIDA, José António Ferreira de

Título

Diocese do Porto, subsídios para o seu estudo: a obra de talha dourada, ensamblagem e pintura

Local

Porto

Data

1984

Autor(es)

BRANDÃO, Domingos de Pinho

Título

Azulejaria Portuguesa do Século XVIII

Local

Lisboa

Data

1979

Autor(es)

SIMÕES, J. M. dos Santos