Saltar para o conteúdo principal da página

Conjunto constituído pelo Palace Hotel da Curia, Chalet Navega ou Chalet das Rosas, Capela da Senhora do Livramento, Piscina Paraíso, garagem e jardins envolventes - detalhe

Designação

Designação

Conjunto constituído pelo Palace Hotel da Curia, Chalet Navega ou Chalet das Rosas, Capela da Senhora do Livramento, Piscina Paraíso, garagem e jardins envolventes

Outras Designações / Pesquisas

Conjunto constituído pelo Palace Hotel da Curia, Chalet Navega ou Chalet das Rosas, Capela de Nossa Senhora do Livramento, Piscina Paraíso, garagem e jardins envolventes / Palace Hotel da Curia (Ver Ficha em www.monumentos.gov.pt)
Inventário Temático Norte Júnior 1905-1929 (Ver Inventário Temático Norte Júnior)

Categoria / Tipologia

Não Definida / Conjunto

Inventário Temático

Norte Júnior

Localização

Divisão Administrativa

Aveiro / Anadia / Tamengos, Aguim e Óis do Bairro

Endereço / Local

Avenida dos Plátanos
Curia

Proteção

Situação Actual

Classificado

Categoria de Protecção

Classificado como CIP - Conjunto de Interesse Público

Cronologia

Portaria n.º 615/2013, DR, 2.ª série, n.º 182, de 20-09-2013 (sem restrições) (ver Portaria)
Despacho de homologação de 31-01-2003 do Ministro da Cultura
Parecer favorável de 7-01-2003 do Conselho Consultivo do IPPAR
Proposta de 21-10-2002 da DR de Coimbra para a classificação como IIP
Despacho de abertura de 9-07-2002 do vice-presidente do IPPAR
Proposta de abertura de 2-07-2002 da DR de Coimbra
Proposta de classificação de 25-01-2001 da empresa proprietára

ZEP

Portaria n.º 615/2013, DR, 2.ª série, n.º 182, de 20-09-2013 (sem restrições) (ver Portaria)
Anúncio n.º 13488/2012, DR, 2.ª série, n.º 189 de 28-09-2012 (ver Anúncio)
Parecer favorável de 23-02-2011 da SPAA do Conselho Nacional de Cultura
Proposta de 27-12-2010 da DRC do Centro

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido em ZEP ou ZP

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

Imóvel
Situado no parque termal da Curia, o Palace Hotel foi edificado entre 1922 e 1926, num projeto de "total reconversão do conceito, organização e escala" da unidade hoteleira que aí existia desde 1913 (Baptista: 1997). O complexo integra o edifício do hotel, de planta quadrangular irregular, bem como o Challet Navega, a capela dedicada a Nossa Senhora do Livramento, os espaços da garagem e anexos e a piscina Paraíso, um projeto modernista de 1933-1934.
O edifício do hotel, um notável projeto de arquitetura eclética com elementos ornamentais Arte Nova, ergue-se com fachada imponente dividida em três blocos e quatro registos, marcada pela abertura simétrica das janelas e pela forma como dispõe os corpos laterais, construídos como dois torreões em contraste com a construção central, recuada. O corpo central é o elemento mais característico do programa, com a divisão dos tramos feita por colunas jónicas monumentais no piso intermédio, assentes sobre cabeças de cariátides suspensas, e rematado por grande frontão curvo com óculo de vitral ladeado por pórtico com pilastras compósitas. O piso térreo é rasgado por duas portas de madeira e vitral, intercaladas com montras de ferro e vidro, e os registos superiores têm janelas, retangulares no primeiro piso, curvas no segundo. Os tramos laterais são também rematados em frontão curvo. Por toda a fachada, em remate de frontões, rebordo de arcos e base de janelas, foram esculpidas grinaldas e florões.
O interior foi projetado segundo um programa moderno que alia o lazer com a vertente medicinal proporcionada pelas termas vizinhas. Nas primeiras décadas de funcionamento, de acordo com os requisitos da arquitetura hoteleira de excelência, o hotel oferecia serviços que permitiam longas estadias, como estação de correios e telégrafo, consultório médico, bazar, cabeleireiro e barbearia, salão de jogos e salão de festas. O programa decorativo original dos interiores foi mantido praticamente inalterado, com estuques, vitrais, azulejo, elementos de ferro forjado e revestimento de madeiras exóticas, evidenciando-se pelo requinte e elegância.
História
A propriedade onde se edificou o Palace Hotel da Curia foi comprada por José Ferreira da Portela em 1873, e depois herdada pela filha Branca Portela, casada com Luís Navega, diretor clínico da estância termal da Curia, tendo sido o médico quem se apercebeu do potencial turístico da herdade. Entre 1913 e 1915 construiu-se o primeiro hotel, com projeto de Deolindo Vieira e Rafael Duarte de Melo.
No ano de 1921 Alexandre de Almeida adquiriu o espaço, revolucionando "a arquitectura do edifício e a própria dinâmica turística da Curia" (Simão: 1998, p. 29). Proprietário de uma rede de hotéis, o empresário contratou Manuel Joaquim Norte Júnior para executar o projeto de remodelação do hotel da Curia, integrando os edifícios originais. À época, o arquiteto, já então um profissional reputado e vencedor de vários prémios Valmor, trabalhava em parceria com Jaime Inácio dos Santos no edifício vizinho das termas.
As obras decorreram entre 1922 e 1926 e o projeto, imponente, elegante, mas sobretudo atualizado com a mais moderna arquitetura hoteleira europeia, evidencia o gosto e o traço do seu autor, no ecletismo das formas e do ornato. No desenho da fachada podem reconhecer-se elementos característico da obra de Norte Júnior, como o frontão curvo com grande óculo de vitral, num modelo semelhante ao utilizado n' A Voz do Operário, as janelas geminadas com moldura superior em volta perfeita dos panos laterais, réplicas ampliadas das fenestrações utilizadas na sede da Associação dos Empregados do Comércio e Indústria e novamente n' A Voz do Operário, e o grande frontão de remate da fachada, que na planta original devia comportar a escultura de uma águia (nunca colocada), relembrando o frontão de exuberante efeito cénico das cocheiras Santos Jorge, no Estoril.
Catarina Oliveira
DGPC, 2015

Imagens

Bibliografia

Título

Termas da Curia: abordagem da arquitectura termal. Tese de mestrado.

Local

Lisboa

Data

2012

Autor(es)

COIMBRA, Ana Rita Freire

Título

Curia Palace Hotel. Pedido de classificação. (Processo de classificação do Palace Hotel da Curia)

Local

-

Data

1997

Autor(es)

BAPTISTA, João Alves

Título

A estância termal da Curia: história e arte. Aqua Nativa. Revista de Cultura da Região da Bairrada, n.º 14, Junho de 1998, pp. 23-33

Local

Anadia

Data

1998

Autor(es)

SIMÃO, Maria Cristina B.

Título

Norte Júnior - O percurso e a obra de um arquitecto artista. Sociedade Amor da Pátria. 150º Aniversário. 1859-2009.

Local

Horta

Data

2009

Autor(es)

CALADO, Maria

Título

Norte Júnior: obra arquitectónica, Tese de Mestrado em História da Arte.

Local

Lisboa

Data

1989

Autor(es)

PAIXÃO, Maria da Conceição Ludovice