Saltar para o conteúdo principal da página

Casa Lencastre - detalhe

Designação

Designação

Casa Lencastre

Outras Designações / Pesquisas

Casa de D. António de Lancastre / Casa dos Pelicanos / Albergaria dos Pelicanos / Paço dos Pelicanos / Casa Mantero / Casa Lencastre / Casa de D. António de Lencastre / Casa Mantero(Ver Ficha em www.monumentos.gov.pt)

Categoria / Tipologia

Arquitectura Civil / Casa

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Lisboa / Cascais / Cascais e Estoril

Endereço / Local

Rua Frederico Arouca
Cascais

Número de Polícia: 105

Proteção

Situação Actual

Classificado

Categoria de Protecção

Classificado como IM - Interesse Municipal

Cronologia

Aviso de 6-10-2006 da CM de Cascais, publicado no Boletim Municipal de 12-10-2006
Despacho de 13-09-2006 da Vereadora da Cultura, Educação e Assuntos Sociais e Saúde da CM de Cascais a homologar a classificação como de IM
Edital de 12-02-2004 da CM de Cascais
Despacho de abertura, sem data, da Vereadora da Cultura, Educação e Juventude da CM de Cascais a determinar a abertura do procedimento de classificação como de IM
Em 9-07-2003 foi dado conhecimento do despacho à CM de Cascais
Despacho de concordância de 15-05-2003 do presidente do IPPAR, com o consequente arquivamento do procedimento de âmbito nacional
Parecer favorável de 7-05-2003 do Conselho Consultivo do IPPAR
Proposta de 1-04-2003 da DR de Lisboa para que seja considerado que o imóvel não tem valor para uma classificação de âmbito nacional
Pedido de parecer de 28-01-2003 da CM de Cascais sobre a eventual classificação como de IM
Deliberação de 18-11-2002 da CM de Cascais a determinar o interesse na abertura do procedimento de classificação como de IM

ZEP

-

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

Imóvel
A Casa Lencastre, com a fachada principal virada ao mar, defronte à praia da Conceição, situa-se numa área onde se encontram implantados um conjunto de imóveis de relevante valor arquitetónico, podendo mesmo considerar-se este local um verdadeiro repositório dos vários estilos da arquitetura de veraneio de Cascais, elemento fundamental para a interpretação deste movimento urbanista dos finais do século XIX e princípios do século XX em Portugal. Refira-se, a propósito, que a nascente o enquadramento da Casa Lencastre, situada no extremo poente da praia da Conceição, faz-se com o Chalet Faial implantado ao centro, e com o Palácio Duque de Palmela no extremo oposto desta praia. Em frente da casa Lencastre encontra-se também o antigo Palácio Duque de Loulé, hoje Hotel Albatroz, sendo que a poente o seu antigo jardim confinava com os edifícios novecentistas e antigas cocheiras da família Palmela, bem como com a Casa dos Almadas, outro interessante exemplar da arquitetura de veraneio. Refira-se, ainda, que em frente da Casa Lencastre existe um pequeno templo, a Ermida de Nossa Senhora da Conceição e um cruzeiro, ambos com origens no século XVI.
O imóvel, de gosto italianizante, compõe-se de um corpo e torre, profusamente decorados com elementos de cantaria neomanuelinos e cobertura em telha amarela, inscrevendo-se num estilo eclético do oitocentismo mais tardio. Sobre o portal principal é ainda visível a pedra de armas da família Lencastre com a representação de pelicanos. Integrando o projeto arquitetónico inicial existiu outrora um interessante jardim que rodeava todo o conjunto mas que hoje se encontra bastante reduzido devido à construção de um condomínio. Segundo Raquel Henriques da Silva (1988), a casa funde a volumetria tradicional de um chalet com torreão lateral mas com a sugestão de palacete italianizante relativamente ao corpo principal.
No interior do edifício merece destaque a azulejaria dos séculos XVII e XVIII, e os trabalhos em madeira, sendo particularmente notável a biblioteca e a escadaria com o seu interessante corrimão. As pinturas do átrio de entrada e do teto do primeiro piso, datam da época da construção do imóvel em 1870.
História
O imóvel foi mandado construir por António Lencastre, médico da Rainha D. Amélia que assim acompanhava a instalação da Corte em Cascais, durante a sua estadia no final do Verão.
O edifício esteve igualmente na posse da família Perestrelo de Vasconcelos e, posteriormente, na família de Carlos Mantero. Finalmente em 2000 a casa foi adquirida pelos proprietários do Hotel Albatroz para que fosse adaptada a estalagem de luxo
Maria Ramalho Ramalho/DGPC/2015. Colaboração de Sónia R. Sousa/CMCascais.

Imagens

Bibliografia

Título

Cascais Menino

Local

Cascais

Data

1981

Autor(es)

FALCÃO, Pedro

Título

Cascais

Local

Lisboa

Data

1988

Autor(es)

SILVA, Raquel Henriques da

Título

Arquitectura de Veraneio- Cascais

Local

Cascais

Data

2010

Autor(es)

SILVA, Raquel Henriques da

Título

Cascais. Guia para uma visita

Local

Cascais

Data

1983

Autor(es)

ENCARNAÇÃO, José d'