Saltar para o conteúdo principal da página

Castro do Crastoeiro - detalhe

Designação

Designação

Castro do Crastoeiro

Outras Designações / Pesquisas

Castro de Crastoeiro / Castro do Castroeiro(Ver Ficha em www.monumentos.gov.pt)

Categoria / Tipologia

Arqueologia / Povoado Fortificado

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Vila Real / Mondim de Basto / São Cristóvão de Mondim de Basto

Endereço / Local

Lugar de Campos
Mondim de Basto

Proteção

Situação Actual

Em Vias de Classificação

Categoria de Protecção

Em Vias de Classificação (com Despacho de Abertura)

Cronologia

Anúncio n.º 120/2017, DR, 2.ª série, n.º 134, de 13-07-2017 (ver Anúncio)
Despacho de 30-03-2017 da diretora-geral da DGPC a determinar que se promova a audiência dos interessados
Proposta de 18-11-2016 da DRC do Norte para as restrições a fixar
Despacho de concordância de 24-10-2016 da diretora-geral da DGPC
Parecer de 21-09-2016 da SPAA do CNC a propor a devolução do processo à DRC do Norte para a reformulação da proposta
Em 5-06-2015 a DRC do Norte devolveu o processo, mantendo a proposta anterior
Despacho de 28-10-2014 do diretor-geral da DGPC, sob proposta dos serviços, a devolver o processo à DRC do Norte para a reponderação
Nova proposta de 12-09-2014 da DRC do Norte
Devolvido à DRC do Norte por despacho de 8-04-2014 do diretor-geral da DGPC para reponderação
Proposta de 2-04-2014 da DRC do Norte para a classificação como SIP
Anúncio n.º 199/2013, DR, 2.ª série, n.º 108, de 5-06-2013 (ver Anúncio)
Despacho de abertura de 8-05-2013 do Secretário de Estado da Cultura
Parecer favorável de 30-04-2013 da diretora-geral da DGPC
Proposta dde 19-04-2013 da DRC do Norte para a abertura de novo procedimento
Procedimento caducado nos termos do artigo 78.º do Decreto-Lei n.º 309/2009, DR, 1.ª série, N.º 206 de 23-10-2009 (ver Diploma) , alterado pelo Decreto-Lei n.º 265/2012, DR, 1.ª série, n.º 251, de 28-12-2012 (ver Diploma)
Procedimento prorrogado até 31-12-2012 pelo Decreto-Lei n.º 115/2011, DR, 1.ª série, n.º 232, de 5-12-2011 (ver Diploma)
Procedimento prorrogado pelo Despacho n.º 19338/2010, DR, 2.ª série, n.º 252, de 30-12-2010 (ver Despacho)
Parecer favorável de 15-07-2009 do Conselho Consultivo do IGESPAR, I.P.
Proposta de 25-05-2006 da DR do Porto para a classificação como IIP
Despacho de abertura de 3-08-1999 do vice-presidente do IPPAR
Proposta de 27-07-1999 da DR do Porto

ZEP

Anúncio n.º 120/2017, DR, 2.ª série, n.º 134, de 13-07-2017 (ver Anúncio)
Despacho de 30-03-2017 da diretora-geral da DGPC a determinar que se promova a audiência dos interessados
Proposta de 18-11-2016 da DRC do Norte para as restrições a fixar
Despacho de concordância de 24-10-2016 da diretora-geral da DGPC
Parecer de 21-09-2016 da SPAA do CNC a propor a devolução do processo à DRC do Norte para reformulação da proposta
Em 5-06-2015 a DRC do Norte devolveu o processo, mantendo a proposta anterior
Despacho de 28-10-2014 do diretor-geral da DGPC, sob proposta dos serviços, a devolver o processo à DRC do Norte para reponderação
Nova proposta de 12-09-2014 da DRC do Norte
Devolvido à DRC do Norte por despacho de 8-04-2014 do diretor-geral da DGPC para reponderação
Proposta de 2-04-2014 da DRC do Norte
Sem efeito, por força do primeiro procedimento de classificação ter caducado
Parecer favorável de 15-07-2009 do Conselho Consultivo do IGESPAR,I.P.
Proposta de 25-05-2006 da DR do Porto de ZEP conjunta com a Estação Rupestre de Campelo

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido em ZEP ou ZP

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

O "Castro de Crastoeiro" ergue-se na falda do Monte Farinha, a cerca de quinhentos metros do local onde foi construído o conhecido "Santuário de Nossa Senhora da Graça", com um domínio privilegiado sobre todo o vale envolvente.
Construído durante a Idade do Ferro, o povoado dispunha de um complexo sistema de fortificação constituído por duas cintas de muralha com paramento duplo revestido com blocos graníticos preenchido com terra e pedras de reduzidas dimensões, que, nalguns trechos, chegaria a atingir uma largura máxima de aproximadamente dois metros e meio por dois de altura. Este método defensível era completado por um fosso escavado no afloramento granítico do lado Nordeste.
É no recinto de configuração ovalada delimitado pela primeira linha de muralha que nos deparamos com a presença de um conjunto de vestígios de estruturas domésticas de planta predominantemente circular, com vestíbulo rectangular, edificadas com aparelho poligonal bem afeiçoado. As intervenções arqueológicas conduzidas neste arqueosítio permitiram, ainda, reconhecer a abertura e uma estrutura pétrea adossada à face interna da primeira cinta de muralha que, ao que tudo parece indicar, se trataria de uma lareira.
Além destes elementos, foram de igual modo identificadas algumas gravuras rupestres cronologicamente atribuíveis ao Bronze Final (ou seja, a um período presumivelmente anterior ao considerado para a edificação do povoado, propriamente dito), executadas na superfície de seis dos afloramentos graníticos aí existentes, e onde predominam motivos tão característicos deste período, quanto as "covinhas", os círculos simples e concêntricos, bem como os espirais e os quadrangulares.
A maioria do espólio encontrado durante as múltiplas investigações parece enquadrar-se no período geralmente conhecido por "fase II da Cultura Castreja". Embora em escassa quantidade e diversidade, será, este, o caso dos vários fragmentos de cerâmica comum, designadamente de recipientes de perfil em "S" e bordos em aba quase horizontal. A par destes elementos, foram também recolhidos no local quatro fragmentos de mós manuais, bem como alguns materiais executados em bronze (uma placa e uma fíbula anular), ferro e vidro (três contas), a atestar, no fundo, as relações que os seus habitantes foram mantendo com realidades exteriores.
[AMartins]

Imagens

Bibliografia

Título

O Povoado da Idade do Ferro do Crastoeiro (Mondim de Basto, Norte de Portugal)

Local

Braga

Data

2001

Autor(es)

DINIS, António Pereira

Título

Contribuição para o estudo da idade do ferro em Basto: O castro do Crastoeiro, Cadernos de Arqueologia

Local

Braga

Data

1993

Autor(es)

DINIS, António Pereira

Título

Escavações Arqueológicas no Castro do Crastoeiro - Campanha de 1987, Monte Farinha

Local

Mondim de Basto

Data

1988

Autor(es)

DINIS, António Pereira

Título

Castro do Crastoeiro - Mondim de Basto (Vila Real), Informação Arqueológica

Local

Lisboa

Data

1994

Autor(es)

DINIS, António Pereira

Título

Casto do Crastoeiro - Mondim de Basto (Vila Real)1986, Informação Arqueológica

Local

Lisboa

Data

1987

Autor(es)

DINIS, António Pereira

Título

Castro do Crastoeiro - Mondim de Basto (Vila Real)1985, Informação Arqueológica

Local

Lisboa

Data

1986

Autor(es)

DINIS, António Pereira