Saltar para o conteúdo principal da página

Sequeiro e Eira bem como estruturas hidráulicas em pedra, designadamente minas, aqueduto subterrâneo e aéreo, tanque e levadas, existentes na Quinta do Mosteiro de Rendufe - detalhe

Designação

Designação

Sequeiro e Eira bem como estruturas hidráulicas em pedra, designadamente minas, aqueduto subterrâneo e aéreo, tanque e levadas, existentes na Quinta do Mosteiro de Rendufe

Outras Designações / Pesquisas

Mosteiro de Santo André de Rendufe (Ver Ficha em www.monumentos.gov.pt)

Categoria / Tipologia

Arquitectura Mista / Conjunto

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Braga / Amares / Rendufe

Endereço / Local

Quinta do Mosteiro de Rendufe
Rendufe

Proteção

Situação Actual

Procedimento caducado - sem protecção legal

Categoria de Protecção

Não aplicável

Cronologia

Procedimento caducado nos termos do artigo 78.º do Decreto-Lei n.º 309/2009, DR, 1.ª série, N.º 206 de 23-10-2009 (ver Diploma) , alterado pelo Decreto-Lei n.º 265/2012, DR, 1.ª série, n.º 251, de 28-12-2012 (ver Diploma)
Procedimento prorrogado até 31-12-2012 pelo Decreto-Lei n.º 115/2011, DR, 1.ª série, n.º 232, de 5-12-2011 (ver Diploma)
Procedimento prorrogado pelo Despacho n.º 19338/2010, DR, 2.ª série, n.º 252, de 30-12-2010 (ver Despacho)
Despacho de abertura de 15-10-1998

ZEP

-

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido em ZEP ou ZP

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

Implantado no centro do Minho, o território correspondente na actualidade ao concelho de Amares situa-se entre os rios Homem e Cávado, na orla da Serra do Gerês. Uma situação geográfica assaz propícia à actividade que acabaria por prevalecer no seio da população humana que o procurou para nele se fixar, ou seja, a agrícola, especialmente de minifúndio, na qual se destaca a produção vinícola, bastante fértil nestes terrenos predominantemente calcários.
Com efeito, "[...] A chamada Terra de Entre Cávado e Homem, pela sua natureza montanhosa, bem defendida, a poente e sul, pelos dois rios e, do lado este e norte, pelos píncaros e desfiladeiros do Gerês, parece ter sido um dos refúgios mais seguros dos Cristãos, logo após a invasão mourisca (séc. VIII)." (Guia de Portugal, p. 895).
De entre a multiplicidade de edificações erguidas ao longo dos séculos sobressai, sem dúvida, o Mosteiro construído em terras de Rendufe.
A presente classificação reporta-se, por conseguinte, não ao cenóbio, propriamente dito, porquanto há muito legalmente protegido através de classificação própria, mas ao "Sequeiro e Eira bem como das estruturas hidráulicas em pedra, designadamente minas, aqueduto subterrâneo e aéreo, tanque e levadas" existentes em toda a sua quinta. Componentes estes que, além de historiarem o quotidiano dos monges beneditinos, traduzem o esforço de actualização exercido pelos seus residentes na área de exploração agrícola dos terrenos que tinham a seu cuidado, de modo a adequá-la a um modo de vida, tanto quanto possível, auto-suficiente.
[AMartins]

Bibliografia

Título

Santo André de Rendufe - subsídios para a História da sua igreja durante o século XVIII, Bracara Augusta, vol. XXIII, fasc. 56 (68), pp. 5-42

Local

Braga

Data

1969

Autor(es)

SMITH, Robert C.

Título

O mosteiro de Rendufe (1090-1570), Bracara Augusta, vol. XXIII, fasc.56

Local

Braga

Data

1971

Autor(es)

MATTOSO, José

Título

Mosteiro de Santo André de Rendufe - uma análise histórica e arqueológica, Pedra & Cal, n.º 25, pp. 14-15

Local

Lisboa

Data

2005

Autor(es)

CATALÃO, Sofia Barroo

Título

Guia de Portugal, v.4, t. II : Entre Douro e Minho, Minho

Local

Lisboa

Data

1996

Autor(es)

DIONÍSIO, Sant'Ana

Título

Rendufe, Tesouros Artísticos de Portugal

Local

Lisboa

Data

1976

Autor(es)

ALMEIDA, José António Ferreira de