Saltar para o conteúdo principal da página

Vila Africana, incluindo os jardins e o muro envolvente - detalhe

Designação

Designação

Vila Africana, incluindo os jardins e o muro envolvente

Outras Designações / Pesquisas

Casa Vila Africana (Ver Ficha em www.monumentos.gov.pt)

Categoria / Tipologia

Arquitectura Civil / Edifício

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Aveiro / Ílhavo / Ílhavo (São Salvador)

Endereço / Local

Rua Vasco da Gama
Ílhavo

Número de Polícia: 105

Proteção

Situação Actual

Classificado

Categoria de Protecção

Classificado como MIP - Monumento de Interesse Público

Cronologia

Portaria n.º 203/2014, DR, 2.ª série, n.º 51, de 13-03-2014 (ver Portaria)
Despacho de homologação de 3-02-2005 da Ministra da Cultura
Parecer favorável de 10-11-2004 do Conselho Consultivo do IPPAR
Proposta de 30-01-2004 da DRCoimbra para a classificação como IIP
Despacho de abertura de 21-11-2002 do vice-presidente do IPPAR
Proposta de abertura de 8-11-2002 da DRCoimbra
Proposta de classificação de 29-03-1999, de particular

ZEP

Parecer de 7-11-2011 da SPAA do Conselho Nacional de Cultura a propor a revisão da proposta de ZEP
Proposta de 24-11-2010 da DRCCentro

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido em ZEP ou ZP

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

A região de Aveiro destaca-se pelo conjunto de imóveis Arte Nova que aqui se desenvolveram no início do século XX, constituindo a denominada Vila Africana um dos seus mais significativos exemplos. Situada em Ílhavo, esta habitação unifamiliar impõe-se pela sua volumetria pouco uniforme, pela organicidade de alguns dos vãos, e pelo notável conjunto de cantarias trabalhadas que exibe, a par de azulejos de diversas tonalidades e motivos.
Na fachada principal, a entrada é feita através de um duplo lanço de escadas, paralelo ao frontispício, protegido por uma gradaria de formas orgânicas, muito ao gosto Arte Nova. Antecede a entrada um alpendre suportado por colunas profusamente decoradas. Um friso de azulejos de motivos florais percorre todo o edifício junto à cornija.
A porta oval do piso térreo, relaciona-se com a janela superior, decorada por elementos de inspiração natural e uma máscara central. A forma oval repete-se no vão de dimensões reduzidas que coroa o corpo mais alto, uma espécie de torreão, com remate em coruchéu. Sobre a referida janela, um painel de azulejo envolto por folhagem, exibe a designação da casa. Do lado oposto abre-se uma outra janela geminada.
Esta fachada Arte Nova contrasta vivamente com as restantes, bastante mais depuradas. Tal diferença deve-se à interrupção das obras da casa, em consequência da I Guerra Mundial. Na verdade, a Vila Africana foi erguida entre 1907 e 1908 a expensas do Dr. José Vaz, que encomendou o projecto arquitectónico ao pintor e decorador regional José de Pinho, com várias outras obras nas proximidades. O eclodir da Grande Guerra levou à interrupção dos trabalhos, recomeçados anos mais tarde, mas certamente com menos recursos do que os iniciais e já numa outra conjuntura (Processo de Classificação, IPPAR/DRC).
O interior encontra-se muito descaracterizado conservando, da estrutura original, apenas as portas de madeira, com bandeira superior e vidros coloridos.
O terreno em torno da casa é protegido por um muro, de cantaria e grades também Arte Nova, conferindo uma grande unidade ao projecto.
(Rosário Carvalho)

Imagens

Bibliografia

Título

Aveiro - do Vouga ao Buçaco

Local

Lisboa

Data

1989

Autor(es)

NEVES, Amaro, SEMEDO, Enio, ARROTEIA, Jorge Carvalho

Título

Da Arte Nova em Aveiro: o porquê da diversidade do estilo

Local

Aveiro

Data

1997

Autor(es)

NEVES, Amaro