Saltar para o conteúdo principal da página

Oficina de Fundição Sineira de Granja Nova - detalhe

Designação

Designação

Oficina de Fundição Sineira de Granja Nova

Outras Designações / Pesquisas

Oficina de Fundição Sineira em Granja Nova (Ver Ficha em www.monumentos.gov.pt)

Categoria / Tipologia

Arquitectura Civil / Oficina

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Viseu / Tarouca / Granja Nova e Vila Chã da Beira

Endereço / Local

- EN 226
Granja Nova

Proteção

Situação Actual

Classificado

Categoria de Protecção

Classificado como MIP - Monumento de Interesse Público

Cronologia

Portaria n.º 214/2013, DR, 2.ª série, n.º 71, de 11-04-2013 (ver Portaria)
Procedimento prorrogado até 30-06-2013 pelo Decreto-Lei n.º 265/2012, DR, 1.ª série, n.º 251, de 28-12-2012 (ver Diploma)
Anúncio n.º 13595/2012, DR, 2.ª série, n.º 202, de 18-10-2012 (ver Anúncio)
Parecer favorável de 26-09-2012 da SPAA do Conselho Nacional de Cultura
Nova proposta de 31-05-2012 da DRC do Norte para a classificação como MIP
Procedimento prorrogado pelo Decreto-Lei n.º 115/2011, DR, 1.ª série, n.º 232, de 5-12-2011 (ver Diploma)
Procedimento prorrogado pelo Despacho n.º 19338/2010, DR, 2.ª série, n.º 252, de 30-12-2010 (ver Despacho)
Devolvido à DR do Porto por despacho de 2-06-2006 da vice-presidente do IPPAR para juntar proposta de ZEP
Proposta de 27-05-2004 da DR do Porto para a classificação como MIP
Despacho de abertura de 22-10-2002 do vice-presidente do IPPAR
Proposta de abertura de 10-10-2002 da DR do Porto

ZEP

Portaria n.º 214/2013, DR, 2.ª série, n.º 71, de 11-04-2013 (sem restrições) (ver Portaria)
Anúncio n.º 13595/2012, DR, 2.ª série, n.º 202, de 18-10-2012 (ver Anúncio)
Parecer favorável de 26-09-2012 da SPAA do Conselho Nacional de Cultura
Proposta de 31-05-2012 da DRC do Norte

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido em ZEP ou ZP

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

Região particularmente abundante em vestígios arqueológicos datáveis da mais remota antiguidade, numa evidência da diversidade e excelência dos recursos cinegéticos essenciais à sobrevivência e fixação humana ao longo dos tempos, Tarouca dispõe de inúmeros testemunhos arquitectónicos de um passado menos longínquo, porém tão relevante quanto aquele, anteriores à formação da própria nacionalidade e seus contemporâneos, num testemunho da relevância estratégia do seu posicionamento no actual território português, a exemplo, entre outros, do Mosteiro de S. João de Tarouca.
A presente proposta de classificação diz, no entanto, respeito a um exemplar (ainda raro entre nós) de "Oficina de Fundição Sineira" situada no termo da freguesia de Granja Nova. O que não surpreenderá se relembrarmos a proximidade daquele templo e o próprio facto de se ter encontrado recentemente em S. João de Tarouca um forno quinhentista destinado, justamente, ao fabrico de sinos, e cuja réplica foi, entretanto, integrada numa exposição promovida, em conjunto, pela Faculdade de Engenharia do Porto e pelo IPPAR, intitulada "Sinos: a partir da fundição".
[AMartins]

Imagens