Saltar para o conteúdo principal da página

Conjunto arquitetónico constituído pelos imóveis sitos na Avenida Dr. António Lourenço Peixinho, 64 a 88 - detalhe

Designação

Designação

Conjunto arquitetónico constituído pelos imóveis sitos na Avenida Dr. António Lourenço Peixinho, 64 a 88

Outras Designações / Pesquisas

Conjunto arquitectónico constituído pelos edifícios da antiga "Casa Paris", "Ourivesaria Matias" e do antigo "Café Avenida" / Casa na Avenida Dr. Lourenço Peixinho, n.º 66 a 70 / Casa Paris (Ver Ficha em www.monumentos.gov.pt)

Categoria / Tipologia

Arquitectura Civil / Mista

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Aveiro / Aveiro / Glória e Vera Cruz

Endereço / Local

Avenida Dr. António Lourenço Peixinho
Aveiro

Número de Polícia: 64-88

Proteção

Situação Actual

Classificado

Categoria de Protecção

Classificado como CIP - Conjunto de Interesse Público

Cronologia

Portaria n.º 97/2014, DR, 2.ª série, n.º 30, de 12-02-2014 (sem restrições) (ver Portaria)
Despacho de homologação de 26-05-2003 do Ministro da Cultura
Novo parecer de 7-05-2003 do Conselho Consultivo do IPPAR
Parecer de 22-11-1999 do Conselho Consultivo do IPPAR a propor a classificação como IIP
Proposta de 14-01-1999 da DR de Coimbra para a classificação como VC
Despacho de abertura de 4-02-1998 do vice-presidente do IPPAR
Proposta de 23-10-1997 da DR de Coimbra para a abertura do processo de classificação do Conjunto arquitectónico constituído pelos edifícios da "Casa Paris"; "Ourivesaria Matias" e "Pastelaria Avenida"
Propostas de 15-10-1997, de particulares, para a classificação da Casa Paris, da Ourivesaria Matias e da Pastelaria Avenida

ZEP

Despacho de 7-11-2011 do diretor do IGESPAR, I.P. a devolver o processo à DRC do Centro para formalizar propostas de ZEP individuais
Parecer favorável de 7-11-2011 da SPAA do Conselho Nacional de Cultura, devendo ser fixada uma ZEP para cada imóvel classificado
Proposta de 2-10-2009 da DRC do Centro para a ZEP conjunta do Conjunto arquitectónico constituído pelos edifícios da "Casa Paris"; "Ourivesaria Matias" e "Pastelaria Avenida" e da antiga Capitania do Porto de Aveiro

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido em ZEP ou ZP

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

Situado numa das principais artérias de Aveiro, a Avenida Lourenço Peixinho, este conjunto de imóveis ilustra a evolução da arquitectura na cidade, entre o século XIX e o século XX, período em que se destacou, muito fortemente, a linguagem Arte Nova, verificando-se, mais tarde, a abertura a uma tendência geometrizante, própria da denominada Art Déco.
Assim, e se na Casa Paris dominam, ainda, as linhas curvas, estas articulam-se com um certo geometrismo que deixa antever o gosto rectilíneo que prevalece nas fachadas, quer na Pastelaria Avenida, quer na Ourivesaria Matias. Todos os edifícios se desenvolvem em dois andares e, mau grado as várias adaptações sofridas no piso térreo, foram conservadas as portas laterais originais.
A concepção da Casa Paris tem vindo a ser atribuída, ainda que com algumas reservas, ao arquitecto aveirense Francisco Augusto da Silva Rocha (1864-1957), responsável pelo projecto de vários imóveis Arte Nova na cidade. A possível autoria deste edifício resulta da sua aproximação a uma das casas desenhadas por este arquitecto, situada nos números 12 a 14 da Rua do Carmo. Na Casa Paris, verificamos como a estrutura, sóbria, recebe uma decoração cuidada, presente nas gradarias em ferro forjado, nas janelas de sacada, ou nas cantarias e aventais dos janelões, com motivos florais encimados por vasos bulbosos. Destacam-se as portas laterais, em cantaria, que parecem suportar os corpos salientes do andar superior (POLICARPO, Proc. de Classificação, IPPAR, 1998).
Contrastando fortemente com o edifício precedente, os restantes denotam uma decoração de cariz geométrico, de linhas rectas e sem muitos pormenores decorativos, características próprias da arquitectura Art Déco.
Na Pastelaria Avenida, a cornija é interrompida pelo corpo central, mais alto devido à existência de um sótão. Destaca-se, no primeiro piso, uma janela de sacada, com varanda de pedra, e gradaria de decoração geométrica.
Por fim, a Ourivesaria Matias exibe um corpo central, limitado por pilastras estriadas e salientes. A cornija é decorada com elementos geométricos em forma de V, tal como o gradeamento das janelas de sacada.
Todavia, e apesar de conservarem a sua estrutura, certo é que os três edifícios se encontram um pouco descaracterizados ao nível do rés-do-chão, devido às sucessivas adaptações a novas funções comerciais. Situação semelhante acontece no interior, com maior incidência no caso da Pastelaria Avenida.
(Rosário Carvalho)

Imagens

Bibliografia

Título

A Arte em Portugal no século XX

Local

Lisboa

Data

1991

Autor(es)

FRANÇA, José-Augusto

Título

Aveiro: cidade Arte Nova

Local

Aveiro

Data

1999

Autor(es)

BORGES, Jaime