Saltar para o conteúdo principal da página

Casa na Rua de Valdevinos, n.os 42 - 44 - detalhe

Designação

Designação

Casa na Rua de Valdevinos, n.os 42 - 44

Outras Designações / Pesquisas

Antigo palacete pertencente a Rui de Sousa / Edifício com janelas manuelinas na Rua de Valdevinos / Casa na Rua de Valdevinos, n.º 42 a 44 / Palacete de Rui de Sousa(Ver Ficha em www.monumentos.gov.pt)

Categoria / Tipologia

Arquitectura Civil / Casa

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Évora / Évora / Évora (São Mamede, Sé, São Pedro e Santo Antão)

Endereço / Local

Rua de Valdevinos
Évora

Número de Polícia: 42-44

Proteção

Situação Actual

Em Vias de Classificação

Categoria de Protecção

Em Vias de Classificação para IM - Interesse...

Cronologia

Em 26-01-2004 foi comunicado à Câmara Municipal de Évora o interesse de classificar como de IM

ZEP

-

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido em ZEP ou ZP

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

Abrangido por conjunto inscrito na Lista do Património Mundial da UNESCO, que, ao abrigo do n.º 7 do art.º 15.º da Lei n.º 107/2001, de 8 de Setembro, se encontra classificado como MN

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

Esta casa da Rua de Valdevinos, onde obras de manutenção vieram a revelar a existência de duas interessantes janelas manuelinas até então entaipadas, é provavelmente o único vestígio da habitação nobre de Rui de Sousa, fidalgo e cientista da corte de D. Manuel, segundo se depreende de alguns estudos de Túlio Espanca. O imóvel sofreu, ao longo do tempo, beneficiações que lhe alteraram definitivamente a traça original; apesar disso, a sua inserção no casario do centro histórico da cidade, integrando provavelmente a estrutura da antiga muralha romano-medieval, bem como os elementos manuelinos encontrados, justificam a sua classificação.
As molduras das janelas, idênticas, são em cantaria montada sobre uma estrutura de tijolo miúdo, e desenvolvem-se em dois arcos de ferradura geminados, assentes sobre capitéis com motivos vegetalistas, dos quais restam apenas os laterais. As janelas foram entaipadas certamente na altura em que os seus vãos foram alterados para integrar duas molduras de verga recta, modernas, que ainda causaram a perda dos colunelos das ilhargas, dos capitéis e dos mainéis centrais. SML

Imagens