Saltar para o conteúdo principal da página

Solar Pinto de Castello Branco - detalhe

Designação

Designação

Solar Pinto de Castello Branco

Outras Designações / Pesquisas

Casa Pinto / Quinta da Porta / Solar Pinto de Castelo Branco / Casa Pinto / Quinta da Porta (Ver Ficha em www.monumentos.gov.pt)

Categoria / Tipologia

Arquitectura Civil / Quinta

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Castelo Branco / Fundão / Vale de Prazeres e Mata da Rainha

Endereço / Local

Rua Aurélio Pinto de Castello Branco
Vale de Prazeres

Número de Polícia: 8

Proteção

Situação Actual

Procedimento caducado - sem protecção legal

Categoria de Protecção

Não aplicável

Cronologia

Procedimento caducado nos termos do artigo 78.º do Decreto-Lei n.º 309/2009, DR, 1.ª série, N.º 206 de 23-10-2009 (ver Diploma)
Despacho de abertura de 6-011-2001 do vice-presidente do IPPAR
Proposta de abertura de 30-10-2001 da DR Castelo Branco
Proposta de classificação de 27-08-2001 do proprietário

ZEP

-

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido em ZEP ou ZP

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

A fundação da Quinta da Porta, situada em Vale de Prazeres, deverá remontar ao século XVI, embora o actual solar, pertencente à família Pinto de Castello Branco, derive das grandes obras de ampliação realizadas pelos proprietários no século XVIII.
Desenvolve-se numa planta em U, com alçados laterais mais extensos que a frontaria, integrando no seu conjunto jardim, dependências agrícolas e capela privativa.
O núcleo central da casa divide-se em três pisos que, obedecendo aos pressupostos definidos pela tratadística italiana quinhentista, tinham utilizações sociais muito distintas, servindo os pisos térreos para as dependências de serviços e os superiores para as zonas nobres e de habitação.
A fachada apresenta um modelo ao gosto da arquitectura solarenga, ritmada pela disposição de janelas de sacada com guarda de ferro no piso superior. Ao centro, no registo inferior, foi aberta a porta de entrada, em ferro, enquadrada por moldura de granito e ladeada por duas janelas, tendo-se disposto sobre ela o brasão da família Pinto de Castello Branco.
No interior, o piso térreo possui oito divisões, utilizadas como "lojas", que se desenvolvem em torno de um pátio central, no qual se situa a escadaria de acesso ao andar nobre.
No piso nobre, os compartimentos distribuem-se em torno de uma sala central - a Sala do Relógio -, sendo comunicantes entre si. Num dos extremos deste piso, situa-se a biblioteca, através da qual se comunica interiormente com o espaço da capela.
Tal como os pisos anteriores, o terceiro andar do solar, com seis divisórias e três sobrados, abre-se em torno de uma sala central, à qual se acede a partir de uma escadaria de madeira situada na Sala do Relógio.
Nas traseiras do solar, independente do núcleo principal da casa, foi edificado um conjunto de sete casas térreas, que serviriam de dependências agrícolas, tendo duas delas acesso directo à rua exterior à quinta.
Num dos extremos da fachada da casa, junto aos jardins e ao Tanque dos Pinheiros, ergue-se a capela. Dividida em dois registos, a fachada é delimitada por contrafortes coroados por pináculos, apresentando ao centro portal de moldura rectangular, precedido por degraus e rematado por volutas, sobre o qual foi aberta uma pequena janela de moldura em arco abatido. O interior do pequeno templo é um espaço único, coberto por tecto abobadado em granito.
Catarina Oliveira
DIDA/IGESPAR/ 21 de Agosto de 2007

Imagens