Saltar para o conteúdo principal da página

Igreja da Misericórdia de Salvaterra do Extremo - detalhe

Designação

Designação

Igreja da Misericórdia de Salvaterra do Extremo

Outras Designações / Pesquisas

Igreja da Santa Casa da Misericórdia de Salvaterra do Extremo (Ver Ficha em www.monumentos.gov.pt)

Categoria / Tipologia

Arquitectura Religiosa / Igreja

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Castelo Branco / Idanha-a-Nova / Monfortinho e Salvaterra do Extremo

Endereço / Local

Largo do Adro da Igreja
Salvaterra do Extremo

Proteção

Situação Actual

Classificado

Categoria de Protecção

Classificado como MIP - Monumento de Interesse Público

Cronologia

Portaria n.º 178/2013, DR, 2.ª série, n.º 67, de 5-04-2013 (ver Portaria)
Relatório final do procedimento aprovado por despacho de 16-01-2013 da diretora-geral da DGPC
Procedimento prorrogado até 30-06-2013 pelo Decreto-Lei n.º 265/2012, DR, 1.ª série, n.º 251, de 28-12-2012 (ver Diploma)
Anúncio n.º 13633/2012, DR, 2.ª série, n.º 209, de 29-10-2012 (ver Anúncio)
Procedimento prorrogado pelo Decreto-Lei n.º 115/2011, DR, 1.ª série, n.º 232, de 5-12-2011 (ver Diploma)
Procedimento prorrogado pelo Despacho n.º 19338/2010, DR, 2.ª série, n.º 252, de 30-12-2010 (ver Despacho)
Despacho de homologação de 29-05-2003 do Ministro da Cultura
Parecer de 7-05-2003 do Conselho Consultivo do IPPAR a propor a classificação como IIP
Proposta de 11-02-2003 da DR de Castelo Branco para a classificação como de IM
Despacho de abertura de 7-11-201 do vice-presidente do IPPAR
Proposta de 23-07-2001 da DR de Castelo Branco para a abertura da instrução do processo de classificação
Proposta de classificação de 2-07-2001 da Santa Casa da Misericórdia de Salvaterra do Extremo

ZEP

-

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido em ZEP ou ZP

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

Em 1498 era fundada em Lisboa a primeira irmandade da Misericórdia, sob a égide da rainha D. Leonor, que tinha como objectivo prestar assistência a pobres e enfermos. O exemplo foi seguido por diversas localidades um pouco por todo o território continental, e nos 25 anos que se seguiram foram criadas cerca de 60 irmandades. Na vila de Salvaterra do Extremo, conhecida no início do século XVI como Salvaterra da Beira, a Misericórdia terá sido criada poucos anos depois da irmandade lisboeta, possivelmente no ano de 1505.
Algum tempo depois a Misericórdia local dava início à construção da sua igreja, no centro da vila, e num dos arruamentos laterais ao largo da igreja foi edificado o hospital da irmandade, que prestava assistência aos enfermos do então concelho de Salvaterra da Beira, havendo comunicação entre este e a igreja pelo interior do quarteirão. Posteriormente o hospital acabou por perder a sua importância quando o concelho de Salvaterra do Extremo foi extinto em 1855, o que possivelmente levou à sua extinção.
A fachada principal da igreja apresenta-se simples e depurada de decoração, estando dividida em dois registos. Ao centro foi aberto um portal de volta perfeita com impostas salientes, ladeado por duas pilastras jónicas e enquadrado num alfiz coroado por dois pináculos. No enquadramento do portal, no segundo registo, uma janela de moldura em arco perfeito. A fachada é rematada em empena, coroada ao centro por cruz, tendo sido colocado no extremo esquerdo do remate uma sineira encimada por empena. Na fachada lateral esquerda está adossada uma construção, enquanto que a fachada lateral oposta possui janela no volume correspondente à sacristia, existindo aí uma porta de acesso ao coro-alto com moldura de volta perfeita e impostas salientes, que actualmente se encontra emparedada.
O interior do templo é de nave única, articulada com capela-mor e sacristia. Ao fundo possui coro-alto suportado por pilares toscanos assentes em plintos, ao qual se tem acesso por lanço de escadas do lado do Evangelho. Neste lado, perto dos altares colaterais, foi colocado o púlpito, de secção quadrada assente em pilar. Ao centro, arco triunfal em arco apontado ladeado por dois altares em madeira, elaborados no século XIX. A capela-mor é coberta por tecto de madeira tripartido, e possui retábulo de madeira pintada, com representação do Calvário, estando guardada neste espaço a bandeira da irmandade elaborada no século XVII.
Catarina Oliveira
GIF/ IPPAR/ 2004

Imagens

Bibliografia

Título

Monografia de Salvaterra do Extremo

Local

Salvaterra do Extremo

Data

1945

Autor(es)

BARGÃO, J. D.