Saltar para o conteúdo principal da página

Igreja da Misericórdia de São Vicente da Beira - detalhe

Designação

Designação

Igreja da Misericórdia de São Vicente da Beira

Outras Designações / Pesquisas

Capela da Santa Casa da Misericórdia de São Vicente da Beira (Ver Ficha em www.monumentos.gov.pt)

Categoria / Tipologia

Arquitectura Religiosa / Igreja

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Castelo Branco / Castelo Branco / São Vicente da Beira

Endereço / Local

-

Proteção

Situação Actual

Procedimento encerrado / arquivado - sem protecção legal

Categoria de Protecção

Não aplicável

Cronologia

Foi dado conhecimento do despacho à CM de Castelo Branco e à Santa Casa da Misericórdia
Despacho de 25-06-2006 da vice-presidente do IPPAR a determinar a revogação do despacho de abertura
Proposta de 8-11-2002 da DR de Castelo Branco para arquivamento do procedimento, atendendo às obras levadas a efeito no imóvel, e envio do processo à CM de Castelo Branco para a ponderação da classificação como de IM
Despacho de 2-11-2000 do vice-presidente do IPPAR a determinar a abertura do procedimento de classificação

ZEP

-

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido em ZEP ou ZP

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

De acordo com a tradição, a vila de São Vicente da Beira deve a sua denominação a D. Afonso Henriques, que terá concedido privilégios para a fundação da vila em 1173, ano em que se procedeu à trasladação dos restos mortais do Mártir São Vicente.
A igreja da Misericórdia é considerada uma das igrejas mais antigas da vila, cuja construção, de acordo com a inscrição sobre o portal lateral, remonta ao ano de 1643 (embora a matriz lhe seja anterior, pois a capela-mor e a torre sineira foram edificadas no decorrer do século XV).
A fachada principal é ladeada por cunhais em pedra coroados por pináculos, apresentando, ao centro, portal principal de verga recta a que se sobrepõe janela rectangular rematada por frontão. No interior destaca-se a capela-mor com altar em talha dourada do século XVII e a imagem de Cristo crucificado ao centro; bem como o tecto apainelado com representações dos Mistérios Dolorosos e Gloriosos.
No Museu anexo encontram-se várias imagens, entre as quais um conjunto medieval e um Menino Jesus de Malines; ou pinturas do século XVII, nomeadamente a bandeira da Misericórdia e as telas das procissões.
(Rosário Carvalho)

Imagens