Saltar para o conteúdo principal da página
Património Cultural

Edifícios designados "Casas Raul Lino" - detalhe

Designação

Designação

Edifícios designados "Casas Raul Lino"

Outras Designações / Pesquisas

Casas da Família Guerreiro / Casas da Família Guerreiro / Casas de Raul Lino (Ver Ficha em www.monumentos.gov.pt)

Categoria / Tipologia

Arquitectura Civil / Casa

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Faro / Tavira / Tavira (Santa Maria e Santiago)

Endereço / Local

Avenida Dr. Mateus Texeira de Azevedo
Tavira

Número de Polícia: 53 e 55

Proteção

Situação Actual

Classificado

Categoria de Protecção

Classificado como IM - Interesse Municipal

Cronologia

Edital n.º 103/2006 de 14-09-2006 da CM de Tavira
Deliberação de 30-08-2006 da CM de Tavira a determinar a classificação como de IM
Despacho de encerramento de 15-05-2003 no âmbito do IPPAR
Parecer de 7-05-2003 do Conselho Consultivo do IPPAR a propor a classificação como IIM
Despacho de abertura de 6-11-2000 do vice-presidente do IPPAR
Proposta de classificação de 28-07-2000 da CM de Tavira

ZEP

-

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido em ZEP ou ZP

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

Imóvel
Os dois edifícios da Avenida Dr. Mateus Teixeira de Azevedo com os números 53 e 55 (atual 47), constituem uma memória da expansão urbanística ocorrida durante a primeira metade do século XX em Tavira, mantendo uma relação contextual com outras edificações do século XX que preenchem a via de ligação entre a cidade e a estação ferroviária que termina a avenida, como são os casos da escola primária e do edifício do Posto Agrário, num projeto criado durante o período vigência do Estado Novo.
Os edifícios surgem implantados junto da via, em dois lotes de terreno retangulares, mas onde houve o cuidado de criar um espaço verde em redor da área de construção. Apesar de partilharem o mesmo projeto arquitetura, diferenciam-se hoje em termos cromáticos, sendo rosa o que se localiza mais a Poente e branco o que se implanta a Nascente. Ambos são da autoria do Arquiteto Raúl Lino (1879 - 1974), conforme planta assinada e datada pelo próprio no ano de 1932. Estes edifícios, destinados a habitação, são também os únicos exemplares da atividade deste arquiteto na cidade, destacando-se pelas suas qualidades conceptuais e estéticas e refletindo as particularidades comuns da sua arquitetura como seja a preocupação em relacionar o espaço projetado com o gosto dos proprietários e conferir-lhes uma coerência com os processos construtivos e a decoração própria do sítio e do clima, neste caso a materialização da ideia de uma casa urbana do Sul.
Os espaços em ambas as casas estão distribuídos por vinte e cinco divisões, organizadas em dois pisos ficando o rés-do-chão destinado a espaços de convívio e trabalho, enquanto que no 1º andar se situam os quartos de dormir e as casas de banho.
Como elementos reguladores da temperatura, os alpendres e casas de fresco, geralmente no rés-do-chão, destinam-se à permanência e recreio durante as horas mais quentes dos dias estivais. São também visíveis nestas casas alguns dos principais elementos que caraterizaram a maioria dos projetos deste arquiteto, tais como a cobertura sanqueada e rematada por beiral dito à portuguesa, o alpendre, os vãos guarnecidos de cantaria, a paleta cromática e os azulejos, constituindo assim uma obra à qual se pode aplicar o conceito de "obra total", neste caso com o contributo de reputados artistas da época, refletindo as orientações estéticas que marcaram os anos 30 do século XX português. São disto exemplo o mobiliário Art Deco, os silhares de azulejos da oficina de Leopoldo Battistini (1865 - 1936) produzidos na fábrica Constância de Lisboa que decoram o vestíbulo, ou que revestem o eirado do primeiro andar, o terraço, o átrio, a sala de jantar e ainda um recanto no corredor que acolhe também a escultura de um busto feminino em mármore. A pintura realizada por Tomás de Melo (Tom), importante pintor-decorador dessa época, surge no teto de um dos quartos, cujos motivos reproduzem cenas do imaginário e do quotidiano local, tais como embarcações, âncoras, rosa dos ventos, peixes, e uma curiosa alegoria ao Algarve, tudo isto num alegre colorido.
O notável valor artístico deste raro conjunto de casas, com todo o seu património associado, torna por isso necessário que se garantam as condições necessárias à sua preservação futura.


História
As duas moradias gémeas foram projetadas por Raúl Lino para os irmãos Zacarias da Fonseca Guerreiro e José Diogo da Fonseca Guerreiro, filhos do então já falecido Zacarias José Guerreiro, figura ilustre da cidade de Tavira, conhecido também por ter ocupado o cargo de Governador Civil de Faro, lugar que desempenhou desde a implantação da República, até Setembro de 1911, presidindo depois ao Senado da Câmara de Tavira.

Maria Ramalho/DGPC/2018 com o apoio de Célia Teixeira e Daniel Santana/C. M.Tavira

Imagens

Bibliografia

Título

Processo de Obra do Arquivo Municipal de Tavira, Vistoria 8, caixa 1

Local

-

Data

-

Autor(es)

-