Saltar para o conteúdo principal da página

Edifício Arte Nova - detalhe

Designação

Designação

Edifício Arte Nova

Outras Designações / Pesquisas

Edifício Arte Nova (Tavira) / Edifício na Rua 1.º de Maio, n.º 15 (Ver Ficha em www.monumentos.gov.pt)

Categoria / Tipologia

Arquitectura Civil / Edifício

Inventário Temático

-

Localização

Divisão Administrativa

Faro / Tavira / Tavira (Santa Maria e Santiago)

Endereço / Local

Rua 1.º de Maio
Tavira

Número de Polícia: 15

Proteção

Situação Actual

Procedimento encerrado / arquivado - sem protecção legal

Categoria de Protecção

Não aplicável

Cronologia

Em 7-03-2017 a CM de Tavira deu conhecimento do despacho de encerramento do procedimento de classificação de âmbito municipal
Deliberaçãode 21-02-2017 da CM de Tavira a determinar o encerramento do procedimento de classificação
Despacho de revogação de 30-09-2008 do director do IGESPAR, I.P.
Proposta de encerramento de 20-11-2007 da DRC do Algarve
Despacho de abertura de 6-11-2000 do vice-presidente do IPPAR

ZEP

-

Zona "non aedificandi"

-

Abrangido em ZEP ou ZP

Abrangido por outra classificação

Património Mundial

-

Descrição Geral

Nota Histórico-Artistica

No seu aspecto exterior, o edifício que se situa no nº 15 da Rua 1º de Maio, na cidade de Tavira, constitui um belo exemplar que se insere na gramática decorativa que caracterizou o Movimento Arte Nova. Apresenta-se-nos organizado em dois pisos. A fachada principal obedece a uma harmoniosa simetria: no piso térreo, a porta central é ladeada por duas janelas formalmente iguais. No primeiro andar, uma varanda apoiada sobre quatro bonitos modilhões, enquadra as três portas através das quais se lhe acede. Num e noutro pisos, os vãos estão perfeitamente alinhados. Um friso de azulejos de temática naturalista decora a parte superior da parede que é rematada por uma balaustrada, apresentando ao centro uma platibanda igualmente decorada com motivos florais e avançada relativamente ao plano da fachada. Dois finos pilares sobem da varanda e exercem a sua função de suporte da balaustrada . O edifício desenvolve-se lateralmente, já no Largo Tomás Cabreira. Aí, apresenta igualmente um alçado deveras interessante: desenvolvido longitudinalmente, destaca-se aqui a ampla fenestração, preenchida no piso superior por vidros coloridos de desenho geométrico. A decoração azulejar de motivos vegetalistas repete-se aqui, uma vez mais. Esses elementos definidores, podemos encontrá-los ora no friso de azulejos de motivos vegetalistas que percorre todo o 1º piso, ora em pormenores decorativos nas varandas, janelas, remates, etc, em que se conjugam inovadoramente a tradição construtiva da região ( platibandas decoradas; balaustradas; janelas de sacada; "lágrimas" ), com as novidades do tempo, no que às técnicas de construção respeita. O resultado está magnificamente traduzido no efeito obtido nas varandas, onde o betão reforçado com o aço, possibilitou a obtenção de elegantes rendilhados e outras formas até então inexploradas. No conjunto, são ainda de salientar os detalhes decorativos das varandas, janelas e remates, os quais contribuem para embelezar o edifício, conferindo-lhe um lugar de destaque no conjunto edificado de Tavira. Interiormente, o edifício revela-se de maior simplicidade relativamente ao exterior. Contudo,é de realçar o tratamento decorativo do 1º piso, em que se conjugam a madeira e o vitral.
M.F.(DRF)

Imagens